El Chaltén – Guia de viagem a El Chaltén, Patagônia argentina (travel guide)

el-chalten-laguna-fitz-roy

Está planejando viajar para El Chaltén, na Patagônia argentina, e conhecer o Fitz Roy?

Quer saber como chegar e quanto vai gastar na sua viagem?

Então você acaba de encontrar o artigo perfeito para planejar seu roteiro de viagem! Veja todas as dicas de viagem de El Chaltén e Fitz Roy! Saiba o que é o Cerro Chaltén ou Monte Fitz Roy, como chegar em El Chaltén, na Patagônia, Argentina, clima e o que levar, preços, as melhores coisas para fazer e outras dicas ninjas para montar o planejamento de viagem perfeito!

El Chaltén, Patagônia argentina

laguna-sucia-el-chalten-patagonia-argentina

Laguna Sucia, El Chaltén, Patagônia, Argentina. Foto: explorepangea.com

El Chaltén é uma jovem e pequena vila da Patagônia argentina, vizinha de El Calafate, na província de Santa Cruz, próxima da Cordilheira dos Andes, na fronteira com o Chile. Se você gosta de destinos de trilhas, vai amar esse lugar! É conhecida como a capital do trekking na Argentina (com dezenas de trilhas gratuitas) e em 2015 foi considerada a segunda melhor cidade do mundo para conhecer, segundo o guia de viagens Lonely Planet. É cercado de natureza ainda selvagem e suas montanhas mais emblemáticas são o Cerro Chaltén, ou Monte Fitz Roy, e o Cerro Torre, além das incríveis Laguna CapriLaguna Torre. O pequeno povoado de consciência ambientalmente correta fica dentro do Parque Nacional Los Glaciares (o mesmo do Glaciar Perito Moreno) e possui menos de 2.000 moradores. É sempre comparado com o Parque Nacional Torres del Paine, no Chile. Além das montanhas que envolvem El Chaltén, há belos mirantes, lagunas, geleiras e cachoeiras, como a Chorrillo del SaltoEl Chaltén é uma das principais cidades de esportes outdoor (procuradas por escaladores do mundo inteiro) e ecoturismo na Argentina. Muito visitada por jovens viajantes mochileiros, é um destino perfeito para jovens e amantes de trekking, escalada, birdwatching e fotografia.

Continue lendo para montar seu roteiro de viagem perfeito com:

Dicas de viagem para El Chaltén
Preços médios de hospedagem, alimentação e passeios
Formas eficazes para economizar na viagem
Melhores coisas para fazer em El Chaltén, além do Monte Fitz Roy / Cerro Chaltén
-.Possíveis perigos da cidade e como se cuidar
Quais cidades próximas valem a pena incluir em seu roteiro de viagem

Leia todo artigo ou escolha o tópico no índice para ir direto ao assunto.

Índice

1. O que é o Monte Fitz Roy / Cerro Chaltén?

2. Como chegar em El Chaltén

3. Clima, quando ir e o que levar para visitar El Chaltén

4. Média de preços em El Chaltén

5. Dicas de como economizar em El Chaltén (low cost)

6. Melhores lugares e as melhores coisas para fazer em El Chaltén

7. Dicas de segurança e cuidados em El Chaltén (para homens e mulheres)

8. Quantos dias reservar e outros roteiros que podem ser combinados com El Chaltén

1. O que é o Monte Fitz Roy / Cerro Chaltén?

fitz-roy-el-chalten

Cerro Chaltén / Monte Fitz Roy, El Chaltén, Patagônia, Argentina. Foto: explorepangea.com

O Cerro Chaltén/Fitz Roy é a montanha mais conhecida da Patagônia, com 3.375 metros, o local é muito buscado por escaladores e considerado por muitos como o maior de todos os desafios da escalada. As paredes verticais e condições climáticas traiçoeiras exigem muita técnica para conquistar seu topo. O local é perigoso para o esporte, já tendo sido responsável por muitas mortes. Há poucos anos, o montanhista brasileiro Bernardo Collares morreu tentando escala-lo.

Cerro Chaltén ou Monte Fitz Roy?

O vilarejo El Chaltén recebeu esse nome devido a montanha que o abriga. Chaltén na língua aborígene tehuelche significa “montaña humeante” (em espanhol), que seria como “montanha fumacenta”, em português, devido as nuvens que envolvem frequentemente o morro, considerado sagrado para os indígenas. Após a colonização, o mesmo monte foi rebatizado como Fitz Roy, em homenagem a um capitão que viajou pelo rio Santa Cruz em 1834. Portanto, em respeito aos povos originários da Patagônia e contra a colonização, o mais correto seria usar seu nome original, Cerro Chaltén, e a partir daqui sigo o artigo usando apenas esse nome.

