El Calafate – Guia de viagem a El Calafate e Glaciar Perito Moreno, Patagônia argentina (travel guide)

el-calafate-glaciar-perito-moreno-patagonia-argentina-instinto-viajante

Está planejando viajar para El Calafate e Glaciar Perito Moreno, na Patagônia argentina?

Quer saber como chegar e quanto vai gastar na sua viagem?

Então você acaba de encontrar o artigo perfeito para planejar seu roteiro de viagem! Veja todas as dicas de viagem de El Calafate e Glaciar Perito Moreno! Saiba o que é a geleira Glaciar Perito Moreno, como chegar em El Calafate, na Patagônia, Argentina, clima e o que levar, preços, as melhores coisas para fazer e outras dicas ninjas para montar o planejamento de viagem perfeito!

El Calafate, Patagônia argentina

El Calafate é uma pequena cidade da Patagônia argentina, conhecida principalmente pelo Parque Nacional Los Glaciares, onde está a maior geleira horizontal do mundo, o Glaciar Perito Moreno. Além de Perito Moreno, o parque abriga outras geleiras, como o Glaciar Upsala. Dentre as atividades da cidade, também estão uma caminhada pela Reserva Laguna Nimez e pela orla do lindo Lago Argentino, o famoso bar de gelo, e a possibilidade de provar maravilhas da culinária local, como doces, sorvetes, licores e geléias do fruto que da nome à cidade, o Berberis microphylla, popular calafate. El Calafate é uma cidade que agrada tanto viajantes mochileiros, quanto turistas convencionais, de todas as idades, sendo indicada para amantes de ecoturismo, mas também de turismo culinário.

Continue lendo para montar seu roteiro de viagem perfeito com:

Dicas de viagem para El Calafate e Glaciar Perito Moreno
Preços médios de hospedagem, alimentação e passeios
Formas eficazes para economizar na viagem
Melhores coisas para fazer em El Calafate, além do Glaciar Perito Moreno
– Possíveis perigos da cidade e como se cuidar
Quais cidades próximas valem a pena incluir em seu roteiro de viagem

Leia todo artigo ou escolha o tópico no índice para ir direto ao assunto.

Índice

1. O que é o Glaciar Perito Moreno?

2. Como chegar em El Calafate e Glaciar Perito Moreno

3. Clima, quando ir e o que levar para visitar El Calafate

4. Média de preços em El Calafate e Glaciar Perito Moreno

5. Dicas de como economizar em El Calafate e Glaciar Perito Moreno (low cost)

6. Melhores lugares e as melhores coisas para fazer em El Calafate

7. Dicas de segurança e cuidados em El Calafate (para homens e mulheres)

8. Quantos dias reservar e outros roteiros que podem ser combinados com El Calafate

1. O que é o Glaciar Perito Moreno?

el-calafate-glaciar-perito-moreno-patagonia-argentina-instinto-viajante-25

O Glaciar Perito Moreno, ou o “gigante branco“, é a maior geleira horizontal do mundo, com impressionantes 5 KM de largura e 60 metros de altura. Está situado sobre a Cordilheira dos Andes, sendo um dos limites naturais entre Argentina e Chile. Seu nome é uma homenagem ao perito ambiental Francisco Pascasio Moreno, maior estudioso da região austral da Argentina. Sua imponência chegou a lhe dar o título de “oitava maravilha do mundo“.

O Glaciar Perito Moreno faz parte do Parque Nacional Los Glaciares, declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, localizado no Campo de Hielo Patagônico Sul, que abriga 725 mil hectares de áreas protegidas e outras 355 geleiras, como o Glaciar Upsala, Glaciar ViedmaGlaciar O’nelli e Glaciar Spegazzinni. O parque é um dos lugares mais visitados da Argentina, com cerca de 700 mil turistas por ano.

Qual é a origem do Glaciar Perito Moreno?

O Glaciar Perito Moreno e as outras geleiras são formadas basicamente por neve compactada, possuindo milhares de tons que vão do branco ao azul. Os glaciares, em geral, se deslocam boiando para o Lago Argentino, em pequenas partes que se rompem ou em icebergs, até que se derretam com o tempo. As geleiras possuem séculos de existência e as grandes quantidades de gelo fazem com que nunca fiquem completamente derretidas, mesmo no verão.

