Como viajar sem dinheiro pelo mundo (todos os truques)

Como viajar sem dinheiro

Como viajar sem dinheiro: deslocamento, hospedagens gratuitas e alimentação

Dicas de como viajar sem dinheiro pelo mundo

Como viajar de graçaÉ realmente possível viajar sem dinheiro? Sim, é. E nós vamos mostrar como agora.

Já ensinamos aqui, no Instinto Viajante, como conseguir passagens aéreas baratas, economizar durante a viagem, e diversas outras dicas para viajar muito barato pelo mundo.

Contudo, existem viajantes que vão além do low cost e buscam como viajar pelo mundo de graça. Eu viajei sem dinheiro nenhum pelo Brasil, Uruguai e Argentina, durante 8 meses, e hoje quero ensinar para você como fiz isso.

Por quê viajar sem dinheiro?

como-viajar-sem-dinheiro-pelo-mundo

Into The Wild: Christopher McCandless, o Alexander Supertramp, feliz e livre no Magic Bus

Você pode escolher viajar sem dinheiro por diversos motivos. Normalmente porque não possui grana para bancar viagens longas, mas também por desapego, protesto, aprendizado (como citei aqui), porque não quer gastar durante a viagem, e muitos outros motivos pessoais que cada mochileiro e mochileira possuem.

Viajar sem dinheiro nos dias de hoje, com a ajuda da internet, é bem mais fácil e não chega a representar um feito tão espetacular. Basicamente você viaja fazendo uma espécie de escambo, trocando trabalho por comida e hospedagem quando precisa, ou por algo mais que julgar necessário.

Além disso, depende da solidariedade diversas vezes, e é muito ajudado por pessoas desconhecidas – aprendi que as pessoas boas existem e são maioria no mundo.

Necessidades reais ao viajar sem dinheiro

É importante entender que, normalmente, para viajar sem dinheiro você precisa basicamente de duas coisas apenas: lugar para dormir e comida. Qualquer coisa além disso representa um luxo que você pode ter, mas que não necessita efetivamente ter. Você, provavelmente, vai rir quando ouvir alguém dizer que “precisa” de um novo iPhone depois de viajar uns meses sem dinheiro (mencionei isso aqui).

Sua viagem sem dinheiro irá englobar três grandes preocupações: como se deslocar ao viajar sem dinheirocomo se hospedar sem dinheiro e como conseguir comida sem dinheiro. Veja a seguir cada um desses pontos.

Leia todo artigo sobre como viajar sem dinheiro ou escolha o tópico no índice para ir direto ao assunto.

Índice

  1. Como se deslocar sem dinheiro
  2. Como se hospedar sem dinheiro
  3. Como conseguir comida sem dinheiro
  4. O que saber antes de viajar sem dinheiro
  5. E se nada der certo?
  6. Outras pessoas que foram viver ou viajar sem dinheiro
  7. Meus conselhos para sua viagem sem dinheiro

Ajude o Instinto Viajante a se manter no ar =) Clique aqui e doe quanto quiser. Obrigado!

1. Como viajar sem dinheiro: deslocamento

como-viajar-sem-dinheiro-carona

Você pode optar por viagens com mais liberdade. Para isso, há a opção de ir de bicicleta, por exemplo, em uma cicloviagem, deslocando-se gratuitamente sem depender de ninguém.

Mas caso, assim como eu, vá sem nada, seu deslocamento gratuito será quase sempre de carona. Para viajar de carona você pode:

Pegar caronas em estradas – Estradas e postos de gasolina são a maneira mais comum de viajar sem dinheiro.

Pegar caronas combinadas – Você pode ir combinando caronas em sites de carona e grupos no Facebook.

Saiba todas as dicas de como viajar de carona

Pegar caronas em barcos – Há ainda diversas formas de conseguir caronas em veleiros, como expliquei em como viajar de carona em barcos e veleiros pelo mundo.

Pegar caronas em aviões da FAB – É possível se cadastrar na fila de espera para conseguir vôos gratuitos pela Força Aérea Brasileira (FAB). Saiba como viajar de graça pela FAB.