2. Como chegar em El Chaltén

El Chaltén está localizada na província de Santa Cruz, na Argentina, a cerca de 450 quilômetros da capital provincial, Río Gallegos. Sua rodovia nacional mais próxima é a famosa Ruta 40 argentina. A cidade também está a pouco mais de 220 quilômetros de El Calafate, de onde vêm a maioria dos visistantes; 1.060 quilômetros de Ushuaia, 1.385 de Bariloche, e 2.695 de Buenos Aires. Para quem chega pela capital e possui poucos dias de viagem, aconselhamos tomar um avião até El Calafate e traslado para El Chaltén, tanto pelo longo trajeto, quanto pelas diferenças entre os valores das passagens de ônibus e dos voos. Se a viagem é mais longa, considere ir por terra, visitando os lindos lugares da Patagônia argentina.

Localização GPS El Chaltén: 49°19′44″ S 72°55′48″ O

Confira aqui como chegar e se locomover em todas as cidades da Patagônia argentina e chilena

Mapa de El Chaltén

3. Clima, quando ir e o que levar para visitar El Chaltén

O clima de El Chaltén é frio e seco, geralmente ventoso (fazendo com que o tempo sempre mude) e com poucas chuvas anuais. No verão, as temperaturas médias são entre 7,5 e 19 °C e há pouca chuva. No inverno, a média é de 7 °C, podendo chegar a -10 °C. Nessa época chove mais e é comum a ocorrência de nevascas. As estações climáticas da primavera e outono costumam ser frias, mas muito variáveis, podendo ocorrer lindos dias de sol e médias de 8 °C. Abril é o mês que mais chove; julho o mês mais frio; e janeiro o mês mais quente.

Qual a melhor época para visitar El Chaltén?

Os meses de novembro a março (primavera e verão) são os melhores para visitar a região, quando o clima é menos frio e os dias são mais longos. Nos meses de junho e julho, o frio é intenso, com ventos fortes e dias mais curtos, sendo a possibilidade de esquiar o principal atrativo. De outubro a maio, as temperaturas são mais amenas e perfeitas para caminhadas e visitas ao Glaciar Perito Moreno. De novembro a abril a ocorrência de dias de sol e céu limpo são maiores. Maio, junho, setembro e outubro são baixa temporada, tendo menos visitantes e preços menores.

O que devo levar para El Chaltén?

Inverno: Roupas de frio rigoroso altamente recomendadas. Casacos bem abrigados, roupas que cortam vento e blusas e calças segunda pele e/ou térmicas são necessárias. Além delas, gorros, luvas, meias e cachecóis. Para quem acampa, uma barraca técnica para inverno, isolante térmico e um bom saco de dormir são necessários. O inverno na Patagonia é realmente MUITO frio, não pense que vestir muitas camadas de roupas comuns irá te proteger bem (fiz isso no verão e já não era tão confortável).

Fim da primavera até início do outono: Blusas, calças, casacos e roupas de frio comuns para a noite já são suficientes. Durante o dia pode-se caminhar com bermudas, shorts e blusas. Gorros, luvas, boas meias e cachecóis para a noite são bem-vindos, mas não são estritamente necessários. Para quem acampa, uma barraca, isolante térmico e um saco de dormir comuns são suficientes.

Equipamentos técnicos escalada e trilhas: Levar bastões de caminhada e calçados específicos de trekking deixam os passeios mais confortáveis, mas não são estritamente necessários. Calçados confortáveis e roupas leves para caminhar são altamente recomendados. A escalada é de nível difícil na região e exige experiência e equipamentos adequados. Caso necessite de itens para trekking ou escalada, há diversas agências que alugam.

Kit de primeiros socorros: São muitos trekkings na cidade e levar um kit médico é sempre importante. Além disso, o pequeno povoado só possui uma farmácia e bem simples. Aprenda aqui a fazer um bom kit para viajar.

Lanches e sacos plásticos: lanches para as caminhadas e sacolas para guardar o próprio lixo e possíveis roupas sujas são importantes.

Filtro solar, óculos de sol e protetores labiais: Recomendado levar, pois os dias de sol e verão são quentes. Manteiga de cacau é uma boa devido ao clima seco.

Adaptadores de tomada e baterias extras: O padrão de tomada argentino é diferente do brasileiro e de alguns outros países. Leve adaptador para o seu tipo de equipamento. Levar pilhas e baterias extras é muito indicado também – serão muitas fotos se esse é um hobby seu.

