Carona: dicas para viajar de carona pelo mundo (passo a passo)

como-viajar-de-carona-pelo-mundo

Dicas para viajar de carona: tudo que você precisa saber para viajar barato pelo mundo

Quer saber como viajar de carona pelo mundo? Está indo viajar como mochileiro ou mochileira pela primeira vez? Já está tentando viajar de carona, mas ninguém para pra você? Quer se tornar um caroneiro ou caroneira profissional? Tem medo ou dúvidas sobre pedir carona na estrada? Então este guia completo de carona é pra você!

Quando digo que nosso (meu e da Isabela) orçamento de viagem é de apenas R$ 20,00 por dia (mesmo viajando pela Argentina e Chile, que são países relativamente caros), ou que viajei por 8 meses sem dinheiro nenhum, passando por Brasil, Uruguai e Argentina, as pessoas custam a acreditar.

Pois bem, viajar barato assim não é nenhuma façanha e é bem mais fácil do que as pessoas pensam. Seus dois pilares são: deslocar-se de graça e conseguir hospedagens gratuitas.

Hoje, no Instinto Viajante, vou ensinar tudo que aprendi nesses anos viajando, sobre como chegar de graça nos lugares, ou seja, como viajar de carona. Não serão apenas dicas para viajar de carona, mas sim um guia completo, com passo a passo de tudo que você precisa saber para maximizar suas chances de conseguir carona mais fácil e rápido! Obrigado pela visita e boa viagem!

→ Veja também: como chegar barato em qualquer lugar do mundo

Este artigo faz parte da série Guia viajando barato pelo mundo

como-viajar-de-carona-sozinho

Pedindo carona na chuva, em Santa Catarina, Brasil – Instinto Viajante. Carona na chuva aumenta as possibilidades que alguém sinta pena de você e pare =)

Manual da carona: como viajar de carona para mulheres, homens, casais, e grupos

Para viajar de carona você pode tentar:

  1. Pegar carona na estrada
  2. Caronas combinadas – Sites e apps de carona compartilhada ou carona solidária

Vamos falar agora de ambas as formas de viajar pedindo carona e também para todos os tipos de viajantes: viagens solitárias de homens e mulheres, viagens em casal, em grupo ou em família. Ah, e, é claro, para todas as idades!

Ler o artigo completo será muito interessante. Mas você pode ir direto ao assunto de seu interesse, clicando nos links abaixo

Ajude o Instinto Viajante a se manter no ar =) Clique aqui e doe quanto quiser. Obrigado!

seta-instinto-viajante Introdução: a cultura das viagens de carona pelo mundo

Viajar de carona nada mais é do que ser levado por uma pessoa de um ponto ao outro (ou levar). Hacer dedo ou autostop, em espanhol; ou Hitchhikingto hitchhike, viajar de carona em inglês; não é apenas viajar de graça, mas sim conhecer novas pessoas, conhecer culturas de perto, estar em contato com o melhor lado das pessoas e ainda fazer amigos (as).

Viajar pelo mundo de carona não é uma novidade. É algo que já vem sendo praticado há muito tempo, à margem da sociedade e da vida cotidiana. Talvez tão antigo quanto a invenção da roda (ou antes, compartilhando animais).

Seja pelo (a) trabalhador (a) que pede carona para chegar em seu posto de trabalho; um (a) desempregado (a) que se aventura – sozinho (a) ou com a família – pelas rodovias para tentar recomeçar a vida em um outro lugar; ou pelo (a) mochileiro (a) que sai em busca da liberdade de viajar pelo mundo sem destino certo; a carona é uma prática centenária.

Uma cultura levada aos cinemas pelo filme On the Road, contando as histórias de Jack Kerouac e do movimento Beatnick, ou – mais recentemente – através da história de Christopher McCandless, o Alexander Supertramp, de Into the Wild (Na Natureza Selvagem), e que despertou ainda mais o espírito aventureiro de milhares de pessoas.

seta-instinto-viajante 9 bons motivos para viajar de carona pelo mundo

como-pedir-carona-na-estrada

A primeira carona na caçamba é sempre inesquecível! Sensação máxima de liberdade, durante a viagem pelo Uruguai – Instinto Viajante

Viajar de carona não significa apenas viajar barato, vai muito além disso:

  • Liberdade: deixar para trás a ideia de comprar uma passagem que te leva de um ponto A a um ponto B, em um horário fixo, em uma viagem de X horas, por um valor $ Y. Menos comodidade e mais vida real.
  • Aprender que não temos o controle da vida: conforme mencionei no artigo você não está no controle, viajar de carona e sem destino e/ou datas certas, aprendemos que não temos o controle da situação, diferente do que pensamos quando vivemos em um sistema social rígido. Viajando de carona você perceberá que a vida nos reserva surpresas a todo tempo e que podemos aprender a conviver com elas – e curti-las!
  • Intercâmbio cultural: viajar nesse estilo é imergir de verdade na cultura alheia. Conhecemos detalhes sobre culturas, hábitos, idioma usado nas ruas, etc. Cada motorista nos mostra um pouco do todo que é um país, sem filtros de cor, credo, sexualidade, ou classe social. Juntando todos os contatos que temos na estrada em alguns meses de viagem, podemos falar com convicção sobre um país. Algo que não conseguimos desde um hotel, e/ou um pacote de viagens de alguns dias.
  • Fazer amigos (as): se amigos (as) são pessoas que nos estendem a mão quando precisamos, dar e pegar uma carona é uma ótima forma de começar grandes amizades. Mantenho contato com muitas pessoas que me levaram na estrada durante minhas viagens.
  • Mais chances de vivermos histórias incríveis: já perdi a conta de quantas pessoas me ajudaram em uma carona (além de me levarem). Já ganhei comida, bebidas, dinheiro, ofertas de empregos, convites para dormir na casa do (a) motorista, lições de vida, etc. E não foram poucas! Fomos convidados para o almoço e janta um bom punhado de vezes; em um fim de ano, eu e a Isabela, chegamos a ser convidados para passar a virada juntos de uma família argentina, em apenas 5 minutos dentro do carro. Além disso, já pegamos carona com todo tipo de gente, inclusive um contrabandista de mercadorias, e nunca passamos nenhum perigo. Você certamente viverá histórias de livros: comoventes, engraçadas, estranhas, inacreditáveis, inspiradoras – enfim, todos os tipos!
  • Entender que no mundo os bons são maioria: você irá se surpreender com a quantidade de empatia e generosidade que verá ao viajar de carona.
  • Menos preocupações durante a viagem: indo de carona, temos de nos preocupar apenas em aplicar os truques e conseguir uma carona. Ao viajarmos com transportes públicos, precisamos calcular frequentemente valores, pesquisar passagens, etc. O mesmo para quem viaja em veículo próprio e vive pesquisando os melhores caminhos (ou mais curtos), custos de combustível, pedágios, manutenção, seguros, documentos, estacionamento, etc.
  • É mais rápido, eficiente e (na maioria das vezes) mais confortável que transporte público: na maioria dos trechos que viajei de carona cheguei mais rápido do que se tomasse um ônibus. Considerando os custos, pesquisas, tempos de espera para a saída do ônibus, conexões, etc, ficar na estrada alguns minutos ou horas não é nada mal. Além disso, na maioria das vezes, os carros que param são mais confortáveis – e chegam mais rápido nos destinos – que os ônibus.
  • Força de vontade e criatividade: você trabalhará muito essas duas habilidades =)