2. Como viajar sem dinheiro: hospedagem

como-viajar-sem-dinheiro-hospedagem

Para se hospedar sem dinheiro há diversas possibilidades, como veremos adiante.

► Sites de hospedagens gratuitas

CouchSurfing – é o maior site de intercâmbio cultural e trocas de hospedagem solidária do mundo, com mais de 1 milhão de membros espalhados por mais de 180 países. O site é uma rede social para viajantes (como o Facebook), onde as pessoas se conhecem, trocam informações sobre lugares e viagens, e hospedam viajantes de graça. O cadastro é gratuito e a comunicação entre as pessoas também. Caso queira, a pessoa poderá solicitar a comprovação de seu endereço, para passar mais credibilidade em seu perfil, essa certificação não é obrigatória e custa um taxa única de cerca de US$ 15,00. Há muitos usuários no Brasil e América do Sul. Saiba todas as dicas para conseguir CouchSurfing em qualquer lugar do mundo.

Hospitality Club Internacional & Hospitality Club em português – é o segundo maior serviço de hospitalidade do mundo. O site junta anfitriões e hóspedes, viajantes e habitantes locais, promovendo o intercâmbio cultural e trocas de hospedagens gratuitas entre viajantes. O cadastro é gratuito e possui vários idiomas.

► Sites de troca de trabalho por hospedagem (e muitas vezes alimentação)

Sites para buscar trabalhos que oferecem comida e hospedagem ajudam muito para viajar sem dinheiro.

  • Workaway – geralmente envolvendo iniciativas ecológicas, sociais e voluntárias. O cadastro é gratuito, mas é preciso pagar uma taxa bianual para conseguir enviar mensagens aos hosts. Há diversos cadastros em cidades brasileiras;
  • Help X – outro site de troca de trabalho por hospedagem e alimentação parecido com o Workaway, e com causas e iniciativas similares. O cadastro é gratuito e a utilização é mediante ao pagamento de uma taxa. É um site mais indicado para pessoas que viajam no exterior, pois ainda é pouco desenvolvido no Brasil;
  • WWOOF Internacional & WWOOF Brasil – site de troca de hospedagem e alimentação por trabalho em fazendas orgânicas pelo mundo inteiro. Normalmente trabalhos ligados às vivências com agricultura, terra, ecovilas, permacultura e bioconstrução. O cadastro custa US$ 38,00 e é válido por um ano. Este site está crescendo no Brasil e América do Sul, mas ainda é amplamente utilizado apenas na Europa. Seu ponto negativo é exigir um cadastro para cada país;
  • Worldpackers – similar ao Workaway, mas é voltado para hostels (albergues) e pousadas. Cobra uma taxa de ativação da conta para fazer contato com os anfitriões. Há diversos cadastros em cidades brasileiras;
  • Any Work Any Where – site que troca trabalho por hospedagem e comida, e, em alguns casos, também remunera. Ainda pouco difundido no Brasil.

House sitting – site onde as pessoas se candidatam para tomar conta das casas de pessoas que saem para viajar. Os viajantes cuidam das casas e em troca ficam hospedados e se alimentam – em alguns casos, sendo pagos pelo serviço. Na maioria dos sites de House sitting há uma taxa para cadastro e a modalidade é mais desenvolvida na Europa e Estados Unidos. Alguns sites relacionados:

Trabalhar colhendo frutas – alguns sites unem empresas e viajantes, que querem trabalhar colhendo frutas em fazendas, para financiar suas viagens. Alguns deles são:

Opções ainda pouco disseminadas no Brasil e América do Sul, sendo mais utilizadas na Europa e América do Norte.

A cultura dos membros destes sites é sempre bem legal, com pessoas abertas a conhecer novos costumes, e sempre baseada na confiança e respeito.

