CouchSurfing: o que é e como conseguir CouchSurfing (detalhado)

o-que-e-couchsurfing

Dicas matadoras de como conseguir CouchSurfing em qualquer lugar do mundo

Já imaginou um site gratuito que ajuda a conhecer pessoas de outros países e suas culturas, aprender idiomas, e ainda fazer amigos sem sair do lugar? E viajar pelo mundo sem pagar hospedagens?

Pois é, graças a economia colaborativa, esse sonho é realidade, e é exatamente isso que propõe a rede social para viajantes CouchSurfing.

Se você já conhece e usa o site, mas não está conseguindo respostas positivas, esse artigo também é pra você! Fizemos um guia detalhado, bem diferente dos padrões que vejo em blogs de viagens, para usar o site bem e como conseguir CouchSurfing em qualquer lugar. Não escrevi mais do mesmo, como: que você deve mandar mensagens personalizadas, pelo contrário, vou contar o que eu faço de verdade para ter sucesso!

Nós já escrevemos no Instinto Viajante dicas sobre como encontrar hospedagens baratas (ou de graça)onde apresentamos vários sites e estratégias para conseguir hospedagens muito baratas ou de graça. Mas hoje vamos focar em apenas um site, mostrando o que é o CouchSurfingcomo criar uma conta, e dicas para conseguir CouchSurfing.

Este artigo faz parte da série Guia viajando barato pelo mundo

como-conseguir-couchsurfing

Como conseguir Couchsurfing (guia detalhado)

Eu e a Isabela viajamos por mais de um ano e meio sem pagar NENHUMA hospedagem (isso mesmo, nenhuma) e contei as estratégias (que vão além do uso do CouchSurfing) aqui.

Contudo, muitas pessoas que me enviam mensagens por nossa página, ou postam tópicos em grupos do CouchSurfing no Facebook, ainda se queixam por nunca conseguirem respostas positivas no site/aplicativo.

Eu não me considero nenhum expert em utilizar a rede, mas sempre consegui respostas positivas e hospedagens, desde quando comecei a viajar, mesmo sem ter nenhuma referência em meu perfil.

Foi por isso que decidi mostrar o que faço exatamente para não ter minhas respostas ignoradas e conseguir CouchSurfing em qualquer lugar do mundo. Obrigado pela visita e boa viagem!

Achamos interessante acompanhar o artigo completo, mas você pode ir direto ao assunto de seu interesse, clicando nos links abaixo

Ajude o Instinto Viajante a se manter no ar =) Clique aqui e doe quanto quiser. Obrigado!

seta-instinto-viajante O que é, como fazer, e como funciona o CouchSurfing?

O CouchSurfing (“surfando sofá”, em tradução livre) foi criado em 1999, por Casey Fenton, e faz parte de uma modalidade de hospedagem para viajantes chamada hospitality exchange, ou troca de hospitalidade, que é, basicamente, trocar hospedagens gratuitas de forma solidária. Em outras palavras, significa receber viajantes na sua casa, e dormir na casa de pessoas desconhecidas viajando, em uma relação amistosa, que não envolve dinheiro.

Em 2012 o site atingiu a marca de mais de 1 milhão de usuários, espalhados por mais de 180 países, e a rede segue crescendo.

O site é ótimo e usado por todos os mochileiros e mochileiras que conheço, pois além de hospedar-se gratuitamente, você poderá saber informações dos destinos de viagens através de um morador local, aprender idiomas e culturas, sairem juntos (as), e tornarem-se amigos (as).

Como funciona o CouchSurfing?

O CouchSurfing é um site e aplicativo, gratuito (possui uma taxa voluntária de USD 25 para ajudar o site). Trata-se de uma rede social para viajantes, onde as pessoas se cadastram, criam um perfil com algumas informações sociais, e colocam fotos. Para cadastrar é fácil, basta visitar o site e seguir os passos que são simples e intuitivos.

