O que fazer em Pucón, Chile (além do óbvio)

rafting_pucon_chile_villarica

Está buscando o que fazer em Pucón, Chile, além dos passeios principais, como o vulcão Villarica e as águas termais?

Então você está no lugar certo para planejar sua viagem! Veja nossa lista completa do que fazer em Pucón, Chile!

Lembramos que esse artigo é destinado apenas a mostrar o que fazer em Pucón. Se você está planejando sua viagem, leia nosso Guia completo de Pucón e planeje melhor a trip com dicas de viagem, como chegar e preços.

Pucón, Chile

Pucón é uma pequena cidade situada na Região dos Lagos, na chamada Rota dos vulcões do Chile. Construída às margens do lago Villarica, nas proximidades da Cordilheira dos Andes, é a principal cidade para quem visita o Parque Nacional Villarica e o Parque Nacional Huerquehue, ambos tendo como principal interesse visitar vulcões. O primeiro, o mais conhecido e um dos mais ativos da América do Sul, o vulcão Villarica; e o segundo, o vulcão Quetrupillán.

Pucón também é muito procurada por suas águas termais, piscinas naturais com temperaturas de 32 a 45 °C. Porém, se engana quem pensa que com isso se esgotam as possibilidades de coisas para fazer em Pucón. A cidade possui uma infinidade de outros passeios, principalmente para quem busca ecoturismo, atividades a céu aberto e esportes de aventura.

Recomendamos viajar a Pucón principalmente se você gosta de natureza e esportes outdoor, como trilhas, trekking, rafting e escalada. A cidade é ótima para todas as idades, principalmente jovens e mochileiros, e possui os principais serviços, como restaurantes, hospedagens, posto de gasolina, bancos e terminal de ônibus. Um destino perfeito para viajar sozinho, em casal ou com a família.

GARANTIMOS que esse artigo irá ajudar em seu planejamento de viagem! Se você vê valor em nosso trabalho, nos ajude a seguir viajando, compartilhando dicas de viagem gratuitamente e mantendo nosso blog livre de propagandas e banners que poluem sua leitura. Clique aqui e doe quanto quiser para seguirmos atualizados. Muito obrigado!

Continue lendo para montar seu roteiro de viagem a Pucón com:

– Diversas opções com o que fazer em Pucón além do óbvio (escalar o vulcão Villarica e visitar as termas)

O que fazer em Pucón, Chile (os clássicos)

Informações turísticas – É possível pegar o mapa com as atrações e guia de Pucón em alguns postos de informações turísticas e agências no centro. O principal deles está no centro, na Av. Bernardo O’Higgins, 483, funcionando todos os dias, de 9h – 14h (no verão), e de 9h – 20h (no inverno).

Escalar os vulcões sozinho – Na calle Lincoyan, 336, há um centro da CONAF com mais informações sobre os parques Villarica e Huerquehue, e os vulcões Villarica e Quetrupillán, além da possibilidade de se inscrever e retirar a autorização para escalar as montanhas por conta própria.

Trekking vulcões Villarica e Quetrupillán – Passeios de trekking até a base dos vulcões ou até seus cumes são os mais populares e melhores para se fazer em Pucón. Esses custam a partir de Ch$ 25.000 (sem o valor de ingresso ao parque). Os que chegam ao cume do vulcão Villarica custam em torno de Ch$ 90.000; e para o cume do vulcão Quetrupillán, Ch$ 50.000, ambos com traslado, equipamentos, entrada para o parque e seguro para acidentes (saídas costumam ser bem cedo, como 6:30h, e os passeios duram em torno de 8h). Escalar os vulcões com agências custam mais caro, mas podem ser feitos por conta própria, caso possua equipamentos e experiência necessária, e com devido registro na CONAF. Esses passeios dependem das condições climáticas e é comum ter dias que o acesso está proibido. Se sua ideia é visitar Pucón para esse passeio, tenha em conta as previsões do tempo e reserve alguns dias mais como segurança para não frustrar sua viagem.