O atual processo de ruptura do Glaciar Perito Moreno

O que muitos turistas buscam ao visitar Perito Moreno é a chance de ver pedaços de gelo se rompendo no seu constante processo de degelo. A sensação de presenciar isso é mesmo incrível, seja pelo espetáculo visual, sejam pelos barulhos dos blocos mergulhando no lago. Em diversos pontos, o glaciar represa águas do Lago Argentino, chegando a atingir até trinta metros de altura e criando uma pressão sobre o gelo tão grande que abrem túneis de mais de cinquenta metros, por onde passam águas do Rio Braço, em uma espécie de canal que desagua no Lago Argentino. Esse processo e as diferentes temperaturas do ambiente provocam degelos e desabamentos na borda da geleira, formando um espetáculo único.

Antigamente esse processo era raro, acontecendo em longos intervalos de tempo, mas atualmente – infelizmente -, com ajuda do aquecimento global, Perito Moreno passa por processos de rupturas cada vez mais constantes. Ainda assim, é um dos poucos glaciares do mundo que se mantém estável, sem retroceder como consequência do aquecimento global. Não sabemos até quando teremos a presença desse magestoso glaciar e nem mesmo a possibilidade de enxergar as rupturas, por isso aconselhamos fazer logo sua viagem!

Ruptura em 2016 – Recentemente, no dia 10 de março de 2016, houve uma grande ruptura de uma “ponte de gelo” do Glaciar Perito Moreno, na Península Magallanes sobre o Lago Argentino. Um acontecimento impressionante! Alguns turistas de sorte puderam presenciar o que não ocorria desde 2012. Assista ao vídeo.

el-calafate-glaciar-perito-moreno-patagonia-argentina-instinto-viajante-24

2. Como chegar em El Calafate e Glaciar Perito Moreno

El Calafate está localizada na província de Santa Cruz, na Argentina, a cerca de 270 quilômetros da capital provincial, Río Gallegos. Sua rodovia nacional mais próxima é a famosa Ruta 40 argentina. A cidade também está a pouco mais de 500 quilômetros de Punta Arenas, Chile; 860 quilômetros de Ushuaia, 1.025 de Bariloche, e 2.890 de Buenos Aires. Para quem chega pela capital e possui poucos dias de viagem, aconselhamos tomar um avião, tanto pelo longo trajeto, quanto pelas diferenças entre os valores das passagens de ônibus e dos voos. Se a viagem é mais longa, considere ir por terra, visitando os lindos lugares da Patagônia argentina.

O parque e o glaciar estão a cerca de 80 quilômetros de El Calafate em estrada asfaltada e sinalizada.

Localização GPS El Calafate: 50° 20′ S 72° 18′ O

Confira aqui como chegar e se locomover em todas as cidades da Patagônia argentina e chilena

3. Clima, quando ir e o que levar para visitar El Calafate

O clima de El Calafate é frio e seco, geralmente ventoso (fazendo com que o tempo sempre mude) e com poucas chuvas anuais. No verão, as temperaturas médias são entre 13 e 20 °C e há pouca chuva. No inverno, a média é de 7 °C, podendo chegar a 1 °C. Nessa época chove mais e é comum a ocorrência de nevascas. As estações climáticas da primavera e outono costumam ser frias, mas muito variáveis, podendo ocorrer lindos dias de sol e médias de 8 °C. Maio é o mês que mais chove; julho o mês mais frio; e janeiro o mês mais quente.

Qual a melhor época para visitar El Calafate?

Os meses de novembro a março (primavera e verão) são os melhores para visitar a região, quando o clima é menos frio e os dias são mais longos. Nos meses de junho e julho, o frio é intenso, com ventos fortes e dias mais curtos, sendo a possibilidade de esquiar o principal atrativo. De outubro a maio, as temperaturas são mais amenas e perfeitas para caminhadas e visitas ao Glaciar Perito Moreno. De novembro a abril a ocorrência de dias de sol e céu limpo são maiores. Maio, junho, setembro e outubro são baixa temporada, tendo menos visitantes e preços menores.

O que devo levar para El Calafate?