O que NÃO preciso e o que NÃO devo levar:

Animais de estimação: É proibida a entrada de “mascotas”, como eles dizem, nas trilha. Portanto, seu cão, gato ou outros animais não poderão ir nos trekkings.

Repelente: Não vimos necessidade de levar, pois não há mosquitos na cidade.

Calçados (importante): Leve calçados confortáveis para caminhada e chinelo. Mulheres, calçados rasteiros. Salto alto e similares não fazem sentido.

4. Média de preços em El Chaltén

El Chaltén possui um alto custo de turismo, mas é mais barata que sua vizinha, El Calafate (em termos de hospedagens e passeio). O problema é que possui menos opções, principalmente para comer. A alta temporada é no verão, iniciando em novembro e indo até meados de março. A datas entre abril e outubro são as épocas mais vazias e mais baratas para ir a El Calafate.

Apesar de manter sua origem de pequeno povoado e seu clima selvagem, El Chaltén é bem explorada turisticamente, contando com serviços de hospedagem de vários níveis, uma razoável quantidade de bares e restaurantes, além de agências de passeios e empresas de aluguéis de equipamentos.

Hospedagem low cost, campings e hostel: dormitórios baratos possuem diárias a partir de a$ 100, na baixa temporada, e a$ 150, na alta. Hostels mais populares custam a$ 250-300. Quartos privativos variam entre a$ 500 e a$ 700 por casal. Os campings organizados custam a partir de a$ 80 a diária.

Hotel: Preço para um quarto duplo simples com café da manhã a partir de a$ 800, na baixa temporada, e a$ 1.200, na alta.

Custo médio de alimentação: El Chaltén possui algumas opções de bares e restaurantes, e é possível encontrar café da manhã por a$ 80,00 e refeições por a$ 150,00, o almoço, e a$ 200,00, o jantar, em média.

Custo dos transportes: A cidade é pequena, podendo fazer quase tudo caminhando. Mesmo assim, para quem deseja, há alguns serviços de táxi e remis que saem em média a$ 40,00 por trajeto. Ônibus só os que saem para as cidades vizinhas (todos turísticos e caros). Para as distâncias maiores, a opção é tomar um táxi ou traslado turístico, esse último mais barato. O custo médio do traslado para quem vem de El Calafate é a$ 400. Para seguir até a cidade de Perito Moreno custa a$ 1.200, Los Antiguos a$ 1.300 e até Bariloche, a$ 2.000  (ambos com jantar incluso).

Custo dos principais passeios e atividades: Essa é a melhor parte de El Chaltén – todos os trekkings podem ser feitos por conta própria, pois são sinalizados, e a entrada nessa portaria do Parque Nacional Los Glaciares é gratuita.

5. Dicas de como economizar em El Chaltén (low cost)

El Chaltén não está desenvolvido para viajantes low cost, pois não há supermercado e existem poucas opções baratas de mercados e hospedagens.

Aplicativos de previsão – Apps de previsão do tempo e ventos não são diretamente uma dica para enonomizar na viagem, mas podem salvar sua viagem para El Chaltén. A vila possui mudanças constantes de ventos que podem estragar seu passeio ou escalada. Consulte a previsão para se planejar melhor. Os melhores aplicativos/sites para a região são: Windguru e Mountain Forecast.

Leve dinheiro: Muitos lugares não aceitam cartões e as hospedagens mais baratas só aceitam dinheiro.

Mercados das cidades: Ao passar pelas cidades vizinhas, aproveite para fazer as compras nos mercados maiores. Na cidade só há minimercados e poucas opções, obviamente mais caras. Fazer suas compras no supermercado e preparar seu próprio café da manhã, almoço e janta é uma das formas que mais se economiza durante a viagem. Dentro de El Chaltén, a Padaria Lo de Haydeé foi a que encontramos melhores custos-benefícios.

Água: Não é necessário comprar ou levar água, pois a vila possui diversas fontes de água potável. Leve sua garrafa.

Camping La Torcida: O camping La Torcida é um dos mais baratos de El Chaltén. Lugar simples, mas com pessoas muito legais e ótimo astral sempre. É um dos pontos de encontro de alpinistas da vila, organizando grupos de escalada, aulas e aluguel de equipamentos. O responsável é o Diego e o local é na base do trekkin para a Laguna Torre.

Refúgio para cicloviajantes (low cost): Próximo do Camping La Torcida está La casa de Flor, um hostel/camping que é refúgio para cicloviajantes. A dona recebe gratuitamente viajantes em bicicleta para acampar. Caso prefira uma cama, o valor é a$ 100.