Parque Nacional Villarica e Parque Nacional Huerquehue – Os parques nacionais próximos de Pucón são excelentes opções para quem gosta de ecoturismo, piquenique, camping, e fazer trilhas e trekking, com lindos mirantes e montanhas. O Parque Nacional Villarica foi criado em 1940 e possui 63.000 hectares divididos entre as regiões de Araucanía e Los Ríos. Sua fauna e flora são preservadas e dentre suas espécies se destacam: o roedor degú de Bridges (Octodon bridgesi), o zorro chilla (raposa), o carpintero negro (pica-pau), o pato real, o halcón peregrino (Falcão-peregrino); e araucaria, raulí, coihue e canelo andino, no que toca flora. Principais senderos (trilhas) do Parque Nacional Villarica: Mirador Los Cráteres, Sendero Autoguiado Rucapillán, Pichillancahue, Lagos Andinos, Villarrica Traverse, e Sendero Fauna. Serviços no parque: pistas de esqui (inverno), camping e cavalgada. Horário: diariamente, de 8h30m – 20h (novembro a março); e 8h30m – 18h (abril a outubro). O ônibus até lá é da Buses Caburgua, com saída diária (8:30h, 13h, 16h todo ano; e extra as 18:20h em janeiro e fevereiro), e custa Ch$ 2.000.

Já o Parque Nacional Huerquehue está localizado na Região de Araucanía, dividido entre Pucón (35 KM do centro) e Cunco, bordeando o Lago Caburgua e Lago Tinquilco. Foi criado em 1967 e dentre suas espécies se destacam: o roedor ratón topo valdiviano (Geoxus valdivianus), o choroy (tipo de loro chileno), o lagarto matuasto e a ranita de Darwin (rã), além da araucaria e das lenguas, em se tratando de flora. Principais senderos (trilhas) do Parque Nacional Huerquehue: Los Lagos, Quinchol, Los Huerquenes, San Sebastián, e Ñirrico. Serviços no parque: hospedagens (cabanãs, hotel e refúgios/hostel), camping (Ch$ 18.000, na temporada alta; e Ch$ 9.000, na baixa), lanchonete, e minimercado. Estacionamento (cobrado somente em janeiro e fevereiro) por Ch$ 2.000. Horário: diariamente, de 8h30m – 20h (novembro a março); e 8h30m – 18h (abril a outubro). Valores de entrada: As entradas para os parques Villarica e Huerquehue custam os mesmos preços: Ch$ 2.500 (abril a outubro) e Ch$ 5.000 (novembro a março) para adultos estrangeiros; e Ch$ 1.500 (baixa) e Ch$ 3.000 (alta) para crianças estrangeiras. Passeios que saem do centro de Pucón com entrada, traslado e guia custam a partir de Ch$ 45.000. Mais informações: CONAF.

Águas Termais – Também devido a grande quantidade de vulcões na região, Pucón está localizada perto de um aqüífero termal, tendo nas proximidades diversas fontes de água termal com temperaturas de 32 a 45 °C. Os principais passeios incluem traslados e ingressos, e são para as Termas Geométricas (Horários: saídas geralmente as 10h, 12h e 14h. Valor: a partir de Ch$ 45.000). Há ainda outras termas como: Termas Huife (com hidromassagem, 33 KM), Termas Menetúe (termas noturnas, 26 KM), Termas Los Pozones (35 KM), e Termas Rio Trancura, com passeios que custam de Ch$ 25.000 a Ch$ 30.000, com horários a combinar. Você poderá encontrar outras termas menos badaladas a partir de Ch$ 8.000 – Ch$ 10.000, e se você estiver de carro, ir por conta própria sairá mais barato, pois cobram apenas ingressos nas termas. Outras termas: Palguín (31 KM), Curarrehue, Montevivo (32 KM), San Luís (32 KM), Liucura (18 KM), Panqui (58 KM), Quimeyco (30 KM), e Peumayen (28 KM).

Centro de Ski Pucón – Muitos turistas buscam Pucón durante o inverno para esquiar e praticar snowboard. A cidade é conhecida como “o paraíso do snowboard” e seu parque invernal, Ski Pucón, localizado próximo ao vulcão Villarica, conta com 20 pistas de esqui, excelente qualidade de neve, boa infraestrutura e serviços de acomodação, alimentação e aluguel de equipamentos. As pistas e estruturas do Gran Hotel Pucón Resort & Club recebem diversas competições de esqui e snowboard a nível internacional. Mais informações: Ski Pucón.

Vida noturna – Pucón não é um local de vida noturna agitada, principalmente devido ao seu tamanho. A cidade remete mais aos passeios a céu aberto ao longo do dia, ecoturismo e esportes de aventura. Ainda assim, possui algumas boas opções noturnas, principalmente jovens, dentre bares, restaurantes e pubs.

