Como viajar sem pagar hospedagem (6 passos fáceis e infalíveis)

viajar-sem-pagar-hospedagem

Dicas de viagem matadoras para viajar sem gastar dinheiro com hospedagem

Muitos blogs de viagem escrevem artigos sobre como conseguir viajar sem pagar hospedagem, e apresentam diversos sites buscadores de hospedagens gratuitas. Contudo, vejo vários viajantes relatando que não conseguem viajar sem pagar hospedagem.

Nós, do Instinto Viajante, já ajudamos os viajantes sem dinheiro em como encontrar hospedagens baratas (ou de graça), onde mostramos muitos sites para buscar lugares para dormir muito baratos ou de graça. Mas hoje vamos mostrar quais destes meios eu e minha namorada mais usamos, e que mais têm nos dado resultados, em 6 passos simples e fáceis para viajar sem pagar hospedagem.

Este artigo faz parte da série Guia viajando barato pelo mundo

viajar-sem-pagar-hospedagem

Como viajar sem pagar hospedagem

Viajei sozinho e com a Isabela por mais de um ano e meio sem pagar NENHUMA hospedagem (isso mesmo, nenhuma). E vou mostrar agora como conseguimos. Este artigo é um passo a passo detalhado para que você – homem, mulher ou casal – consiga, com facilidade, hospedar-se de graça em qualquer lugar do mundo. Obrigado pela visita e boa viagem!

Achamos interessante acompanhar o artigo completo, mas você pode ir direto ao assunto de seu interesse, clicando nos links abaixo

Os 6 passos simples e infalíveis para conseguir viajar sem pagar pernoite:

1. Buscar no CouchSurfing
2. Usar grupos de viagem e viajantes
3. Buscar no Workaway
4. Usar canais próprios
5. Buscar grupos das cidades
6. Acampar

Ajude o Instinto Viajante a se manter no ar =) Clique aqui e doe quanto quiser. Obrigado!

seta-instinto-viajante Passo 1: Buscar no CouchSurfing

Depois que defino para onde vou viajar, começo a buscar alguma pessoa disposta a me hospedar de graça pelo CouchSurfing (leia tudo sobre como usar o site e como ter respostas positivas).

Essa mensagem eu envio com pelo menos uma semana de antecedência para que dê tempo das pessoas verem minhas mensagens. Ainda assim, quando não consigo enviar as mensagens antes, envio em cima da hora mesmo. Sempre tento o couch. Em geral, é por onde consigo a maioria das minhas hospedagens gratuitas, onde conheci muitos (as) mochileiros (as), e tornei-me amigo de muitas pessoas.

(Dica: conheci muitos viajantes em bicicleta que usavam frequentemente o Warm Showers, que é bem parecido com o CouchSurfing, mas para cicloviajantes)

seta-instinto-viajante Passo 2: Usar grupos de viagem e viajantes

Quando não consigo uma hospedagem pelo CouchSurfing, parto para a segunda estratégia: buscar em grupos de viagens e viajantes das redes sociais (principalmente Facebook).

Isso já me rendeu dezenas de lugares para hospedar-me de graça, por que muitas pessoas que gostam de hospedar viajantes não estão cadastradas no CouchSurfing ou simplesmente não vêem as mensagens a tempo pelo site.

O que faço é postar uma foto minha viajando e um pequeno texto contando quem sou e o que estou fazendo. Nessa mensagem ponho meu nome, nacionalidade, por onde já viajei, para onde estou indo, como estou viajando, e o endereço da nossa fanpage da viagem, etc. E no fim digo que preciso de uma hospedagem solidária. Importante: envio a mensagem sempre no idioma falado no país que estou viajando.

Alguns grupos para buscar hospedagens solidárias:

(Dica: Existem diversos grupos de CouchSurfing que geralmente possuem em cada País, Região e Estado. Tente sempre buscar no Facebook a palavra “CouchSurfing” + “nome do seu destino de viagem”)

seta-instinto-viajante Passo 3: Buscar no Workaway

Se não encontro hospedagens grátis nas duas primeiras estratégias, começo a buscar trabalhos em troca de hospedagem e alimentação. Há vários sites para isso, mas eu sempre uso o Workaway, pois me dá mais resultados. Outra opção 100% grátis e que funciona bem é o HelpX.