seta-instinto-viajante 5 mitos sobre viajar de carona

viajar-de-carona-em-caminhoes

Caminhoneiros (as) param para levar mochileiros (as), mas não são os únicos. A maioria das nossas caronas são com veículos de passeio comuns. Foto: carona em caminhão na Argentina – Instinto Viajante

O senso comum normalmente é alimentado por pessoas que reproduzem o que ouviram, sem nunca terem vivido a situação. Você pergunta: “mas você já fez? Já foi lá?” e a pessoa responde: “não, mas já ouvi dizer…”.

O “ouvi dizer…” muitas vezes são:

  1. Fatos isolados;
  2. Outras pessoas que também ouviram dizer;
  3. Histórias distorcidas que não foram bem assim…

Quanto às histórias negativas que ouvimos sobre viajar de carona, serão verdadeiras?

Mito #1: viajar de carona é perigoso

Eu sempre falo muito sobre essa máxima em minhas viagens. Essa frase é muito comum vinda de pessoas como meu padrasto, que nunca viajou de carona e nunca da carona. Ou seja, pessoas que, sinceramente, não têm autoridade para falar sobre o tem, concorda?

Perigo para quem da carona: para quem tem medo de dar carona, basta pensar logicamente e verá que é um mito. Se eu quisesse assaltar uma pessoa, não sairia de casa com um mochilão de 15 KG, nem ficaria em uma rodovia esperando um tempo incerto para roubar alguém. Simplesmente iria, sem peso, até um estacionamento de supermercado ou um sinal de trânsito e o faria. Ademais, eu não conheço ninguém que deu carona para um (a) viajante de mochilão, e foi assaltado – e olha que já peguei centenas de caronas e eu sempre pergunto. Também não vejo com frequência casos em que pessoas disfarçadas de viajantes roubaram um (a) motorista.

Perigo para quem pega carona: eu viajo de carona há anos e nunca passei por nenhuma situação perigosa, seja sozinho, ou em casal. Também conheci dezenas de viajantes (homens e mulheres) que, mesmo sozinhos (as), nunca sofreram nada. As poucas histórias desagradáveis que ouvi foram de motoristas que aceleram muito ou assédio sexual contra mulheres, mas sem o uso de força. Situações que podem ser resolvidas com uma desculpa para descer do veículo ou um “não” firme. Viajar de carona não é perigoso. E, nesse guia, vamos mostrar como evitar e/ou conduzir as poucas situações desagradáveis em uma carona (principalmente para mochileiras que viajam sozinhas).

Mito #2: ninguém da carona por aqui

As frases “ninguém da carona por aqui”, “ninguém da carona hoje em dia”, e “você não vai conseguir”, são ouvidas em qualquer lugar do mundo. As pessoas sempre pensam que não é seguro viajar de carona em suas cidades. Sua primeira lição é: se existe uma estrada, alguém irá passar; se alguém passa, alguém irá te levar.

Mito #3: no Brasil, Bolívia e Peru não dão carona

Muitos dos (as) viajantes que conheci só começam a pedir carona no Uruguai ou Argentina, ao invés de viajar de carona pelo Brasil. Eu viajei pelo Brasil de carona, tanto sozinho, quanto em casal, e sempre consegui caronas. Alguns dias foram muito rápidos, outros mais demorados, mas sempre consegui. Ou seja, esqueça essa lenda.

Outro mito é que na Bolívia e Peru não dão carona, é muito perigoso, ou sempre querem te cobrar. Porém, vejo muitos blogs de viagem de pessoas que pediram carona por lá e conseguiram tranquilamente, sem perigos e sem muita demora (cerca de 30-40 minutos).

(eu ainda não viajei por esses países e atualizo este artigo, com minhas experiências pessoais, quando passar por lá)

Mito #4: quem da carona é caminhoneiro

Muitas pessoas pensam que as caronas que consigo são só de caminhoneiros. Mas é muito pelo contrário. Poucos caminhoneiros pararam para mim, principalmente quando viajava sozinho. Eles passaram a parar quando comecei a viajar com a Isabela.

De todo modo, a maioria das caronas que consegui (sozinho e em casal) foram com veículos comuns, normalmente com homens sozinhos, casais ou famílias. Poucas mulheres sozinhas pararam para me levar, quase todas no Chile.

Mito #5: viajar de carona é sorte

Na verdade, não. Em alguns casos pode ser, mas ao viver viajando de carona você verá que existem um conjunto de muitas variáveis e truques que te garantem caronas em qualquer lugar do mundo, e mais rápido.

seta-instinto-viajante 11 piores erros ao pedir carona que são muito comuns

como-conseguir-carona-na-estrada

Deitar na estrada, certamente, não é a melhor forma de conseguir uma carona. Foto: tentando carona para Torres del Paine, Chile – Instinto Viajante