Festivais – Dentre os principais eventos e festivais de Pucón estão: o Festival del Chocolate (em junho).



Booking.com

O que fazer em Pucón além do vulcão Villarica e do óbvio

Ojos del Caburgua – Localizado a 17 KM do centro de Pucón, os Ojos del Caburgua são um grande poção alimentado por quedas-d’água fascinante. Vale a pena a visita e é um dos passeios imperdíveis da região.

Outras trilhas e trekking – Para quem curte trilhas e trekking, Pucón oferece outras opções além de ir as bases dos vulcões. As melhores trilhas de Pucón são encontradas na região das lagunas do Parque Nacional Huerquehue e/ou na Reserva El Cañi.

Praias, lagos e lagunas – O local bonito mais próximo do centro para caminhada é a La Poza, um lago com bancos e um calçadão bem bonito. Esse recorrido é ótimo para o lazer próximo do centro e para ir caminhando. Chegando nela, se vê o imponente vulcão Villarica à esquerda. Caminhando para a direita, chega-se a península de Pucón e, mais adiante, à Playa Grande, uma praia formada pelo Lago Villarica. Um pouco mais distante do centro, ao norte, estão a Playa Negra e Playa Blanca, formadas pelo Lago Caburga. Próximas desse, há um lindo complexo de lagos e lagunas, onde estão: Lago Tinquilco, Laguna Verde, Laguna Toro e Laguna los Patos, todas no Parque Nacional Huerquehue. A nordeste está a Laguna San Jorge; e a noroeste o Lago Colico.

Cachoeiras – Além dos já citados Ojos del Caburgua, que possuem em sua proximidade as cachoeiras Salto Bellavista, Salto los Copihues e Salto Carileufu, há outras lindas cachoeiras para ver em Pucón.  São elas: Saltos el Claro, Salto Mariman e Cascadas Río Turbio, mais próximas do centro; Salto Palguín, Salto la China e Salto El Léon, mais ao sul; Tres Saltos, ao norte; e Salto Malake, a leste.

Passeios próximos do centro de Pucón e gratuitos – A Plaza de Armas de Pucón é a típica pracinha de cidade pequena. Arborizada, bem bonita e limpa, é ideal para matar o tempo e levar as crianças para brincar ns brinquedos públicos. Outra bom passeio é para o Cemitério de Pucón e o Monastério Santa Clara, onde há um lindo jardim e mirante para a cidade. Onde? No fim da calle Ansorena. Horário: seg a sáb, 10h – 12h / 15h – 18h. Valor: gratuito.

Fotografia – Para os aficionados por fotografia, Pucón é um prato cheio. Os pontos de destaque são: Parque Nacional Huerquehue, Playa Blanca, Playa Negra, Reserva El Cañi, Palguín Alto, Mirador El Turbío, Los Nevados, Quelhue, Mirador El Cristo, Playa Grande, Cuevas Vulcánicas, vulcão Quetrupillán e vulcão Villarica.

Passeio de bicicleta – Uma boa opção é alugar uma bicicleta e passear nas proximidades. UM bom roteiro é desde La Poza, passando por toda orla e Playa Grande, depois visitando as margens do Río Plata e subindo pela região das cachoeiras Salto Carileufu, Ojos del Caburgua, Salto los Copihues e Salto Bellavista, chegando até as playas blanca e negra, e o Lago Caburgua. Um passeio pelo centro e indo até o Parque Municipal também é uma boa.

Turismo histórico-cultural – O Museo Mapuche de Pucón conta sobre a vida das comunidades Mapuches, aborígenes que habitaram e habitam territórios de Chile e Argentina. Há também um tour Mapuche com almoço étnico oferecido por empresas turísticas, com explicações da cultura aborígene local e prova de algumas comidas típicas (a partir de Ch$ 25.000 com translado). Há ainda a Casa Museo Padre Pancho, que conta a história de Monseñor Francisco Valdés Subercaseaux, o Padre Pancho, com objetos pessoais e obras de artes.

Entardecer – Um ótimo lugar para ver o fim de tarde é o lago La Poza.