No site há diferentes tipos de propostas de trabalhos voluntários em troca de diferentes recompensas. Eu só trabalho em lugares que possuem ideologia e convicções sociais parecidas com as minhas, dispensando quase todas as oportunidades que vejo que são meramente comerciais. Também nunca pago para realizar estes trabalho, pois não vejo sentido em pagar para trabalhar (sim, há muitos projetos que cobram!!!). Eu só pagaria se percebesse que é um projeto que realmente está começando e não possui fins comerciais, mas o que vejo viajando, geralmente são lugares que têm como se manter, mas mesmo assim cobram. Buscando Workaway no Peru, encontrei uma fazenda grande de café que cobrava 50 soles (equivalente a 50 reais) por dia, por pessoa (!!!). Não preciso nem dizer que rejeitei ne?

Só aceito trabalhos que não cobram e que oferecem hospedagem + alimentação (ao menos café da manhã e almoço), caso contrário não acho que vale a pena.

Ao enviar a mensagem escrevo um texto parecido ao que citei no passo 2. A seguir estão algumas perguntas que sempre faço para saber exatamente como é o local que vou ficar, as condições de trabalho, e o que vou receber em troca, na hora de buscar trabalho por hospedagem.

  • Quais são os trabalhos realizados
  • Quantas horas de trabalho por dia, e quantas vezes por semana
  • Existe tempo mínimo de estadia
  • Onde irá dormir (quarto, cama, camping, etc)
  • O trabalho é feito em troca de quantas refeições e quais
  • Sou vegetariano, tudo bem?
  • Possui Wi-Fi
  • Permite/possui animais, fumantes, crianças, bebida alcóolica, etc (* de acordo com suas necessidades)
  • Existe alguma recomendação específica? (exemplo: faz muito frio, tem muito mosquito, etc)
  • Dividem algum tipo de gasto com frequência (alimentação, cigarros, bebidas, etc)

seta-instinto-viajante Passo 4: Usar canais próprios

Os três primeiros passos quase sempre já garantem uma hospedagem grátis, mas quando não são suficientes, uso a quarta estratégia: usar canais próprios.

Você pode usar seus próprios canais, formas de trabalho e criatividade para conseguir hospedagem e alimentação sem dinheiro. Para muitos isso significa fazer artesanato, malabarismo, trabalhar com música, etc (veja formas de trabalhar viajando).

Eu não sei fazer a maioria dessas coisas, então tento comida e hospedagem através das pessoas que seguem o Instinto Viajante no Facebook, ou oferecendo publicidade na página, ou em troca de resenhas para o site do Instinto Viajante, em troca de hospedagens cortesias, através de avaliações honestas e verdadeiras de acordo com os dias em que me hospedo. Hoje em dia também conheço muitos mochileiros e mochileiras, e, vejo se eles (as) conhecem alguém nas cidades que passo.

seta-instinto-viajante Passo 5: Buscar grupos das cidades

Assim como os grupos de viagens que citei, há milhares de grupos comuns de cidades no mundo inteiro que eu uso para tentar conseguir hospedagens de graça.

Quase sempre procuro grupos de discussão das cidades, classificados de compra e venda, aluguéis de casas e apartamentos, bolsas de emprego, etc. A tática é buscar o nome do seu destino de viagem e usar os maiores grupos da cidade para enviar sua mensagem. Nem sempre funciona, mas eu já consegui algumas vezes ajudas desse jeito. A mensagem que uso é a mesma que mencionei no passo 2.

seta-instinto-viajante Passo 6: Acampar

Aplicando esses passos é muito difícil que você não consiga encontrar uma hospedagem gratuita. Mas se se nenhuma dessas estratégias funcionou, acampe!

Uma barraca de camping é a melhor amiga de um (a) viajante low cost. Considere levar uma para longas viagens, pois será a sua casa e te ajudará a economizar muito viajando.