Navegando pela rede, é possível buscar destinos de viagem e encontrar outras pessoas cadastradas que estão dispostas a oferecer suas casas gratuitamente para viajantes e/ou fazer atividades juntos. Ou você poderá receber mensagens de outros viajantes do mundo inteiro pedindo hospedagem para você. Há ainda a possibilidade de participar de grupos de discussão e tópicos de ajudas sobre viagens e destinos.

Em geral, os (as) usuários (as) basicamente buscam uma cidade de qualquer lugar do mundo, trocam mensagens para se conhecerem de forma básica, e em seguida se encontram. Após o encontro escrevem uma referência um (a) para o outro (a).

seta-instinto-viajante Fazer CouchSurfing é seguro?

Eu uso muito o CouchSurfing viajando, já hospedei pessoas de diferentes nacionalidades, e conheci muitas pessoas que usam, e nunca ouvi relatos graves, nem tive problemas. Ademais, o site possui um bom sistema de referências, feedbacks deixados por viajantes que podem ser negativos ou positivos, e ajudam a desmascarar as poucas pessoas que utilizam o CouchSurfing de forma inadequada.

Sendo assim, sim, é seguro. Ninguém tentará tirar seus órgãos enquanto você dorme, ou roubar todas as suas coisas. Mas como tudo na vida existem mínimos riscos, é claro. Acontece que atravessar a rua da sua casa possui riscos, né?

Viajando vi que as pessoas são boas e que, se estão dispostas a abrir suas casas para desconhecidos, é por que fazem de coração e com solidariedade. Além disso, os (as) usuários (as) do site possuem, em geral, mente aberta, e foram ou são viajantes.

Infelizmente, o que pode acontecer, mesmo que pouco, são situações de mal estar causadas por pessoas que não respeitam as ideias do site. A maioria dessas situações são de assédio, principalmente contra mulheres mochileiras. Mas acho que você deve ir sem medo e, se sentir-se mal, pegue suas coisas e vá embora. A seguir conto como minimizar as poucas chances de problemas.

Como minimizar ainda mais as chances de problemas no CouchSurfing

Se você considerar as seguintes questões antes de enviar suas mensagens e chegar nas casas, com certeza irá praticamente anular suas chances de problemas.

Perfil preenchido e com fotos – Pessoas que possuem algumas fotos pessoais e preenchem a maior parte do perfil não perderiam tempo atoa. Esses requisitos significam que a pessoa é real e ativa na rede. Há ainda perfis que pagaram a taxa voluntária do CouchSurfing e confirmaram seus endereços com um código enviado pelo correio. Essas pessoas possuem um sinal verde na foto de perfil e provavelmente não pagariam a taxa se fossem utilizar mal o site.

Referências – Perfis que possuem referências possuem maior garantia de uma boa experiência. Eu, sinceramente, sempre enviei mensagens mesmo para pessoas sem nenhuma referência e nunca tive problemas (afinal, todos precisam de uma primeira vez para ganhar referências, certo?). Mas se você não sentir segurança, priorize enviar mensagens para perfis avaliados por outros viajantes.

Estabelecer contato a distância – Após o primeiro diálogo, adicione a pessoa que você irá receber ou seu anfitrião/sua anfitriã em outras redes sociais (Facebook, Instagram, etc) e Whats App para ver fotos das pessoas, amigos, etc, e confirmar que são pessoas tranquilas. Isso estreitará os laços entre vocês dias antes do grande dia :).