Inverno: Roupas de frio rigoroso altamente recomendadas. Casacos bem abrigados, roupas que cortam vento e blusas e calças segunda pele e/ou térmicas são necessárias. Além delas, gorros, luvas, meias e cachecóis. Para quem acampa, uma barraca técnica para inverno e um bom saco de dormir são necessários. O inverno na Patagonia é realmente MUITO frio, não pense que vestir muitas camadas de roupas comuns irá te proteger bem (fiz isso no verão e já não era tão confortável). Para quem vai com intenção de esquiar e possui equipamentos de neve, levar pode ser uma grande economia. Para quem não possui ou não quer levar, os parques alugam equipamentos.

Fim da primavera até início do outono: Blusas, calças, casacos e roupas de frio comuns para a noite já são suficientes. Durante o dia pode-se caminhar com bermudas, shorts e blusas. Gorros, luvas, boas meias e cachecóis para a noite são bem-vindos, mas não são estritamente necessários. Para quem acampa, uma barraca e um saco de dormir comuns são suficientes.

Equipamentos técnicos / trilhas: Não há necessidades de equipamentos técnicos para os passeios e Perito Moreno que possui passarelas de metal. Calçados confortáveis e roupas leves para caminhar são altamente recomendados. Para visitar qualquer glaciar leve casaco, pois o frio é maior próximo das geleiras.

Filtro solar, óculos de sol e protetores labiais: recomendado levar, pois os dias de sol e verão são quentes. Manteiga de cacau é uma boa devido ao clima seco. Óculos escuros são ótimos devido ao reflexo do gelo, principalmente para quem irá fazer trekking sobre o gelo.

Adaptadores de tomada e baterias extras: o padrão de tomada argentino é diferente do brasileiro e de alguns outros países. Leve adaptador para o seu tipo de equipamento. Levar pilhas e baterias extras é muito indicado também – serão muitas fotos se esse é um hobby seu.

O que NÃO preciso e o que NÃO devo levar:

Animais de estimação: é proibida a entrada de “mascotas”, como eles dizem. Portanto, seu cão, gato ou outros animais não poderão ir ao Parque Nacional Los Glaciares.

Repelente: não vimos necessidade de levar, pois não há mosquitos na cidade.

Calçados (importante): leve calçados confortáveis para caminhada e chinelo. Mulheres, calçados rasteiros. Não leve salto alto e similares para Perito Moreno, as passarelas são de metal com buracos que inviabilizam caminhar de salto.

4. Média de preços em El Calafate e Glaciar Perito Moreno

El Calafate, assim como a maioria das cidades patagônicas, possui um alto custo de turismo. A alta temporada é no verão, iniciando em novembro e indo até meados de março. A datas entre abril e outubro são as épocas mais vazias e mais baratas para ir a El Calafate.

El Calafate possui ampla gama de estrutura turística, oferecendo diversos tipos de hospedagens, preços e níveis de conforto. Os restaurantes seguem a mesma lógica e a maioria estão na principal rua da cidade, a Avenida San Martín. O cordeiro patagônico é o prato mais famoso da região e por ser tratar de Argentina, é muito comum encontrar deliciosas empanadas e alfajores.

Hospedagem low cost, campings e hostel: dormitórios baratos possuem diárias a partir de a$ 200, na baixa temporada, e a$ 300, na alta. Quartos privativos variam entre a$ 500 e a$ 700 por casal. Os campings organizados custam a partir de a$ 150 a diária.

Hotel: Preço para um quarto duplo simples com café da manhã a partir de a$ 800, na baixa temporada, e a$ 1.200, na alta.

Custo médio de alimentação: El Calafate possui muitas opções de bares e restaurantes, e é possível encontrar café da manhã por a$ 60 e refeições por a$ 200,00, o almoço, e a$ 250, o jantar, em média.

Custo dos transportes: A cidade é pequena, podendo fazer quase tudo caminhando. Mesmo assim, para quem deseja, há serviços de táxi e remis que saem em média a$ 40 por trajeto. Ônibus quase não existem. Para as distâncias maiores, a opção é tomar um táxi ou traslado turístico, esse último mais barato. Para ir ao Glaciar Perito Moreno o custo médio do traslado é a$ 400. Para quem deseja um veículo particular, os remis saem em torno de a$ 1.000 ida e volta.