Com uma barraca de camping você nunca ficará na mão. Busque áreas mais desertas ou nos fundos de locais mais seguros das cidades como postos de gasolina 24h, delegacias, corpo de bombeiros, e postos da polícia Federal. Eu já bati em uma casa e pedi para acampar no quintal durante minha viagem pela América do Sul.

→ Veja: como escolher uma barraca de camping para viajar

(Dica: sempre consulte sobre a segurança na região e tente conversar (se preciso pedir autorização) com moradores locais antes de acampar)

Viaje com o melhor seguro viagem internacional: World Nomads (link afiliado)

seta-instinto-viajante Mais dicas para conseguir hospedagens grátis

Antecipe-se – A maioria das pessoas que vejo que não conseguem encontrar hospedagens grátis é por que enviam mensagens desesperadas de última hora. Quanto antes você iniciar suas buscas e tentativas de hospedagens gratuitas, mais chances de conseguir. Eu, geralmente, envio mensagens com mais de uma ou duas semanas de antecedência, até um mês. Mesmo sem saber a data que vou chegar, já inicio os contatos, dando uma estimativa de chegada e trocando contatos para que possamos ir nos falando, e eu dê atualizações, conforme vou me aproximando da cidade. Isso também facilita para deixarmos de ser pessoas desconhecidas, já que vamos antecipando conversas via Whats App, Facebook, etc.

Formato das mensagens – Na hora de enviar mensagens em qualquer site ou grupo, sempre faça o possível para mencionar: seu nome, nacionalidade, por onde já viajou, para onde está indo, como está viajando, e seu blog ou página de viagem, caso possua. Priorize enviar a mensagem no idioma falado no país que está viajando, mesmo que possa conter erros, ao invés de padronizar o idioma inglês. Isso demonstra respeito e ganha a simpatia das pessoas.

Peça o máximo de dados – Quando conseguir sua hospedagem grátis, peça o máximo de informações para a pessoa, pois muitos passam poucos dados, tornando uma tarefa mais difícil encontrar os domicílios. Peça sempre: localização pelo Whats App, Facebook, etc; endereço completo (mesmo tendo a localização, pois o GPS possui margem de erro); referências para chegar; como é a casa; se há internet livre próximo da casa/apartamento ou se a pessoa pode lhe passar a senha do Wi-Fi, caso tenha.

seta-instinto-viajante Hospedar-se grátis vai muito além de dinheiro

Como mencionei em nosso tutorial do CouchSurfing, hospedar-se gratuitamente vai muito além de apenas viajar com pouco ou sem dinheiro.

Ao sair para sua próxima viagem ou mochilão, considere viajar nesse estilo, dormindo em casas de pessoas desconhecidas. A gente economiza dinheiro sim, mas vai muito além disso. Conhecemos muitas pessoas legais, inteligentes, capazes, interessantes, aprendemos muito e somos apresentados ao lado verdadeiramente bom do ser humano. Em uma era onde a informação nos faz ter medo, ódio e repugnância das atitudes de muitas pessoas, é importante irmos lá fora e descobrir que existem mais pessoas boas e generosas que ruins no mundo. Experimente! Algumas coisas mencionei aqui.

Lembre-se: você não está em um hostel

E sempre que buscar uma hospedagem solidária, lembre-se que a pessoa que está te recebendo também se interessa por você, sua cultura e história. Viajar se hospedando nas casas das pessoas não tem nada a ver com estar em um hostel grátis. A ideia é que você seja sociável, troque experiências, cultura, e façam coisas juntos (as). Coisas como falar sobre sua cidade, país, cozinhar junto, intercambiar músicas, etc, são ótimas formas de socializar. Aposto que sairão boas amizades daí. Bom viagem e sorte!

Gostou do artigo? Então ajude o Instinto Viajante a se manter no ar =) Clique aqui e doe quanto quiser. Obrigado!

Se esse artigo lhe ajudou pode ajudar outros viajantes, curta e compartilhe =)

seta-instinto-viajante Mais dicas de viagem

Você tem dúvidas ou mais dicas de como viajar sem pagar hospedagem? Conte para nós nos comentários!

Foto cabeçalho como viajar sem pagar hospedagem: maws.cz

Curta Instinto Viajante no Facebook e siga-nos pelo Instagram


« | »

Sobre