Você precisa usar sua intuição e confiar em seu feeling. Mas tirando as vezes onde as pessoas possuem personalidades muito distintas e não se tornam amigas, nunca ouvi casos graves de experiências em CouchSurfing.

seta-instinto-viajante Dicas para conseguir respostas positivas no CouchSurfing

Não estou inventando, eu realmente sempre consegui muitas respostas positivas viajando, e depois das primeiras referências positivas, naturalmente, passei a receber muito mais. Consegui couch em quase todas as cidades que visitei, em muitas delas mais de uma pessoa respondeu positivamente, e é muito comum eu indicar casas para amigos (as) mochileiros e mochileiras. Veja agora como conseguir couchsurfing:

Passo 1: Montar o perfil

Obviamente, é importante que você preencha seu perfil e suba umas fotos para tornar-se mais sociável na rede. Apenas escreva um pouco sobre você, coisas que gosta, suba algumas fotos e OK.

Muitas pessoas preenchem seus perfis em inglês a fim de atingir um maior número de pessoas que conseguirão ler seus perfis pelo mundo, mas isso não é uma regra.

Passo 2: Prepare a mensagem

A mensagem é seu cartão de visitas, e o item mais importante na hora de buscar um (a) host. Capriche! Você precisa se apresentar e apresentar sua viagem. Escreva como quiser, mas eu indico que sua mensagem contenha os seguintes itens:

  • Tenha a maior objetividade possível. Se a mensagem ficar um pouco grande, divida os assuntos pulando linhas. nunca escreva um livro, pois ninguém terá paciência de ler.
  • Apresente-se. Faça um resumo sobre você e sua viagem. Inclua seu nome, região ou nacionalidade, por onde já viajou na trip atual, para onde está indo, como está viajando (carona, carro, bicicleta, etc), e seu endereço de blog, site, fanpage, e/ou Instagram da viagem, caso tenha.
  • Idioma local. Eu acho muito importante escrever no idioma do país que estou viajando, mesmo que possa conter erros, ao invés de padronizar o idioma inglês. Isso demonstra respeito à cultura do próximo e ganha a simpatia das pessoas.
  • Dê mais opções. Eu sempre incluo na mensagem que: para mim qualquer sofá, chão, pátio, garagem, ou quintal está bom, pois viajo com saco de dormir e barraca de camping; e que sou simples, e não possuo frescuras. Incluir isso nas mensagens já me fez conseguir muitas casas, onde as pessoas não tinham colchões, mas tinham ótimos espaços para me receber. Percebo que várias pessoas ficam sem jeito por pensarem que não possuem condições para receber outra pessoa bem e por isso respondem negativamente. Mas que na verdade, se o (a) convidado (a) não tem frescuras, são ótimos lugares. Se você é como eu, deixe isso claro na mensagem e quebre essa barreira.
  • Inclua mais canais para resposta. No fim da mensagem eu sempre deixo o link do meu Facebook e meu número de celular, mencionando que se a pessoa quiser pode responder a mensagem pelo chat ou mensagem/Whats App. Isso poupa uma nova mensagem para enviar esses dados e facilita a vida da pessoa, que muitas vezes tem conexão lenta ou acha mais difícil  responder pelo CouchSurfing.
  • Use uma personalização mínima. Sempre inicio a mensagem com uma saudação e o nome da pessoa. Exemplo: “Olá, Fernanda, tudo bem com você? Meu nome é Bernardo…”. E vou mudando o nome da pessoa conforme vou enviando essa mesma mensagem para outros perfis. Essa é, geralmente, a única personalização que existe nas minhas mensagens, para ganhar tempo no envio das mensagens. * Explico o por que disso mais adiante, no item “Por que eu não leio perfis na hora de tentar CouchSurfing”.

Passo 3: Busque seu destino de viagem

Depois que defino para onde vou viajar, começo a buscar pessoas no CouchSurfing.

Nessa busca gosto de adicionar, nos filtros disponíveis, a opção para organizar os resultados de acordo com o último login feito pelas pessoas no site. Esse detalhe faz com que minhas mensagens sejam respondidas mais rapidamente e, muitas vezes, atinjo perfis que não são os mais populares, o que pode ser uma grande vantagem, principalmente em cidades grandes. Isso, pois, perfis populares aparecem na frente em todas as buscas, e recebem mais mensagens, gerando mais chance de ignorar seu contato ou já estar hospedando alguém. Ao passo que, pessoas com perfis menos populares ficam felizes em receber alguns contatos. Ah, e é claro, pessoas que não vêem o site a um mês ou mais eu nem envio mensagens.