  • Desleixo: coisas como deitar ou ficar largado na estrada. Tenha foco. Fique em pé, mochila à frente e dedão esticado ao ver um veículo.
  • Deixar a mochila longe: como falei, mochila próxima, indicando que você é um (a) viajante.
  • Cara emburrada: para conseguir carona é preciso ter um semblante simpático e de preferência olhar nos olhos do (a) motorista.
  • Pensamentos negativos: o mesmo serve para pensamentos pessimistas. Sair para tentar carona achando que não vai conseguir ou reclamando não lhe ajudará em nada. Seja otimista e tenha pensamento sempre positivo.
  • Ter muita bagagem: viajar com muitas coisas prejudica suas chances de carona.
  • Escolher lugares improváveis: parar bem no meio da cidade, lugares muito movimentados, perto de moradores locais, perto de animais, etc, vão diminuir suas chances.
  • Grupos grandes: não adianta tentar carona em trios ou grupos maiores. O melhor é dividir-se. Se o grupo possui mulheres e tiver número ímpar, deixar a mulher sozinha pode ser a melhor opção, pois conseguirá carona mais rápido. Ao parar um veículo, vale a pena perguntar se há a possibilidade de levar todos (se couber).
  • Imobilidade: eu nunca fico parado em um lugar por mais de 1h, a menos que não haja outra possibilidade. Quase sempre há. Se não estiver conseguindo carona no local escolhido, considere mudar para um lugar melhor ou segurar um cartaz diferente. Use sua criatividade!
  • Esconder-se: se você está viajando em casal ou grupo, nem pense em se esconder e aparecer na hora que um carro parar. Não faz sentido isso e você já começará mal seu contato com a pessoa que irá te levar. Além disso, há grande possibilidades da pessoa desistir de leva-los.
  • Atirar-se na estrada: viajando pela Patagônia, vi muitas pessoas que atiravam-se na frente dos veículos para chamar atenção. Não faça isso. Primeiro por que não é legal; segundo por que é perigoso; terceiro por que conversei com vários motoristas que se queixavam disso e diziam não parar quando fazem isso.
  • Não saber a hora de negar a carona: nem sempre aceitar a carona é a melhor opção. Em alguns casos ela é curta e/ou pode te deixar em um ponto ruim no meio da estrada. Mais adiante falaremos sobre a hora de negar a carona.

seta-instinto-viajante Como viajar de carona pelo mundo (5 passos)

dicas-para-pedir-carona

Ficar sentado (a) e/ou desanimado (a) não irá ajudar a conseguir uma carona rápida. Volte para seu posto e estique o dedão!

✍ Passo 1: estude seu trajeto

Não saia contando apenas com a sorte. Haja com inteligência. Planeje sua ida, pesquisando nos mapas (físicos e/ou online) como chegar em seu destino, qual a distância, tempo estimado, quais rodovias usar, postos de gasolina e outras paradas no caminho, etc.

Estrada movimentada X caminho mais curto: o caminho mais curto nem sempre é a melhor opção. Em alguns casos, as estradas mais longas possuem maior fluxo, por serem pavimentadas, ou ter cidades e negócios pelo caminho, como um comércio grande, porto, aeroporto, etc. Tenha isso em conta na hora de definir seu trajeto e prefira sempre as estradas mais usadas.

Em alguns casos nos deparamos com estradinhas de terra que são desafiadoras, pois ninguém passa. Todavia, não desanime tanto, pois lugarejos pequenos possuem pessoas menos desconfiadas e – normalmente – o primeiro que passa, para.

Temporada – Outra coisa para ter em conta é a temporada. Durante a temporada alta é muito mais fácil viajar, pois há muitas pessoas na estrada. Viajando pela América do Sul, por exemplo, é melhor descer pela Cordilheira dos Andes (seja pelo Chile ou pela Argentina), e subir pela Ruta Nacional 3, na Argentina, isso, pois, esta tem mais movimento de moradores e caminhões, enquanto pela Cordilheira (Carretera Austral chilena e Ruta 40 argentina) o movimento é maior de turistas.

Após estudar, escreva os dados-chaves da sua viagem, como nome e número de rodovias, e nomes de cidades, inclusive planejando cidades anteriores ao seu destino, para passar a noite, caso não consiga chegar em um dia.

Para ajudar em seu planejamento:

  • GoogleMaps (mapa) – geralmente online, mas você pode salvar trechos offline
  • Waze (mapa) – mapa, GPS, e informações de trânsito
  • Maps.me (mapa offline)
  • Mapa físico – eu sempre levo um para caso os eletrônicos descarreguem, além do mais é algo mais romântico, risos (no Brasil, existem boas opções da 4Rodas e Mapograf)
  • Moradores locais – converse com moradores antes de sair para a estrada
  • Grupos de viagem na internet e redes sociais

As pessoas que vejo que não se dão bem viajando de carona erram já nesse primeiro passo.

✍ Passo 2: preparando-se para pedir carona

Infelizmente, ainda vivemos em um mundo onde sua imagem significa muita coisa. Por isso, você precisa atentar-se aos seguintes pontos:
  • Vista-se bem e esteja limpo (a) – sei que mochilando temos poucas opções de roupas, mas neste ponto digo vestir-se minimamente bem, com roupas “normais”. Quanto mais apresentável, mais rápido conseguirá sua carona. Deixo algumas ideias, mas são ideias, não regras. Homens – bermuda, short, ou calça; blusa ou casaco; tênis (evite chinelos). Mulheres – short, calça, ou vestido (essa como última opção, pois pode dar asas a imaginação de pessoas desagradáveis); blusa ou casaco; tênis (evite chinelos);
  • Prefira cores claras e/ou coloridas de roupas – elas podem ajudar a passar uma ideia de alegria e tranquilidade. Se o clima permitir, use mangas curtas, pois ver seus antebraços podem gerar menos desconfiança para o (a) motorista. Uma camisa preta do The Punisher não ajudará a conseguir uma carona;
  • Evite óculos escuros, toucas, bonés, e similares – óculos de grau não irá lhe prejudicar, mas óculos escuros, toucas, bonés, e similares, ainda que não seja uma regra, poderão prejudicar suas chances de uma carona rápida. Não é que você não consiga estando com estes objetos, mas é que óculos escuros prejudicam o contato visual do (a) motorista com você, e acessórios de cabeça não permitem ter uma leitura completa de sua pessoa;

Estas ideias não são regras, e muitas pessoas podem discordar, mas são as que uso em minhas viagens e me dão bons resultados. Também sei que podem esbarrar em preconceitos sociais dos quais convivemos há anos (e que eu também sou contra), mas infelizmente não podemos mudar o pensamento de ninguém antes de subir no veículo. Esteja neutro até conseguir sua carona, depois, se achar necessário, exponha suas ideias ao longo da viagem.

Qual a melhor hora para tentar carona?

Eu gosto de sair sempre o mais cedo possível. Se puder sair bem cedo, pela manhã, saia (não precisa sair no escuro, risos).