Campings livres – O mapa do parque sinaliza áreas para camping selvagem, gratuitos. São algumas boas opções, mas não possuem ducha.

Alugar um carro: Na Patagônia argentina e chilena as distâncias são longas e os valores de coletivos e traslados altos, portanto considere alugar um carro e dividir entre amigos. Se tiver essa possibilidade a viagem poderá ficar melhor e mais barata.

6. Melhores lugares e as melhores coisas para fazer em El Chaltén

mapa-de-el-chalten-trilhas-trekking

Mapa de trilhas de El Chaltén, Patagônia, Argentina. Fonte: senderoslatinoamericanos.org

É possível pegar o mapa com as atrações e guia de El Chaltén no posto de informações turísticas que funciona dentro da rodoviária, na entrada do vilarejo. As trilhas podem ser feitas por conta própria, pois são grátis e sinalizadas.

Caminhadas curtas – Mirador Los Cóndores, Mirador de las Águilas, Chorrillo del Salto; Cascada Margarida e Cañadón del Río De las Vueltas.

Trekkings de mais de 2 horas – Laguna Capri, Laguna Torre, Laguna De los Tres, Piedra del Fraile E Glaciar Pollone.

Montanhismo e Escalada – El Chaltén é uma das melhores cidades para praticar escalada da América do Sul. Os principais picos são o Cerro Chaltén (Monte Fitz Roy) com 3.359 metros de altitude, e o Cerro Torre 3.128 metros. A vila conta com agências especializadas em escalada andina, aluguéis de equipamentos e aulas. O livro Guia Patagonia Vertical – Macizo de El Chaltén, de Rolando Garibotti e Dörte Pietron é o mais utilizado na região, com 250 vias e 39 montanhas mapeadas.

Cerros (Morros) – Como disse, esses são os principais morros: Cerro Chaltén (Monte Fitz Roy) e Cerro Torre. Ambos muito procurados por amantes de trekking. É possível chegar caminhando até a base de ambos e são incríveis.

Lagos e Lagunas – O povoado possui dezenas de lagos e lagunas desses que quando vemos fotos não acreditamos na cor da água. Os mais lindos, populares e imperdíveis são: Laguna de los Tres, Laguna Torre, Laguna Sucia, Laguna Capri, Lago e Laguna del Desierto, Laguna Toro, Lago Argentino e Lago Viedma.

Miradores (Mirantes) – Os principais mirantes são: Mirador del Torre, Mirador Los Cóndores e Mirador de las Águilas.

Cachoeiras – A principal cachoeira é a Chorrillo del Salto, com acesso fácil, uma queda lindíssima e imperdível. A outra é a Cascada Margarida, com um mirante de observação.

Rios – O Río de Las Vueltas e o Río Chaltén são os principais. O primeiro ótimo para rafting e o segundo compondo a beleza do centro de El Chaltén.

Cañadón del Río De las Vueltas – Canion nas proximidades da cidade, com lindos mirantes e vista panorâmica para o Río De las Vueltas.

Glaciares – Os principais glaciares são o Viedma, que aparece já no caminho de entrada da vila; o Glaciar Huemul; Glaciar Pollone; e o Glaciar Piedras Blancas.

Campo de Hielo Patagónico Sur – O Campo de Gelo Patagônico Sul é um lugar incrível de 13 mil quilômetros quadrados, sendo o terceiro maior do mundo. Está na fronteira entre Argentina e Chile, próximo da Cordilheira dos Andes.

Mais trilhas e trekking – Há ainda o algumas trilhas maiores, como o Sendero Loma del Pliegue Tumbado e o Sendero Piedra del Fraile.

Birdwatching (observação de aves) – É possível observar pássaros em todas as trilhas, dentre as principais espécies, estão a Águia Mora e o Condor Patagônico.

Ver o amanhecer – O amanhecer na vila é lindo devido a vista espetacular para as montanhas que a envolvem. É lindo para observar e tirar fotos.

Vida noturna – El Chaltén não é um local de vida noturna agitada, principalmente devido ao seu tamanho. Mesmo assim, possui algumas opções noturnas, dentre bares, restaurantes e pubs.

Festa Nacional do Trekking – Sempre em março, a Capital Nacional do Trekking na Argentina comemora a Fiesta Nacional del Trekking, reforçando a cultura de trekking da cidade e sua maneira harmoniosa de lidar com suas lindas paisagens naturais.