Custo dos principais passeios e atividades: o passeio mais comum de El Calafate é para o Glaciar Perito Moreno que está localizado no Parque Nacional Los Glaciares. A entrada custa a$ 250 para turistas do Mercosul, e a$ 330 para outros turistas – menores de 16 anos não pagam. A navegação que sai de dentro do parque e se aproxima do glaciar é a$ 150. O Minitrekking sobre o gelo de Perito Moreno custa a$ 1.500, e o Big Ice (trekking maior) a$ 2.000. Para conhecer outros glaciares é preciso contratar passeios de catamarã, como o Todo Glaciares que visita três pontos do parque, os glaciares Spegazzini e Upsala, e a Bahía Onelli e custa em torno de a$ 1.000. Outra opção próxima ao centro é o passeio pela reserva Laguna Nimez com entrada a a$ 100.

5. Dicas de como economizar em El Calafate e Glaciar Perito Moreno (low cost)

Carona: É comum ver vários mochileiros tentando carona para o Parque Nacional Los Glaciares e é igualmente comum conseguir, portanto tentar ir a dedo para ver o Glaciar Perito Moreno é uma forma totalmente plausível de economizar. Se for tentar saia bem cedo, pois as possibilidades são maiores.

Supermercado: Fazer suas compras no supermercado e preparar seu próprio café da manhã, almoço e janta é uma das formas que mais se economiza durante a viagem. Em El Calafate o mercado La Anonima é o mais barato.

Laguna Nimez: O passeio é legal? É! A reserva é linda. Vale a pena pagar a entrada? Não. A dica é caminhar pelo calçadão e depois pela orla e areia do Lago Argentino, de onde é possível desfrutar de toda beleza do local sem a necessidade de caminhar exatamente por dentro da reserva.

Passeio de barco Glaciar Perito Moreno – Fechar o passeio de dentro do parque, na hora, será mais barato que fechar com a agência, em El Calafate.

Alugar um carro: Na Patagônia argentina e chilena as distâncias são longas e os valores de coletivos e traslados altos, portanto considere alugar um carro e dividir entre amigos. Se tiver essa possibilidade a viagem poderá ficar melhor e mais barata.

Carteira de estudante: O Parque Nacional Los Glaciares possui descontos para estudantes.

Refúgio La Cueva (low cost): O La Cueva é uma iniciativa muito legal! Trata-se de um camping/hostel, onde as pessoas podem ajudar na mão de obra e no dia a dia em troca da hospedagem gratuita. É muito conhecido por ser um abrigo para mochileiros e cicloviajantes.

6. Melhores lugares e as melhores coisas para fazer em El Calafate

Informações turísticas – É possível pegar o mapa com as atrações e guia de El Calafate tanto no posto de informações turísticas na entrada da cidade, quanto na Avenida San Martín.

Geleira Glaciar Perito Moreno – O passeio é imperdível e trata-se de um dos melhores pontos turísticos de toda Patagônia argentina. O mais comum é tomar um dos traslados do centro da cidade que custa cerca de $a 400,00 e a entrada no Parque Nacional Los Glaciares $a 250,00 para turistas do Mercosul, e a$ 330 para outros turistas – menores de 16 anos não pagam. Para quem deseja um veículo particular, os remis saem em torno de $a 1.000,00 ida e volta. Dentro do parque há restaurantes e áreas de camping para piquenique, sem possibilidade de pernoite. Por fim, há a opção de chegar bem próximo do glaciar pelo passeio de barco que sai de dentro do parque e custa $a 150,00.

Minitrekking ou Big Ice – Existem dois passeios para quem deseja caminhar sobre o gelo do Glaciar Perito Moreno. O primeiro e mais simples deles é o Minitrekking com disponibilidade entre agosto e maio, para pessoas de 10 a 65 anos de idade e com dificuldade média. A caminhada dura quinze minutos até o a geleira e 1h30min sobre o gelo, custando $a 1.500. O segundo é conhecido como Big Ice com disponibilidade entre setembro e abril para pessoas de 18 e 50 anos de idade e com dificuldade alta. A caminhada dura 1h30min até o glaciar e 3h30min sobre o gelo e custa a$ 2.000. Nos dois passeios estão inclusos: visita as passarelas, navegação até a borda da geleira e caminhada sobre o gelo com equipamentos. Além disso, há um pequeno agrado que é um pouco de Whisky com gelo do glaciar e alfajores. A diferença entre elas é a vista, sendo o Big Ice responsável pelas paisagens mais belas. Ambos são realizados pela agência Hielo y Aventura.