Isso ajuda a chegar mais longe em um único dia de viagem e permite ser visto por mais veículos, principalmente por que, de manhã há mais veículos na estrada. O fluxo cai muito na hora do almoço e retorna pela tarde.

Da pra viajar de carona a noite?

Conheço viajantes que inclusive preferem pedir carona pela noite, pois dizem que as pessoas ficam com pena e param, além do mais, há muitas pessoas que saíram de viagem e passam a noite. É uma possibilidade.

Porém, eu prefiro minimizar meus riscos, descansar e acordar cedo para tentar. Além do mais, do mesmo jeito que podem ter pena de você, podem ter medo.

Se for fazer, escolha lugares bem iluminados e com certo movimento, como postos de gasolina.

Dar e pedir carona na estrada é legal?

Pedir carona, sim. Isso, por que, qualquer atividade de um pedestre em rodovias não é permitido – o mesmo para ciclistas, skatistas, etc -, principalmente se for uma highway.

Todavia, existe vista grossa e, provavelmente, você não será detido por isso. Se você for uma pessoa de “sorte”, apenas diga que não sabia e peça desculpas. A fiscalização é maior em países europeus.

Para evitar isso basta ficar nos pontos de ônibus ao longo das estradas, nas saídas das cidades, início das estradas de velocidades, postos de gasolina, etc.

Rodovias menores ou highway? As viagens por rodovias menores provavelmente serão mais legais, pelas paisagens, e por visitar mais povoados e cidades pequenas. Por outro lado, a highway garante percorrer muitos quilômetros em um único dia, com apenas uma carona.

✍ Passo 3: na estrada

Uma coisa é certa: suas chances de conseguir uma carona dentro de cidades são quase nulas (principalmente cidades grandes). Portanto, o melhor é afastar-se da cidade e dos setores urbanos, tentando carona nas saídas das cidades, mais próximo das estradas/rodovias.

Para isso, você poderá ir andando (em trechos não muito longos) ou tomar um ônibus de linha (lugares mais distantes). Cada cidade possui uma realidade, além da sua disposição em caminhar.

Tenha em conta:

  • Afaste-se. Sair do centro da cidade, mas continuar no perímetro urbano e próximo de bairros menores, dificultará suas chances, pois muitos carros que passarão não estão indo viajar.
  • Atente-se. Veja se nas proximidades há outras ruas, avenidas, pontes, e bifurcações, pois são pontos ruins.
  • Pergunte. Procure saber se é um trecho que tenha uma fama ruim entre os locais, tanto por sua segurança, quanto pelas chances de uma carona. Atenção: não estou dizendo perguntar se é fácil pedir carona, pois a maioria das pessoas responderão negativamente. Mas sim perguntar se é um bairro de alta criminalidade, ou algo assim.

Mas como saber o melhor lugar para pedir carona nas cidades?

como-viajar-de-carona-sozinha

Portais de entrada e saída de cidades, um dos melhores pontos para tentar carona. Foto: tentando carona para sair de Ushuaia, na Patagônia argentina – Instinto Viajante

Afaste-se de pontos de ônibus e lugares cheios de moradores locais, pois isso irá prejudicar sua missão. Nunca fique próximo de moradores locais.

O fórum de caronas hitchwiki também pode ajudar, pois possui dicas para cidades do mundo inteiro. Basta escrever a cidade no campo de busca e fazer uma pesquisa.

(dica: a versão em inglês possui mais artigos e respostas)

✍ Passo 4: como se posicionar para conseguir carona

Vamos mostrar requisitos para posicionar-se bem e bons lugares. Quanto mais requisitos o lugar tiver, mais chance de conseguir carona rápido você terá.

Espaço para parar – Esse é o requisito básico, e quanto mais espaço, melhor. Geralmente saídas de postos de gasolina, acostamentos, ou saídas de cidades, onde tenham um recuo ou algo similar para o (a) motorista encostar com facilidade.

Pontos de redução de velocidade – Lugares que obrigam o (a) motorista a reduzir a velocidade são os melhores, pois dá tempo de você tentar sinais simpáticos, e também para a pessoa observar você e parar sem muito esforço. Veja abaixo os melhores lugares para pedir carona (os melhores encabeçam a lista).

  • Aduanas/fronteiras – Excelente lugar, pois há filas de carros e caminhões e as pessoas sentem tranquilidade – você provavelmente é um turista, e não estaria ali se tivesse algo errado na mochila. Eu prefiro fazer meus trâmites e depois ficar na saída da aduana, mas você pode tentar conversar com as pessoas na fila, antes do trâmite, e depois fazer seus papéis, encontrando a pessoa na saída;
  • Praças de pedágio – Posicione-se após as cabines. Não fique muito próximo delas, pois algum funcionário pode pedir que você saia. Mas também não fique muito longe, a ideia é pegar os carros ainda lentos;
  • Polícias rodoviárias e controles policiais – Também muito bons, os carros passam muito lentos e você estar perto da polícia passa tranquilidade ao (a) condutor (a). Ao parar em controles policiais, converse com as pessoas e informe que está tentando carona, pedindo permissão. Em alguns casos eles podem inclusive ajudar você, mas não espere por isso, apenas cumprimente e siga para o seu ponto para esticar o dedão, posteriormente aos controles policiais, mas não muito longe;
  • Postos de gasolina – Aduanas, pedágios e controles policiais costumam ser muito fáceis. Mas postos de gasolina são mais frequentes, ótimos, e os que mais uso. Geralmente, são seguros, movimentados, possuem água, banheiros, Wi-Fi, lanchonete/restaurante, mapas e informações, e dá para dormir, se necessário. Tome posição na saída do posto, a fim de tentar carona tanto com os que saem do abastecimento, quanto dos que passam na estrada;
  • Portais de entrada/saída de cidades, radares eletrônicossemáforoslombadas e afins – Pare um pouco depois, antes dos carros tomarem velocidade.
  • Pontos de ônibus – O ponto positivo é estar protegido de chuvas e normalmente ser um lugar seguro. Porém um grande fator negativo: pensarem que você é um morador local e/ou está esperando o ônibus. Evite-os, mas, se usa-los, deixe claro que está tentando carona (por exemplo, com um cartaz). Em alguns países, os (as) motoristas podem querer dar uma carona cobrando dinheiro.
  • Rotatórias/cruzamentospontos posteriores a uma curva, pois os carros diminuem a velocidade. Mas não pare muito próximo da curva (cerca de 30 M de distância).