Passo 4: Disparar mensagens

Após a busca, começa o processo de disparar as mensagens. Gosto de enviar com pelo menos uma semana de antecedência para que dê tempo das pessoas verem. Ainda assim, quando não consigo fazer contato antes, tento em cima da hora mesmo. A ideia é tentar sempre o couch.

Você precisa entender que muitas mensagens serão mesmo ignoradas por diversos motivos. Sendo assim, temos de alcançar nosso objetivo na quantidade (como mencionei, no item posterior explico melhor essa questão). E para isso é mesmo um trabalho de copiar e colar a mensagem que preparamos (mudando o nome das pessoas no início).

Eu nunca fazia CouchRequest, principalmente por que, viajando de carona e sem planos concretos, eu nunca sabia minha data de chegada. Agora o CouchSurfing tem forçado os (as) usuários (as) a ir por esse caminho. Então, quando não souber sua data ponha algo próximo e chame a pessoa por Whats App, e-mail, etc, e vá atualizando sobre sua chegada.

Viaje com o melhor seguro viagem internacional: World Nomads (link afiliado)

Por que eu não leio perfis na hora de tentar CouchSurfing

Não me entenda mal, eu não quero parecer rude, orgulhoso, ou idiota com os comentários desse item, apenas estou sendo sincero.

Diferente do que dizem a maioria das pessoas que dão dicas para uma boa experiência no site, ou tentam ensinar como usar o CouchSurfing, eu não leio perfis (no máximo passo o olho), e não envio mensagens personalizadas (sim, eu copio e colo).

“Mas por que você faz isso, Bernardo, seu escroto?”

Por dois motivos: 1) Tempo. Em minha primeira grande viagem, passei por mais de 70 cidades, em cada uma delas enviei ao menos 20 mensagens, somando mais de 1.400 mensagens. Agora faça você as contas e me diga se eu teria tempo (ou valeria a pena) ler mais de 1.400 perfis. Principalmente sabendo que muitas mensagens, mesmo que personalizadas, serão ignoradas. E sei disso por que já mandei mensagens personalizadas, mencionando algo do perfil da pessoa, e não recebi resposta até hoje. E por que tenho amigos e amigas que enviam mensagens bonitinhas e personalizadas, que também são ignoradas, e se queixam de nunca terem conseguido host.

2) Aprendizado. O segundo motivo é especial para meu crescimento como pessoa. Tenho certeza que se, quando comecei a viajar, lesse cada perfil, descartaria muitas pessoas pelas informações, interesses, gostos, e assuntos, que fossem totalmente diferentes dos meus. inclusive pessoas que me receberam ou que eu recebi (e gostei de ter conhecido). Mas eu acho que, ao fazer isso, teria perdido muitos dos ensinamentos da estrada, que são exatamente abrir a cabeça para novas ideias, gostos, e opiniões. Quando escolhemos perfis que se parecem muito com nossa personalidade aprendemos bem menos do que quando caímos em casas totalmente diferentes e inesperadas. Sempre haverá aprendizado: com as ideias legais você aprenderá sobre o novo e será uma pessoa melhor; com as ideias ruins você confirmará por qual caminho não deve levar sua vida (e aprenderá a ter paciência com opniões diferentes das suas). Já ouvi falar na frase “nunca aprendi nada com quem concorda comigo”? Então.

Não se preocupe se você deixará de receber algumas respostas positivas por não ler, como pessoas que percebem que a mensagem tem um quê de cope/cole e fazem questão de uma super mensagem personalizada, ou pessoas que escondem palavras-chaves dentro do perfil (acho isso bem tosco, inclusive). Viajantes de verdade não vão deixar de hospedar você por isso, pois sempre vão tentar ajudar. No máximo você deixará de conhecer algumas pessoas mesquinhas e egocêntricas.