► Outras possibilidades de hospedagens para viajar sem dinheiro

Grupos de redes sociais – grupos de viajantes em redes sociais podem ajudá-lo a viajar sem dinheiro e conseguir uma hospedagem gratuita. No Facebook, por exemplo, existem os seguintes grupos que você pode tentar:

Ecovilas – ecovilas são ótimas opções para conseguir hospedagem gratuita e comida ao viajar sem dinheiro. Muitas delas aceitam a permuta por algumas horas de trabalho, e você poderá contribuir com causas nobres, ligadas à sociedade e meio-ambiente, normalmente aprendendo técnicas de permacultura e bioarquitetura. Veja aqui o Mapa EcoAldeas AbyaYala de ecovilas no Brasil e América do Sul.

Centros religiosos – igrejas e comunidades religiosas estão (ou deveriam estar) sempre abertas a quaisquer pessoas, seguindo o princípio do “fazer o bem sem olhar a quem”, e isso pode ajudá-lo quando precisar comer e se hospedar sem dinheiro. Eu passei uma semana em uma fazenda Hare Krishna em Paraty/RJ, a Goura Vrindávana, onde troquei ajuda e trabalho por hospedagem e comida.

Canais próprios – você pode usar seus canais próprios, habilidades para trabalhar na estrada, e criatividade para conseguir hospedagem e alimentação sem dinheiro. No meu caso, algumas vezes, já consegui lugar para me hospedar e alimentação, através das pessoas que seguem a Fanpage do Instinto Viajante no Facebook, ou oferecendo resenhas que faço para o site do Instinto Viajante em troca de hospedagens cortesias.

Pessoalmente – ir à moda antiga, pessoalmente contando sua história e projeto, oferecendo ajuda em troca de comida e hospedagem, ou o que precisar. Isso normalmente funciona em restaurantes ou hospedagens (pousadas, camping, hostel, etc).

Camping selvagem – se todas as possibilidades acima não lhe derem uma hospedagem gratuita, vale acampar em áreas mais desertas ou nos fundos de locais mais seguros das cidades, como postos de gasolina, delegacias e postos da polícia Federal. Consulte antes sobre a região e tente conversar (se preciso pedir autorização) com moradores locais, antes de acampar.

Dormir ou passar a noite em locais seguros – locais das cidades, como aeroportos, terminais rodoviários, e postos de gasolina 24hs, normalmente, possuem banheiros e água disponíveis, e é possível passar a noite, mesmo sem acampar.

Leia mais: o passo a passo para viajar sem pagar hospedagens

► Outros sites de interesse para viajar sem dinheiro

Craigslist – existem diversos fóruns ligados à causas sociais e ambientais que você pode participar, ajudar e permutar uma hospedagem gratuita. O mais famoso deles é o Craigslist, mas ainda pouco utilizado no Brasil e América do Sul, sendo amplamente utilizado na Europa e América do Norte.

Projeto ViraVolta – a Carol, do site ViraVolta, um projeto de viagens longas como base para transformações de vidas, dá várias dicas bem legais para quem quer viajar low cost ou sem grana nesse artigo.

As formas que mais utilizo para me hospedar são Couchsurfing, Workaway, canais próprios, e camping selvagem (quando não tenho outra opção), mas tudo varia de lugar para lugar, e das diversas situações que a estrada propicia a qualquer viajante.

3. Como viajar sem dinheiro: alimentação

como-viajar-sem-dinheiro-alimentacao

A primeira coisa que você precisa entender é: você não vai morrer de fome! Fique tranquilo. Você pode até não comer na hora que quiser ou o que quiser, mas comer você vai.

Aceitar ofertas – normalmente, a pessoa que hospeda um viajante sem dinheiro acaba oferecendo comida. Simplesmente aceite-as, afinal você precisa e a oferta é de coração. Não costumo pedir (jeito pessoal meu), portanto quando não me oferecem parto para as opções seguintes.

Alimentos descartados – frutas, legumes e vegetais que irão para o lixo em sacolões, hortifrutis, feiras e mercados. O segredo é ir de manhã bem cedo, no máximo às 7 horas, e perguntar se pode pegar frutas, verduras e legumes que irão para o lixo. Alguns locais não permitem pegar, para estes use desculpas como você estar pegando para seu viveiro de passarinhos. É incrivelmente assustador, mas isso costuma dar mais certo do que dizer que é pra consumo próprio.