Vá de acordo com o tempo – Se estiver muito sol, posicione-se perto de uma sombra. Se estiver chovendo, tente um lugar coberto, ou, ao menos, uma capa de chuva ou guarda-chuva. Chuvas podem ser ótimas oportunidades para que as pessoas tenham pena e lhe ofereçam uma carona – passei por isso uma vez no Uruguai, e outra, junto da Isabela, na Argentina. Em ambos os casos, os motoristas disseram que pararam por pena.

Evite lugares de tráfego muito intenso – As pessoas têm medo de parar e causar acidentes.

Observe os recursos próximos e segurança – Não conseguir a carona é uma hipótese na qual você precisa ter em mente. Por isso, sempre observe se o local eleito para tentar um dedão possui recursos básicos de sobrevivência, tais quais, possibilidade de água e comida, banheiro ou lugar para ir, etc. Procure saber se o local é seguro, tanto para perigos humanos, quanto animais ou condições climáticas. Se você viaja por regiões seguras, possui barraca de camping, fogareiro e tiver comida e água, poderá ficar mais tranquilo.

Intersecções – Observe se há cruzamentos que sejam posteriores ao seu ponto, ruas que alimentam a estrada que você quer viajar. Se não for muito distante, vale a pena caminhar até eles para ter uma opção a mais de fluxo de veículos. Mas atenção: não valerá a pena se o cruzamento for longe ou se não respeitar os quesitos anteriores.

Não ande muito – Como mencionado acima, uma vez que tenha encontrado um bom lugar, não ande muito. Andar muito não costuma valer a pena e pode significar perder lugar na fila. Isto é, se você está em um ponto que respeita as dicas anteriores e caminha, pode encontrar outros (as) viajantes, e terá que parar depois deles (respeitando a fila, conforme falarei a seguir), perdendo sua prioridade. Só ande se souber de outro cruzamento muito movimentado que valha a pena.

Mantenha a mochila próxima e tenha foco – Ao ficar largado na beira da estrada, algumas pessoas podem deixar de dar a carona por preconceito. Por isso, esteja sempre atento (a) na estrada. Outra coisa é manter sua mochila por perto, pois ela deixa claro que você é um (a) viajante que provavelmente está longe de casa e precisa de ajuda – muitos só dão carona para estrangeiros (as).

Se tiver com duas ou mais mochilas, organize-as, deixando a maior na frente e a (s) menor (es) atrás, para que o motorista não pense que sua bagagem excessiva é motivo para não dar a carona. Ah, ao apoiar a mochila, evite lugares que sujam muito, tanto por sua higiene, quanto para não causar má impressão para o (a) motorista. Eu sempre deixo a mochila sobre o asfalto, concreto, etc, e quando não é possível tento deixa-la sobre um papelão ou o que tiver próximo.

Sempre respeite a fila – Eu sempre digo que pedir carona só tem uma regra: respeitar as outras pessoas que chegaram antes de você. Se ao chegar em um ponto já tiver alguém tentando carona, passe por ela e posicione-se depois. Você precisará se afastar pelo menos uns 30 M, pois ficar grudado na pessoa irá prejudicar ambos (motoristas pensarão que estão juntos (as)). Não respeitar a fila é antiético e muito desagradável. Viajando pela Patagônia, algumas pessoas furavam nossa fila e era muito chato. Mas nós sempre reclamávamos – nunca passe a frente de ninguém e se passarem a sua, reclame/ensine.

viajar-de-carona-mulher

Mochila próxima e foco na estrada. Ah, e, claro, sempre respeite a fila, posicionando-se depois dos (as) viajantes que chegaram antes de você. Foto: tentando carona em Cerro Castillo, Chile – Instinto Viajante

✍ Passo 5: dicas para conseguir carona mais rápido

Os truques-chaves para conseguir carona rápido em qualquer lugar do mundo são:

Pensamento positivo, energia boa – Eu acredito muito na força do pensamento. Sendo assim, mesmo quando estou cansado ou estressado, faço o possível para ter paciência, não sentir nunca raiva, e manter pensamento positivo, emanando boas energias.

Linguagem corporal – Passe uma boa mensagem através das linguagens do corpo, braços cruzados, por exemplo, não são uma boa ideia.

Contato visual, alegria, sorrisos, e simpatia – Ser simpático, fazer sinais alegres e engraçados com certeza ajudam muito na hora de tentar carona na estrada. Use-os. Ao ser simpático (a), faça mantendo contato visual com o (a) motorista. o livro Social Psychology, Myers – Social Relations, conta que caroneiros (as) que olham nos olhos do (a) motorista, dobram suas chances de conseguir uma carona.

Estique o dedo de longe – Estique o dedão com uma boa distância, para que o (a) motorista veja você com bom tempo e distância para freiar tranquilo (a).

Cumprimente mesmo quem não te leva – Desejo, em pensamento, uma boa viagem para todos os veículos que passam por mim e decidem não me levar. Além disso, vale a pena cumprimentar mesmo que a pessoa passe por você, seja por educação, seja [pelas chances de que o (a) motorista se arrependa e frete um pouco mais a frente (acredite, muitas pessoas passam por nós ainda com dúvidas entre parar ou não).

O polegar – Sinceramente não sei se funciona, mas já li em blogs de viagem que, agitar o polegar na direção que se deseja ir, no momento do contato visual, ajuda a reforçar o pedido de carona. Vai saber né? Mas não custa tentar (risos).

Atente-se aos sinais – Ao pedir carona, você verá pessoas que simplesmente passam direto, mas outras muitas irão enviar sinais para você. Podem ser pedidos de desculpas por não poder levar, por estar muito cheio o veículo, por que não vão muito longe, etc. Preste sempre atenção, pois há sinais que podem te ajudar a perceber que está em um lugar ruim.

Pedir carona caminhando – Caminhar e pedir carona é coisa de filme. Eu já consegui carona assim, tanto caminhando com o dedo esticado quanto sem nem mesmo estica-lo. Porém, em geral não ajuda muito, principalmente por faltar contato visual (você estará de costas…). Faça apenas se já tiver que andar e não como uma estratégia, afinal, se for uma estrada, os carros passarão muito rápidos por você.

Frentista, policiais, etc – Em postos de gasolina, controles policiais, etc, converse com alguma autoridade do local. Pode ser o (a) frentista, policial, etc. Apresente-se, fale de onde você é, da sua viagem, para onde vai, etc. Essas pessoas poderão acabar te ajudando a conseguir uma carona rápida.