Passeios de agências – Há outros passeios de agências de turismo, como cavalgadas, passeio pela Reserva Los Huemules, rafting e pesca esportiva. E o principal deles para o Lago del Desierto e Laguna Desierto, na fronteira com o Chile.

7. Dicas de segurança e cuidados em El Chaltén (para homens e mulheres)

Escalada e trekking: Escalar em El Chaltén requer habilidade e experiência no esporte. O nível dos principais picos é exigente, seja responsável. Outra coisa que pode ser perigoso tanto para escaladores quanto para praticantes de trekking é a mudança climática frequente sem “aviso prévio” devido aos ventos patagônicos. Sempre que sair para caminhar ou escalar, informe aos postos de guarda e outras pessoas, leve água, lanches, casacos e equipamentos adequados ao seu tipo de atividade. A natureza de El Chaltén já fez muitas vítimas, tome cuidado.

Incêndios: O parque possui alto risco de incêndios, tome muito cuidado ao fazer fogo, apague completamente e somente com água. Consulte onde é permitido fazer. E sempre prefira o uso de fogareiros.

Poluição: Aproveite os lagos para tomar banho e coletar água. Mas lembre-se de não poluir com lixos, guimbas de cigarro, absorventes e afins. Ao tomar banho nas águas não use nenhum produto, nem sabonete. Ao escovar os dentes, pegue água com algum recipiente e não jogue pasta de dente no lago. Se necessitar urinar e defecar, faça longe das trilhas e águas. Papel higiênico também é lixo, caso seja impossível de levar, enterre-o.

Animais peçonhentos ou venenosos: Não há registros de cobras, escorpiões, aranhas ou afins que ameacem a vida de um ser humano na região.

Roubos e violências: El Chaltén e o Parque Nacional Los Glaciares não oferecem esses perigos. Ambos são tranquilos, com clima de cidade pequena onde se pode caminhar mesmo a noite e sem acompanhantes. Viajar de carona é igualmente seguro e não parece uma cidade com riscos de violência à mulher e/ou alto índice de assédio sexual.

8. Quantos dias reservar e outros roteiros que podem ser combinados com El Chaltén

Quantos dias dedicar? 3, 5 ou 7 dias – As fotos populares de El Chaltén mostram as montanhas lindas e livres de nuvens, mas não se engane, ter essa vista é difícil devido ao clima da cidade. Portanto, lembre-se de não fazer um roteiro apertado nesse lugar para não frustrar sua viagem. Quando fui peguei os dois primeiros dias de tempo feio e só no terceiro começou a melhorar. Os passeios em dias feios não tão bonitos. Nós pensamos que três dias são uma boa escolha para visitar a vila. Para os que desejam realizar todos os circuitos de trekking recomendamos no mínimo 5 dias e 7 dias um bom tempo. Para escalar, pelo menos 7 dias. * Não estamos considerando os dias de chegada e saída.

E depois? El Calafate está muito próxima da fronteira com o sul do Chile, onde estão Puerto Natales, o Parque Nacional Torres del Paine, Punta Arenas e a Catedral de Marmol e a Capilla de Marmol que podem ser visitadas durante uma viagem que envolva os dois países.

Outro roteiro muito comum para turistas é conhecer El Calafate e o Glaciar Perito Moreno, que estão próximos e são passeios imperdíveis da Patagônia. Esse roteiro de viagem também pode incluir visitas a Ushuaia, a famosa cidade do fim do mundo, na Argentina, e Bariloche, famosa por seus chocolates e estações de esqui.

Para os mais aventureiros, existe o Cruce Lago del Desierto. Isso seria cruzar a fronteira para o Chile pelo Lago del Desierto. A travessia é mais comum entre cicloviajantes e inclui pedalada de 37 km em estrada de chão desde El Chaltén (não há circulação de veículos), travessia de barco por 45 minutos, 5 km de trilha, 15 km de estrada de chão (há veículos), e outra travesia de 3h e meia pelo Lago O´Higgins, até a cidade de Villa O´Higgins, no fim da Carretera Austral chilena. O trajeto também pode ser feito a pé e é lindo!

 

Valores e dados de fevereiro de 2016

Foto divulgação: chaltenhoy.com.ar

Se esse artigo lhe ajudou pode ajudar outros viajantes, curta e compartilhe =)

Caso tenha dúvidas, pergunte e tentaremos ajudar – sua dúvida pode ser a mesma de outros viajantes. Se encontrar erros ou atualizações avise-nos, por gentileza.

Curta Instinto Viajante no Facebook e siga-nos pelo Instagram


« | »

Sobre