E ainda tem algo mais. Maioria das pessoas que me receberam não leram meu perfil, pois sempre faziam perguntas que eu já havia respondido em minha primeira mensagem ou perfil, como qual é minha cidade ou profissão.

E quando eu leio o perfil? Apenas após receber uma mensagem positiva da pessoa. Assim consigo saber o básico sobre ela e quais assuntos temos em comum. Antes disso acho mesmo perda de tempo.

seta-instinto-viajante Mais dicas importantes de como conseguir CouchSurfing

Antecipe-se – A maioria das pessoas que vejo que não conseguem CouchSurfing é por que enviam mensagens desesperadas de última hora. Quanto antes você iniciar suas buscas e tentativas, mais chances de conseguir. Eu, geralmente, envio mensagens com mais de uma ou duas semanas de antecedência, até um mês. Mesmo sem saber a data que vou chegar, já inicio os contatos, dando uma estimativa de chegada e trocando contatos para que possamos ir nos falando, e eu dê atualizações, conforme vou me aproximando da cidade. Isso também facilita para deixarmos de ser pessoas desconhecidas, já que vamos antecipando conversas via redes sociais.

Peça o máximo de dados – Quando conseguir couch, peça o máximo de informações para a pessoa, pois muitos passam poucos dados, tornando uma tarefa difícil encontrar o domicílio. Peça sempre: localização pelo Whats App, Facebook, etc; endereço completo (mesmo tendo a localização, pois o GPS possui margem de erro); referências para chegar; como é a casa (cor, etc); se há internet livre próximo da casa/apartamento para comunicação, ou se a pessoa pode lhe passar a senha do Wi-Fi, caso tenha.

Viaje com uma barraca de camping – Leve uma barraca de camping, pois irão aumentar suas chances de conseguir CouchSurfing. Além disso, quando não conseguir, você terá uma opção de dormir barato. Veja aqui como escolher uma boa barraca de acampamento para viajar.

seta-instinto-viajante Como não ser um (a) escroto (a) no CouchSurfing

Assédio – CouchSurfing e Tinder possuem funções completamente diferentes, entenda isso, principalmente se você é homem. Claro que existem assuntos comuns entre vocês e se forem solteiros (as) não há nada de mais em se relacionarem. Mais duas coisas precisam ficar claras em sua cabeça: 1) você não deve participar do site para conseguir relacionamentos, mas sim para ajudar mochileiros e mochileiras. 2) Não é não. Se você achou que cabia uma tentativa saudável, OK, mas se a pessoa disse não, aceite numa boa e sigam sendo amigos (as). Você não deve insistir, forçar a barra, e nem achar que a pessoa precisa ir embora por isso (ou que você tem que ir embora, caso seja você o (a) viajante). Se você é mulher viajando sozinha, leia essas dicas para evitar assédio sexual.

Furar – A segunda pior coisa que você pode fazer usando o CouchSurfing é furar com alguém em cima da hora. Já furaram algumas vezes comigo e me deixaram realmente em situações ruins. Ponha-se no lugar da pessoa sempre, lembre-se que ela não conhece sua cidade e na maioria das vezes viaja com pouco dinheiro para buscar hospedagens pagas de última hora. Se você marcou de ir para casa de alguém também não fure. Se desistir de ir, avise com a maior antecedência possível, afinal tem alguém te esperando de braços (e casa) abertos, quando poderia estar esperando outras pessoas. Se a pessoa furou com você dê a referencia negativa, para alertar outros viajantes.