A escala da carona – É melhor pedir carona sozinho (a), em casal ou em grupo? Veja a escala:

  1. Mulher sozinha – (Muito fácil) Uma viajante solitária consegue carona fácil.
  2. Dupla de mulheres – (Muito fácil) Uma dupla de mulheres não é tão fácil quanto uma mulher sozinha por questões de espaço, mas segue sendo bastante fácil.
  3. Casal – (Fácil) Um casal passa confiança para a maioria dos (as) motoristas. Não é tão fácil quanto mulheres sozinhas, mas é quase tão fácil quanto duplas de mulheres.
  4. Homem sozinho – (Médio). Mas mais fácil do que as pessoas pensam. Eu viajava sozinho e conheço outros muitos viajantes que o fazem. Você conseguirá, principalmente usando as dicas desse manual, só não espere tanta facilidade quanto as opções citadas acima. A vantagem é ocupar pouco espaço no carro.
  5. Dupla de homens – (Difícil). Uma dupla masculina gera medo em muitas pessoas, e precisará por em prática muitos dos conselhos citados aqui, ser bastante simpático e ter paciência. Mas, obviamente, conseguirá viajar. A desvantagem, novamente, é espaço.
  6. Trio – (Difícil) Considero carona em trio mais complicado do que dois homens. Principalmente pela quantidade de pessoas e espaço nos veículos, mas há chances. Se o trio for feminino ou misto será mais fácil. Um trio de homens será muito difícil. O melhor é dividir-se em 2+1 e combinar um local de encontro.
  7. Grupos maiores – (Muito difícil) Pouquissímas chances, o melhor é dividir-se.

Sinal de estrangeiro (a dica ninja) – Viajando pela Argentina descobri um truque que funciona muito e vejo poucos (as) caroneiros (as) fazer (em): deixar claro que você é estrangeiro. No meu caso e da Isabela, usamos uma bandeira do Brasil. A bandeira aumenta nossas chances de carona por três principais motivos:

  1. Deixa claro que somos estrangeiros viajantes e estamos longe de casa, precisando de uma ajuda;
  2. Conquista os (as) condutores (as) que gostam do Brasil;
  3. Aumenta as chances de que um compatriota que vive no país ou passe de viagem dê carona.

Importante: procure saber, e, se seu país tiver conflito político/histórico com o país que estiver viajando, esqueça um símbolo da sua nação, mas tente mostrar que é estrangeiro (a).

viajar-de-carona-dicas

“Llleva al taco y a la gallega” (leva o italiano e a galega) – Cartaz de um italiano e uma espanhola que conhecemos na Argentina. Chamativo, simpático, e que deixa claro que são estrangeiros – Instinto Viajante

Cartazes – Ter um cartaz também aumentam consideravelmente suas chances de carona. Você pode escrever mensagens cativantes ou explicativas. Deve ser feita em uma cartolina ou papelão grande, e com letras de forma, para ser lido de longe e com facilidade. Quanto mais curta a mensagem, melhor, pois todos terão tempo de ler. Obviamente, a mensagem precisa ser sempre no idioma local. Algumas ideias:

  • “Próximo posto” – Gosto muito dessa mensagem, pois os (as) motoristas param para perguntar, mesmo que não estejam viajando para muito longe. Do contrário, podem pensar: “eu não vou tão longe, nem vale a pena perguntar…”. Além do mais, principalmente para mulheres, se você não gostar do clima dentro do veículo, poderá descer no próximo posto sem precisar dar explicações ou desconversar o motivo;
  • Nome da cidade destino – O clássico e objetivo, escrever o nome do seu destino ou alguma cidade no caminho que você quer ir. Ao fazer isso, não vale a pena indicar uma cidade que esteja a 300 KM. O melhor é ir indicando a cidade seguinte, ou, ao menos, a próxima cidade grande, para não perder muitos carros. uma vez no veículo você poderá confirmar onde será melhor descer da carona, e, se não for seu destino final, complete o trajeto com outras caronas;
  • Direção – Muitos motoristas não param por não irem exatamente até a cidade que você escreve. Às vezes, para evitar isso, eu indico apenas a direção que estou indo, no idioma local, ou seja, “norte” ou “sul” (português), “norte” ou “sur” (espanhol), “north” ou “south” (inglês), etc;
  • Nacionalidade – Se você não tiver uma bandeira, canga ou algo do tipo, que mostre que você é um estrangeiro, vale escrever sua nacionalidade em seu cartaz. Exemplo: “Desde o Brasil de carona pelo mundo”, “Brasileiro viajando pelo Chile”, etc;
  • Coisas criativas – Já vi viajantes escreverem as coisas mais mirabolantes do mundo. Algumas delas: “free cookies” ou “biscoitos grátis” (Matthew, do Expert Vagabond), “e se fosse Jesus” (Nathaly, do Chão da América), etc. Eu e a Isabela já lançamos um “Chi-chi-chi lê-lê-lê”, no Chile. Mensagens simples também funcionam, como um simples “por favor”, ou “volta ao mundo de carona”. Mas o melhor que vi foi de um italiano e uma espanhola, que fizeram uma cartaz em formato de uma mão gigante pedindo carona, além de escreverem uma mensagem.

(Dica: viajar com giz de cera é melhor para fazer cartaz, pois pilot, canetinhas e marcadores ficam secos mais rápidos. Se você quiser uma placa reutilizável, pode pintar um papelão com guaxe escuro e escrever com giz claro, apagando quando quiser)

Segure o CTRL e clique nas fotos abaixo para ver alguns dos vários tipos de cartazes que já usamos na estrada:

A tática desesperada – Essa outra dica é para quando você está tentando carona a muito tempo e não há resultados. Trata-se de tentar conversar com os motoristas, quando possível (exemplo: postos de gasolina, aduanas, etc). Eu chamo de tática desesperada por que, principalmente se você for homem, perceberá que as pessoas ficam assustadas ou são grosseiras nesse tipo de abordagem. Então é uma forma mais invasiva, e que uso pouco. Para mulheres é mais fácil de abordar. E muitos (as) viajantes gostam pela oportunidade de conversar com a pessoa e ser simpático. Você pode tentar.