Reserva Huilo-huilo – Além dos parques, Pucón possui a Reserva Huilo-huilo  em suas proximidades. Excelente para quem gosta de passear pela natureza mais selvagem, margeando os lagos Villarica, Calafquen, Pellaifa, Panguiopulli e Pirihueico. O fim do passeio é no Puerto Fuy, onde há uma cervejaria, hotel e o Salto Huilo-huilo. Serviços dentro da reserva: Hospedagens (Montaña Mágica Lodge com quartos a partir de Ch$ 110.000 por noite, por pessoa. Refúgio Canopy Village a partir de Ch$ 30.000 por noite, por pessoa. Agências oferecem o passeio com traslado desde o centro de Pucón e entrada na reserva, sem pernoite, por Ch$ 55.000. Para quem vai por conta própria a entrada na reserva custa Ch$ 2.500.

Turismo culinário – Dentre as feiras, estão a Feria Artesanal Feria Costumbrista Kui Kui, ambas no centro, onde se pode comprar objetos e roupas feitas por artesãos de Pucón, e alguns alimentos. Em uma visita a Pucón, não deixe de provar as sopaipillas chilenas com o molho pebre, o pão amassado (pães caseiros), o completo (hot-dog) com palta (abacate), e as bebidas chicha feita de maçã e o pisco chileno (espécie de cachaça local).

Birdwatching (observação de aves) – É possível observar pássaros nas proximidades dos lagos de Pucón, na Reserva Huilo-huilo e nos parques nacionais Villarica e Huerquehue. Há também passeios específicos para birdwatching no Parque Antumalal, no Lago Trailenco, no Salto del Maríman e nos Nevados, a caminho do vulcão Villarica. Valor: Ch$ 85.000 com traslado desde Pucón, visita aos 4 pontos, binóculos, lanche e guia bilingue. Opção de almoço no Hotel Antumalal por mais Ch$ 20.000 por pessoa). Algumas espécies de aves observadas em Pucón: Aguilucho, Bandurria, Cachaña, Cachudito, Pica-pau, Pica-pau negro, Halcón peregrino (Falcão-peregrino), Coruja, Martin Pescador, e Tenca. Mais informações: Birdwatching Pucón.

Outras atividades de agências – O tour Zona + Termas é um passeio de aproximadamente 6h muito comum entre as empresas de turismo e indicado para quem tem poucos dias na cidade. Ele visita os principais pontos de interesse de Pucón (cachoeiras, lagos e feiras), e finaliza em uma água termal. Valor: a partir de Ch$ 25.000 (com traslado e entrada nas termas). Outras opções oferecidas pelas agências de turismo de Pucón são: mountainbike, canoagem, caiaque, rafting (de Ch$ 18.000 e Ch$ 40.000), passeios de barco, hidrospeed (espécie de bodyboard puxado por lanchas, a partir de Ch$ 25.000), esqui-aquático, cavalgadas (cerca de Ch$ 25.000), canyoning e snapling (atividades sobre rios que incluem rapel, a partir de Ch$ 28.000, com guia, transporte, equipamento, entrada no canyon, seguro para acidentes e lanche), passeios de quadriciclo, passeios em 4×4, canopy (tirolesa), voos livres (parapente e para-quedas), paintball (a partir de Ch$ 15.000), e arvorismo. Há também excursões a pé pela natureza e feiras locais, bem como aluguel de bicicleta no centro da cidade.

Viaje com o melhor seguro viagem internacional: World Nomads (link afiliado)

Acreditamos que esse artigo ajudará no seu planejamento de viagem. Se você concorda conosco e vê valor em nosso trabalho, nos ajude a seguir viajando, compartilhando dicas de viagem e mantendo nosso blog livre de propagandas e banners que poluem sua leitura. Clique aqui e doe quanto quiser para seguirmos atualizados. Também compartilhe nosso artigo em sua rede social e ajude outros viajantes. Muito obrigado!

Leia nosso Guia completo de Pucón para saber dicas de viagem, como chegar e preços de hospedagens, alimentação e passeios.

Veja todos os nossos recursos de viagem para planejar sua melhor trip!



Booking.com

Valores e dados de maio de 2016

Caso tenha dúvidas, pergunte e tentaremos ajudar – sua dúvida pode ser a mesma de outros viajantes. Se encontrar erros ou atualizações avise-nos, por gentileza.

Curta Instinto Viajante no Facebook e siga-nos pelo Instagram

Foto divulgação O que fazer em Pucón: rupestrexplorer.cl


« | »

Sobre