Pedir comida – fiz uma única vez, mas conheço viajantes que já fizeram algumas vezes. Explicar sobre sua viagem sem dinheiro e pedir marmitas em restaurantes. Costuma dar mais certo quando se vai no fim do horário do almoço, após as 15 horas, mas nada o impede tentar antes.

Pedir para trabalhar por comida – você também pode oferecer trabalhos quaisquer nos lugares em troca de comida.

No meu caso, as pessoas me oferecem comida ao me hospedarem ou mesmo nas ruas ao me conhecerem. Quando isso não ocorre, costumo ir nos descartes de sacolões, hortifruti e mercados.

4. Como viajar sem dinheiro: o que saber antes de ir

como-viajar-sem-dinheiro

► O lado romântico de viajar sem dinheiro

Um mundo de coisas gratuitas – você perceberá a quantidade de coisas boas e maravilhosas que o mundo oferece gratuitamente, como passeios em parques, andar de bicicleta, caminhar, fazer trilhas, praias, cachoeiras, rios, lagos, namorar e diversas outras coisas que variam de cidade para cidade.

Centenas de pessoas pelo caminho – você inevitavelmente irá conhecer centenas de pessoas, seja porque precisará conversar muito para conseguir chegar nos lugares, já que não tem dinheiro; seja porque as pessoas acharão sua história curiosa e pararão para lhe ouvir. Sua viagem só é possível por conta das pessoas, lembre-se disso.

Viajar sem dinheiro ensina muitas coisas – desde a humildade até a percepção do que realmente lhe é necessário, e as coisas simples da vida que lhe deixam feliz, viajar sem dinheiro ensina bastante. Veja a lista com coisas que aprendi ao viajar sem dinheiro.

Imprevisibilidade – as coisas serão sempre imprevisíveis. Você não sabe onde irá dormir exatamente e nem onde, como e o que irá comer. Suas respostas terão sempre a palavra “provavelmente” para definir suas “certezas” ao responder sobre algo futuro. Isso é divertido, acredite.

Menos estresse, menos responsabilidade – Você não tem mais trabalho, logo não tem, ou é muito pequeno, seu estresse e responsabilidade. Costumo dizer que, viajando sem dinheiro, meu estresse e responsabilidade são apenas, me manter seguro e conseguir um lugar para dormir, e um para comer.

Não ter trabalho fixo – você não terá mais trabalho fixo e, por conseguinte, não terá mais chefe, contas à pagar, horários e todos os laços trabalhistas. Bem vindo (a) a vida leve!

Curtir uma vida simples – se você quiser e se permitir, poderá frequentemente tomar café da manhã com frutas sob à cachoeira ou almoçar ao lado de um cartão postal; dormir vendo o céu estrelado ou ouvindo o barulho do mar; e por aí vai…

Felicidade abundante – se você se adaptar e gostar da nova vida tenha certeza que será muito feliz, uma felicidade verdadeira e abundante. Aproveite o tempo livre para contribuir com causas humanas, sociais e ambientais e ecológicas, sua felicidade será ainda mais verdadeira e multiplicada. Não só tenha felicidade, propicie felicidade para outros irmãos. Multiplique!

► O lado menos romântico de viajar sem dinheiro

Não escolher trabalho – às vezes você não precisará trabalhar, outras terá um trabalho e outras mais, um serviço pesado, saiba lidar com isso. Você estará exposto a diversos tipos de tarefas que nunca fez ou se imaginou fazendo. Mas isso também é uma questão de escolha sua, lembre-se disso.

Controlar desejos – você provavelmente irá conseguir controlar seus desejos e rever suas reais necessidades de vida. Caso não se acostume com a rotina de não desejar nada (ou ao menos não ter acesso a todos os desejos que tiver quando quiser) você desistirá de viajar sem dinheiro. Viajar sem dinheiro é passar em frente a sorveteria sob um sol de 40 graus, ver alguém chupando um picolé e não poder comprar. Significa comer Nutella um dia e pão dormido em outro. Entenda isso, aprenda a conviver, ou desista da viagem totalmente sem dinheiro. Viajar sem dinheiro significa comer coisas comuns e geralmente mais nutritivas, pois são mais baratas (frutas, legumes, verduras) e ter refrigerantes e bebidas alcoólicas raramente. Viajar sem dinheiro normalmente significa ter as coisas quando tudo conspira a seu favor e não necessariamente quando você quer. Dance com o Universo ou saia da roda.