A hora certa de negar a carona ou descer

Como mencionei no início do artigo, um dos erros mais comuns e prejudiciais é não saber a hora de negar a carona. Sei que há momento que estamos na estrada há um tempo sem que ninguém pare, e quando um veículo para, nossa alegria e entusiasmo nos move a saltar para dentro, sem pensar em nada. Contudo, em alguns casos, o melhor é dizer não.

Caronas curtas – Se a pessoa que parou informa que só irá levar você por alguns poucos quilômetros, pense se vale a pena. Se houver mais cruzamentos e estradas que alimentam a sua nesse trajeto, pode ser uma boa. Mas pergunte se há um lugar para tentar carona como o seu.

Em geral, não vale a pena pegar caronas muito curtas, tanto por que pode não haver bons lugares para ficar na estrada, quanto por que você perde prioridade na fila de caronas. Isto é, se uma pessoa ocupa seu lugar após sua saída, um veículo passará antes por ela e você perderá sua carona (algo freqüente em lugares movimentados).

Outra situação que é melhor negar é quando uma pessoa oferece “daqui 5 KM há um local onde entram e saem muitos caminhões, posso te deixar lá”. Isso, pois, você reduzirá suas possibilidades a esses poucos caminhões. Mas já pensou no caso de nenhum deles parar para você? Você estará em uma reta, lugar ruim ou “no meio do nada”.

Caronas que deixam no meio da estrada – Outra situação ruim é ficar no meio da estrada. Se a pessoa que parou for entrar para dentro de um pequeno povoado que sai da rodovia, pergunte se há um ponto antes que seja bom para você ficar (que tenha os requisitos que mencionamos neste artigo, preferencialmente o último posto de gasolina). Se houver e você achar que andará uma boa distância, aceite.

No contrário, a pessoa poderá lhe deixar no meio de uma estrada, com uma reta ampla, onde os carros passam muito rápido e ninguém para – aí o melhor é negar a carona (dica: há muitas pessoas que têm mais medo de dar carona quando é bem no meio da estrada, em lugares desertos; outra coisa: se você optar por pegar a carona e for saltar antes da pessoa dobrar para um pequeno povoado, sempre vá lembrando pelo caminho, ou a pessoa poderá esquecer de você). Entrar no povoado não costuma ser boa ideia.

Intuição – Se sua intuição diz que a pessoa que está dirigindo não traz segurança, não suba no veículo. Comigo nunca aconteceu, seja viajando sozinho, ou em casal, mas o dia que sentir algo estranho, seguramente, negarei a carona.

Dentro do carro

Chegou a hora, você conseguiu sua carona! E agora, como agir?

É normal ficar tímido em suas primeiras caronas, algo que se acostuma com o tempo. Para viajar bem, basta ser uma pessoa educada, flexível, e legal.

Respeite pontos de vista e evite polêmicas – Lembre-se que seu/sua companheiro (a) de viagem não precisa concordar com todos os seus pontos de vista – e nem você com os dele (a). Evite polêmicas e discussões fervorosas, se o assunto estiver indo nessa direção, mude-o (dica: evitar assuntos de política e religião já acabam com quase 100% das possibilidades).

Tenha “modos” – Fique confortável em seu assento, mas não precisa esparramar-se pelo banco. Seus pés seguirão melhor no chão e não em cima do painel do veículo. Resumindo, evite movimentos bruscos, ou que possam ofender quem vai dirigindo.

Converse – Normalmente, quem da carona quer uma companhia para a viagem ou tem interesse em sua história de vida e viagem – “quem é esse (a) doido (a) aê?!”. Sendo assim, é altamente recomendado que você seja social e converse ao longo da estrada. Algumas pessoas são tímidas, mas depois das suas primeiras palavras e perguntas, a conversa fluirá e o trajeto ficará “mais curto” e divertido para ambos. Outro ponto é que algumas pessoas têm preconceito com mochileiros (as), algo que é desconstruído quando percebem que temos assuntos variados, lemos, estamos antenados nas coisas e somos inteligentes – gerando uma certa surpresa para o (a) motorista.

Ah, é importante fazer perguntas, interessar-se pelo (a) outro (a) e não apenas falar de você. Perguntar onde a pessoa mora, com que trabalha, se costuma dar carona, se tem filhos, se já viajou, etc, são bons assuntos. Uma boa conversa pode gerar uma amizade duradoura e/ou até uns quilômetros a mais ou um lugar para dormir – algo que acontece frequentemente em minhas viagens.

Se a pessoa é monosilábica ou demonstra não querer conversar, tudo bem, apenas não insista e torça para chegar logo.

Combine um lugar para descer – Depois que o ambiente já estiver mais amistoso, diga até onde você quer chegar e pergunte onde seria um bom ponto para descer. Pergunte detalhes de como é o lugar para não ser deixado (a) em um ponto ruim. Falar isso em cima da hora será ruim, o melhor será falar antes para ter possibilidades pelo caminho.

seta-instinto-viajante Dicas para pegar carona de forma segura

Repito: viajar de carona não é perigoso. Viajar em dupla é ainda mais tranquilo.

Viajantes sofrem mais delitos nas cidades, terminais, hostels, etc, do que durante uma carona. Eu e Isabela já fomos roubados em uma trilha, em Bariloche, mas, em centenas de caronas, nunca tivemos problemas, seja solo ou em casal. Não vão levar seu fígado!

Contudo, podem haver situações desagradáveis, principalmente quando se trata de assédio sexual contra mulheres, pois infelizmente nossa sociedade (global) é muito machista – mas, acredite, é minoria dentre os que dão carona. Outra possibilidade é o (a) motorista dirigir mais rápido/imprudente do que te agrada. Deixamos agora alguns truques para conduzir bem a viagem e evitar problemas.

Escolha boas roupas – Vestir roupas coloridas, brilhantes ou refletivas são uma boa para poder ser enxergado (a) na estrada e não ser atropelado (a). Você pode vestir-se como quiser, mas evitar roupas que mexam com a criatividade sexual-machista das pessoas irá te ajudar.

Escute sua intuição – Como falei anteriormente, siga sempre sua intuição, pois ela é a maior arma do (a) viajante. Se você não sente segurança, dê uma desculpa, e não entre no veículo (você pode dizer que se enganou de cidade, ou que ainda vai esperar um amigo). Se a conversa está esquisita e você não consegue mudar o rumo dos assuntos, invente uma desculpa e peça para descer. Uma boa é dizer que está com dor de barriga e descer em algum posto de gasolina.