Trilhas e Trekking – Não deixe de visitar o povoado vizinho, El Chaltén. O lugar é incrível, com natureza selvagem e bem preservada e dezenas de trekkings grátis. Muitas vezes comparado com o Parque Nacional Torres del Paine, no Chile. Traslados custam a partir de a$ 400 (ida). Uma dica para economizar é ir de carona (muito comum) e voltar de ônibus caso não haja carona (a volta é mais difícil).

Bar de Hielo Glaciarium – O bar de gelo Glaciarium é um museu/bar curioso a 6 quilômetros de El Calafate, a caminho do Glaciar Perito Moreno. As paredes, o chão e os copos são feitos de gelo e é necessária uma vestimenta de frio intenso emprestada pelo local para visitar. Cobra-se uma entrada que da direito ao bar, museu e quantos drinks e refrigerantes quiser la dentro (em geral se bebe uns dois, pois devido ao frio de – 10ºC, só é permitido permanecer 25 minutos). O Museu Glaciarium abre diariamente das 9h às 20h e o bar das 11h as 19h, e custam a$ 230 para adultos e a$ 100 para menores de 12 anos. Há um traslado gratuito que sai do estacionamento da Secretaria de Turismo, no centro da cidade, a cada 1h, e na alta temporada a cada 30 minutos. Há outro bar de gelo no centro, caso não queira se deslocar. Trata-se do Yeti Ice Bar, localizado próximo do posto de informações turísticas, na avenida principal de El Calafate.

Fiesta del Lago Argentino – Anualmente ocorre o festival do Lago Argentino, marcado por maior movimento de turistas na cidade, shows gratuitos e atividades. Em 2015, o festival teve a presença do grupo Calle 13 e em 2016 sua maior atração foi Ricky Martin.

Vida noturna – El Calafate possui boas opções noturnas, dentre bares, restaurantes, pubs e casas noturnas.

Veja nossa lista completa com o que fazer em El Calafate (mais passeios!)

7. Dicas de segurança e cuidados em El Calafate (para homens e mulheres)

Roubos e violências: El Calafate e o Parque Nacional Los Glaciares não oferecem esses perigos. Ambos são tranquilos, com clima de cidade pequena onde se pode caminhar mesmo a noite e sem acompanhantes. Viajar de carona é igualmente seguro e não parece uma cidade com riscos de violência à mulher e/ou alto índice de assédio sexual.

8. Quantos dias reservar e outros roteiros que podem ser combinados com El Calafate

Quantos dias dedicar? 3, 5 ou 7 dias – Nós pensamos que três dias são uma boa escolha para visitar o glaciar e fazer algum outro passeio, além de andar pela cidade. Para os que desejam conhecer El Chaltén ou esquiar (no inverno), recomendamos pelo menos 5 dias. Para fazer todos os principais passeios, 7 dias não é exagero. * Não estamos considerando os dias de chegada e saída.

E depois? El Calafate está muito próxima da fronteira com o sul do Chile, onde estão Puerto Natales, o Parque Nacional Torres del Paine, Punta Arenas e a Catedral de Marmol e a Capilla de Marmol que podem ser visitadas durante uma viagem que envolva os dois países.

Outro roteiro muito comum para turistas é conhecer o pequeno povoado de El Chaltén, popular entre alpinistas e conhecido como a capital argentina do trekking, que abriga os montes Chaltén (ou Fitz Roy) e Torre, além de lindas lagunas e cachoeiras. El Chaltén é igualmente imperdível e a boa notícia é que seu parque possui entrada e todos os passeios gratuitos quando feitos por conta própria. El Calafate também pode ser incluída durante a viagem para Ushuaia, a famosa cidade do fim do mundo, na Argentina, e que possui ônibus e voos regulares.

Veja também o que fazer em El Calafate (mais passeios!)

Veja mais fotos de El Calafate e do Glaciar Perito Moreno:

Valores e dados de fevereiro de 2016

Se esse artigo lhe ajudou pode ajudar outros viajantes, curta e compartilhe =)

Caso tenha dúvidas, pergunte e tentaremos ajudar – sua dúvida pode ser a mesma de outros viajantes. Se encontrar erros ou atualizações avise-nos, por gentileza.

Curta Instinto Viajante no Facebook e siga-nos pelo Instagram


« | »

Sobre