Ser antissocial – Lembre-se: você não está em um hostel. Sempre que buscar CouchSurfing tenha em conta que a pessoa que está te recebendo também se interessa por você, sua cultura, histórias de viagem, etc. Viajar se hospedando nas casas das pessoas não tem nada a ver com estar em um hostel grátis. A ideia é que você seja sociável, troque experiências, cultura, e façam atividades juntos (as). Não se trancar no quarto ou no celular já é um bom começo. Coisas como falar sobre sua cidade, país, cozinhar junto, intercambiar músicas, etc, são ótimas formas de socializar e fazer um (a) amigo (a).

Adapte-se ao ritmo do host – Eu mantenho minha personalidade em todas as casas que passo, mas sempre faço o possível para me adaptar ao ritmo do meu anfitrião, ou minha anfitriã. Respeito horários, manias, costumes, etc. Vou analisando desde o primeiro momento para saber até onde é confortável para todos. Faça isso também. Você vai passar por casas com pessoas que cultivam maconha e fumam na sala, e por casas que abominam quem fuma maconha, por exemplo.

Não seja espaçoso (a) – Sempre tento ser o menos espaçoso possível. Nesse sentido, a ideia é que a pessoa viva a vida dela como se eu nem estivesse ali. Por isso faço o máximo para deixar minhas coisas juntas e arrumadas, em um único espaço da casa, e não fazer bagunças. Essa é uma falha que vejo em muitos (as) viajantes. Além disso, segure a onda em temas como álcool, indo até o limite que seu couch também vai.

Seja gentil – A pessoa está sendo solidária com você em troca de nada, isso é um fato. Você também nano precisa necessariamente arrumar a casa ou lavar louça por isso. Mas a questão é: o que te custa? Faça gentilezas também, procure ajudar durante sua estada. Isso faz de você uma pessoa legal, gentil e solidária.

Hospede e não apenas seja hospedado – Vejo muitas pessoas que só querem usar o site para viajar sem pagar hospedagem e nada mais. Lembre-se que o CouchSurfing só funciona por que existem pessoas que hospedam. Se todos participarem do site apenas buscando hospedagens gratuitas e nunca hospedando um viajante, ninguém conseguirá hospedagem. Hospede você também e seja mais um elo na corrente solidária.

Referencie sempre – É muito chato escrever a referência da pessoa e ter que ficar cobrando para que ela escreva a sua. Após a experiência sempre escreva o feedback das pessoas, afinal é através das referências negativas que você alerta outros (as) viajantes como você; e através das positivas que as pessoas conseguem hospedagens mais fácil e sabem quem são as pessoas legais no site.

seta-instinto-viajante Outros sites como CouchSurfing

Existem outros sites para buscar hospedagem de graça. Alguns deles são:

→ Veja também: outras formas de conseguir hospedagens grátis

seta-instinto-viajante Hospedar-se grátis vai muito além de dinheiro

Ao sair para sua próxima viagem ou mochilão, considere viajar nesse estilo, dormindo em casas de pessoas desconhecidas. A gente economiza dinheiro sim, mas vai muito além disso. Conhecemos muitas pessoas legais, inteligentes, capazes, interessantes, aprendemos e ensinamos muito, e somos apresentados ao lado verdadeiramente bom do ser humano.

Em uma era onde a informação nos faz ter medo, ódio e repugnância das atitudes de muitas pessoas, é importante irmos lá fora e descobrir que existem mais pessoas boas e generosas que ruins no mundo. Experimente! Algumas coisas que vi viajando mencionei aqui.

Meu perfil no CouchSurfing

Gostou do artigo? Então ajude o Instinto Viajante a se manter no ar =) Clique aqui e doe quanto quiser. Obrigado!

Se esse artigo lhe ajudou pode ajudar outros viajantes, curta e compartilhe =)

Arte foto cabeçalho: Nathaly Fogaça

seta-instinto-viajante Mais dicas de viagem

Você tem dúvidas ou mais dicas de como comprar passagens aéreas mais baratas para viajar? Conte para nós nos comentários!

Curta Instinto Viajante no Facebook e siga-nos pelo Instagram


« | »

Sobre