Sofrer olhares discriminatórios – você vai algumas vezes sofrer olhares repulsivos ou discriminatórios, ser chamado de vagabundo ou sentir uma insinuação parecida. Também ouvirá conselhos chatos e sermões sobre a vida que tem levado e o futuro. Sim, isso é chato e vai acontecer. O que fazer? Ouvir e ignorar, caso não concorde com o que está ouvindo. Simples assim.

5. E se nada der certo?

Dificilmente tudo dá errado, pois algo sempre conspira a favor. De qualquer forma, se nada der certo, as cartas na manga são:

Se der TUDO errado – procure ajuda em instituições religiosas, projetos sociais, ONG’s, autoridades policiais (policia, bombeiros), hospitais públicos, escolas públicas, prefeituras, etc. Não tenha vergonha, nem medo.

Saber a hora de parar – a estrada (ou melhor, a vida) funciona como um jogador de cassino. Você precisa saber quando não da mais para seguir em frente, independente de quanto tenha prometido ou falado aos quatro cantos do mundo e para todos os amigos. Você precisa saber quando parar. Lembre-se que a viagem é sua, que você está mochilando porque quer e nas condições que quer, ninguém te obrigou a nada, nem lhe impôs regras e rótulos. Se algo não lhe agrada mais ou não está fluindo como você achou que seria ou gostaria, apenas aperte stop. Não é vergonha mudar as cartas na mesa. Não é vergonha voltar atrás. Não é vergonha voltar para casa. Todas são possibilidades suas com você mesmo. Você está no controle. Saiba até onde pode e, principalmente, quer ir. As críticas existirão, mas elas normalmente virão de pessoas que nunca foram tão longe quanto você.

6. Outras pessoas que foram viver ou viajar sem dinheiro

Com a Cara e a Coragem – o Rogério Chimionato largou tudo para viajar sem dinheiro pelo Brasil e está na estrada desde janeiro de 2014, com planos de zarpar para outras terras no mundo. Cheguei a hospedá-lo antes da minha viagem sem dinheiro e foi uma das minhas certezas de que era possível viajar sem dinheiro. Atualmente também possui seu canal no Youtube: O Poder do Foda-se.

Volta ao Mundo da Carol – a Carolina Bernardes também foi viajar sem dinheiro e sozinha há um tempo. Além do seu site você pode acompanhar suas crônicas, histórias e dicas na sua página no Facebook.

Os Lugares de Cada Um – o Leonardo Maceira saiu para viajar sem dinheiro pela América do Sul há meses. Seus relatos podem ser acompanhados no seu site e na sua página do Facebook.

Projeto Sem Dinheiro – o Renan Cossatis saiu no início de 2014 do Rio de Janeiro para viajar sem dinheiro pela América do Sul de carona e também conta suas histórias no Facebook.

Literatura para viajar sem dinheiro – o livro O homem sem grana de Mark Boyle, ativista e fundador da comunidade Free-Economy que funciona sem dinheiro, foi uma das minhas maiores inspirações para mudar meu estilo de vida e decidir viajar sem dinheiro, pode ser interessante lê-lo. Saiba um pouco mais sobre o livro aqui.

7. Meus conselhos para sua viagem sem dinheiro

Viajar sem dinheiro não é fazer turismo – Primeiro, entenda que, viajar sem dinheiro, é muito diferente de fazer turismo. Você conseguirá deslocar-se, dormir, comer, viver sem dinheiro, ter muitas histórias e ser feliz. Mas realizar atividades nem sempre é fácil. Por exemplo, eu viajei pelo Brasil e Uruguai muito bem por que as atrações eram a natureza e nesses países, geralmente, são de graça, como parques, praias e cachoeiras. Contudo, na passagem pela Patagônia argentina e chilena, depois que passei a usar dinheiro, vi que não conseguiria fazer metade das coisas que fiz (viajando com pouco dinheiro), se estivesse sem nada, como antes.