Evite viajar de noite – Eu nunca tento carona noturnas, não há necessidade. Acorde cedo e faça seu trajeto durante o dia. Se não conseguir, durma onde chegou e tente pela manhã.

A dica da placa do carro – A maioria dos blogs de viagem dizem que uma boa forma de manter-se em segurança é olhar a placa do carro e enviar uma mensagem para alguém com o número. Para mim isso é uma utopia. Tudo é muito rápido e é difícil estar atento a placa, memorizar e enviar a mensagem disfarçadamente. Ademais, acho desnecessário, isso não te trará segurança, apenas ajudará a encontrar seu corpo se houver algo. Desencane disso.

Nunca deixei seus pertences no carro – Se, por algum motivo, vocês combinarem de se separar e voltar a se encontrar em outro ponto, desça com seu mochilão, bagagem e/ou equipamentos. Um exemplo em que isso pode acontecer é durante passagens por fronteiras e aduanas.

Sempre mantenha seus documentos, dinheiro, câmera e itens mais importantes em uma mochila de ataque (pequena), em suas mãos. No mochilão vão as roupas e outros itens. Assim, se houver algo, você terá as coisas mais importantes.

seta-instinto-viajante E se eu ficar no meio da estrada?

Não conseguir chegar é uma hipótese para qual você precisa se preparar. Ter barraca de camping, saco de dormir, e fogareiro já fará de você bastante independente. Nesse caso, apenas ache um lugar, acampe e durma (você também pode achar um albergue).

Eu não tenho o fogareiro, mas sempre levo comida para a estrada, como frutas, sanduíches, ovos cozidos e água.

Veja lugares que você pode dormir pelo caminho:

  • Tentar uma hospedagem barata ou de graça;
  • Postos de gasolina (preferencialmente um 24h);
  • Terminais (pergunte se é 24h), aeroportos, etc;
  • Polícia rodoviária, Bombeiros, e afins;
  • Quando for um caminhão que viajará uma longa distância, pedir para acampar ao lado do veículo;
  • Instituições religiosas, templos, etc;
  • Acampar – veja antes se o lugar parece seguro, converse com algumas pessoas, peça permissão (se for o caso), e nunca deixe sua barraca muito exposta, quanto menos pessoas verem você, melhor. Leia também: como escolher uma barraca de camping para viajar

Grandes cidades sempre são mais complicadas para chegar de noite e/ou dormir em qualquer lado. Se você estiver a caminho de uma cidade grande, e não tiver nada combinado, como um CouchSurfing, e não puder pagar uma hospedagem, peça para descer na última cidade pequena ou povoado.

Vale também usar sua simpatia para tentar ganhar um canto para dormir tornando-se amigo (a) do (a) motorista. Ir conversando pelo caminho para mostrar que não é nenhum (a) psicopata e perguntar se a pessoa conhece algum lugar para acampar livre na cidade que irá ficar, ou se a mesma é perigosa, poderão ajudar, já que deixa claro que você precisa de ajuda.

seta-instinto-viajante Quanto tempo demora uma carona na estrada?

Controle sua ansiedade =)

O tempo de espera depende de muitas variáveis, portanto é impossível prever ou dar uma média. Outra coisa é que cada época do ano, região, horário, quantidade de pessoas, quantidade de veículos na estrada, cultura, interfere.

Eu já fiquei menos de um minuto, já consegui carona antes de levantar a placa, mas também já fiquei mais de 15 horas, tanto sozinho, quanto em casal. O que posso dizer é que, seguindo as dicas de viagem desse manual, você aumentará MUITO suas chances.

Aceite quando não der

Saiba o momento de desistir, realmente há vezes onde não vale a pena esperar pela carona e o melhor é tomar um ônibus até outro ponto ou até seu destino final. Isso acontece muito quando estamos muito próximos de cidades grandes e capitais, onde o medo e indiferença são mais presentes.

Estude suas possibilidades, eu e a Isabela ficamos dois dias tentando carona em Três Lagos, uma pequena cidade da Patagônia argentina, por que o ônibus era muito caro para sair e com horário único.

seta-instinto-viajante Outras formas para viajar de carona

Viajar pegando carona na estrada é mas indicado para quem possui tempo livre para viajar. Se você possui um prazo apertado, vale a pena tentar essas outras formas de caronas.

Apps e sites de carona – Existem dezenas de aplicativos e sites de carona solidária ou carona combinada. A maioria deles funciona da seguinte maneira: pessoas se conhecem por mensagens, combinam um trajeto, e dividem os custos da viagem. Alguns dos principais são: BlaBlaCarZaznuBeepMeZumpy. Há também grupos de carona no Facebook. Para saber mais aplicativos que deixam a viagem melhor e mais barata, clique aqui.

Viajar de carona em barcos e veleiros – Existem sites e truques para conseguir atravessar o mundo de carona em barcos e veleiros. Para saber dicas deste tipo específico de carona veja este artigo.

Viajar de carona em aviões – Parece mentira, mas é possível viajar de carona em pequenos aviões em vários lugares do mundo. Nós escrevemos todo o passo a passo para fazer isso no Brasil, no artigo como viajar de carona nos aviões da FAB.

seta-instinto-viajante Considerações finais sobre viagens de carona

A carona depende apenas de uma pessoa querendo chegar a um destino e outra de coração solidário, disposta a levar. Talvez por isso, viajar de carona seja tão romântico, e exemplo de amor puro. O verdadeiro fazer o bem sem olhar a quem, afinal essas pessoas nem se conhecem, mas estão dispostas a compartilhar um momento juntas.

Você pode viajar de carona para economizar dinheiro, para conhecer pessoas e culturas, ou para diminuir sua pegada de carbono no mundo. Mas eu acho que você deveria experimentar tão breve essa forma de viagem que é realmente um estilo de vida. Ainda não conheci uma pessoa que tenha experimentado e tenha se arrependido, mesmo que tenha tido alguma experiência ruim. É viciante!

Considere viajar de carona! Obrigado pela leitura e tenha uma ótima viagem!

Gostou do artigo? Então ajude o Instinto Viajante a se manter no ar =) Clique aqui e doe quanto quiser. Obrigado!

Se esse artigo lhe ajudou pode ajudar outros viajantes, curta e compartilhe =)

seta-instinto-viajante Mais dicas de viagem

Ficou alguma dúvida ou quer dar outras dicas sobre viajar de carona? Conte para nós nos comentários!

Curta Instinto Viajante no Facebook e siga-nos pelo Instagram


« | »

Sobre