Timidez – sua timidez ou vergonha não vão lhe ajudar em nada ao viajar sem dinheiro. Converse com o máximo de pessoas que puder, isso poderá lhe render amigos e experiências únicas, além de comida e hospedagem em alguns casos. Quando não tiver onde dormir ou o que comer vá de encontro às possibilidades, procure lugares e converse com as pessoas.

Contagie – coloque seu melhor sorriso no rosto e saia pelo mundo. O sorriso, a simpatia, a simplicidade, a felicidade plena, a humildade, são armas poderosas para contagiar qualquer pessoa e fazer com que você consiga viajar sem dinheiro. Use-as!

Minimize os riscos – tente ter ao menos um lugar para dormir antes de chegar nas cidades. Faça contatos antecipados pela internet e combine com as pessoas através dos sites que citei. Viajar sem dinheiro não precisa necessariamente ser passar dificuldades diariamente.

Use seus talentos – faça uso dos seus talentos e habilidades para facilitar ao viajar sem dinheiro. Você sabe dançar, cantar, pintar, cozinhar, fazer malabarismo, fazer artesanato ou qualquer outra coisa? Use isso a seu favor. Você pode trocar diversos tipos de habilidades pelo que precisa. Durante minha viagem sem dinheiro já pintei, ajudei em obras, fotografei, escrevi, avaliei hostels, e diversas outras coisas em troca do que precisei. Faça isso, seja criativo e facilite sua viagem sem dinheiro.

Barraca de camping – leve uma barraca de camping na viagem, isso te dará mais opções de onde dormir. Viajar sem dinheiro e sem barraca pode ser inviável.

Leveza – tenha leveza ao viajar sem dinheiro. Esqueça o dinheiro e curta a leveza de uma vida pura e de felicidade plena sem ele. Viva e curta o “ser” em detrimento do “ter”.

Não crie regras – lembre-se que viajar sem dinheiro pode ser uma necessidade, mas também é uma opção e não há nada de errado em desistir de viajar sem dinheiro ao longo da trip se não estiver dando certo ou lhe proporcionando alegria. A viagem deve ser acima de tudo uma busca por aprendizados e felicidades e se isso não está ocorrendo reveja onde pode mudar para melhorar. Seja uma metamorfoses e não uma pessoa presa à regras.

Não sinta-se incapaz – eu não sei cozinhar, fazer artesanatos, malabares, capinar, construir, não sei criar nada de mais, não tenho experiência com limpezas e arrumações, não falo outros idiomas, e ainda assim isso não me impediu de viajar sem dinheiro – ajudei muita gente em diversas coisas pelo caminho. Você pode não fazer perfeito, mas pode dar seu melhor e com boa vontade.

Frio na barriga – o medo e frio na barriga são normais quando se sai para viajar sem dinheiro, mas eles duram no máximo a primeira semana. Depois as coisas fluem, dão certo, você se acostuma, aprende a lidar com as situações e cria o know how da vida na estrada sem dinheiro. A partir daí você já estará inserido no novo contexto, no seu novo estilo de vida e restará viver e curtir a vida que escolheu.

Curta cada momento ao viajar sem dinheiro, os bons e os ruins, afinal essa jornada será inesquecível, para você e para as pessoas que conviverem com você no caminho.

como-viajar-sem-dinheiro

Vlog de viagem

Assista ao vídeo no Vlog do Instinto Viajante, onde falo um pouco sobre esse tema:

Se esse artigo lhe ajudou a viajar sem dinheiro pode ajudar outros viajantes, curta e compartilhe =)

Caso tenha dúvidas sobre viajar sem dinheiro, pergunte e tentarei ajudar – sua dúvida pode ser a mesma de outros viajantes. Se tiver mais dicas, deixe nos comentários.

Curta Instinto Viajante no Facebook e siga-nos pelo Instagram

Ilustrações: cenas do filme Into The Wild (Na Natureza Selvagem)


« | »

Sobre