Parque Nacional Los Alerces – Guia de viagem a Los Alerces Patagônia argentina (travel guide)

ecoturismo-patagonia-parque-nacional-los-alerces

Parque Nacional Los Alerces: como chegar, preços e as melhores coisas para fazer

Ecoturismo na Patagônia: dicas de viagens para planejar sua viagem para o Parque Nacional Los Alerces, na Argentina

Você gosta de viagens de ecoturismo?

Quer conhecer um dos melhores destinos de ecoturismo da América do Sul?

Sonha em conhecer a Patagônia?

Está planejando uma viagem para o Parque Nacional Los Alerces?

Então você está no lugar certo! Vem conosco que hoje vamos apresentar um dos parques mais completos e incríveis da Patagônia argentina. Saiba como chegar, preços, o que fazer e dicas de viagem para o Parque Nacional Los Alerces!

Parque Nacional Los Alerces

O Parque Nacional Los Alerces (Los Alerces National Park) é um dos principais destinos de ecoturismo da Argentina e com certeza um dos lugares mais lindos da Patagônia. Trata-se de uma área natural protegida na província de Chubut, na Patagônia, nas proximidades da Cordilheira dos Andes e da fronteira com o Chile. Los Alerces abrange, desde 1937, mais de 260 mil hectares de vegetação andino-patagônica, em sua maioria formada por bosques de imensos lahuáns ou alerces (lahuán como eram conhecidas as árvores pelos antigos aborígenes; alerce no pós-colonização), além de inúmeros lagos, rios, arroios, cachoeiras e lagunas.

O parque se destaca por sua natureza deslumbrante, variada e preservada. As cores dos lagos também são incríveis, sendo os principais, os lagos: Verde, Menéndez, Rivadavia, Futalaufquen e Krügger. Os rios Frey e Arrayanes, e a imponente geleira Glaciar Torresillas completam essa maravilha de cenário.

O Parque Los Alerces é um dos destinos mais completos que visitamos na Argentina, um passeio que combina lagos, lagunas, rios, bosques, trekking, praias de água doce, cachoeiras, miradores e até geleira.

Los Alerces é indicado para amantes de ecoturismo, flora e fauna, tranquilidade, camping, caiaque, standup paddle, birdwatching (observação de aves), etc, sendo indicado para turistas de todas as idades, sejam adultos, crianças ou idosos.

A seguir você saberá como chegar no Parque Nacional Los Alerces, os preços praticados, dicas low cost para economizar, o que fazer para quem vai a pé ou com veículos, e outros roteiros de viagem que podem ser combinados com o parque.

GARANTIMOS que esse artigo irá ajudar em seu planejamento de viagem! Se você vê valor em nosso trabalho, nos ajude a seguir viajando, compartilhando dicas de viagem gratuitamente e mantendo nosso blog livre de propagandas e banners que poluem sua leitura. Clique aqui e doe quanto quiser para seguirmos atualizados. Muito obrigado!

Leia todo artigo ou escolha o tópico no índice para ir direto ao assunto.

Índice

1. Como chegar no Parque Nacional Los Alerces

2. Clima, quando ir e o que levar para visitar o Parque Nacional Los Alerces

3. Média de preços no Parque Nacional Los Alerces

4. Dicas de como economizar no Parque Nacional Los Alerces (low cost)

5. O que fazer no Parque Nacional Los Alerces

6. Dicas de segurança e cuidados no Parque Nacional Los Alerces

7. Quantos dias reservar e outros roteiros que podem ser combinados com o Parque Nacional Los Alerces

1. Como chegar no Parque Nacional Los Alerces

O Parque Nacional Los Alerces está localizado na província de Chubut, na Argentina, a cerca de 670 quilômetros da capital provincial, Rawson. Sua rodovia nacional mais próxima é a famosa Ruta 40 argentina. O parque também dista 330 quilômetros de Bariloche e 1.920 quilômetros de Buenos Aires.

Cidades mais próximas do Parque Nacional Los Alerces

O Parque Los Alerces possui três acessos – as portarias sul, centro e norte. A cidade mais próxima do parque é Trevelin (a 23 quilômetros) tendo os povoados vizinhos, Esquel (a 45 quilômetros) e Futaleufu, no Chile (a 73 quilômetros), também próximos da Portada Sur e Portada Centro.

A Portada Norte, está mais próxima de Cholila (a 26 quilômetros), Epuyen (a 65 quilômetros) e El Bolsón (a 105 quilômetros).

Leia mais sobre como chegar de ônibus, avião e barco nas cidades da Patagônia.

Localização GPS Parque Nacional Los Alerces: 42°49′59″ S 71°52′00″ W

Como chegar em Los Alerces de ônibus:

Para chegar em Los Alerces há coletivos regulares, mas não todos os dias. O ônibus possui um horário pela manhã e outro pela tarde/noite e as saídas são: sexta, domingo e quarta.
Outra opção é contratar traslados com agências turísticas de Trevelin, Esquel, Cholila ou Futaleufu.
Valores no tópico 3.

Dica: o coletivo é um microônibus, portanto é fácil lotar (quando visitamos encheu, mesmo sendo um fim de semana de baixa temporada). Para quem segue a Esquel, aconselhamos toma-lo do ponto do Lago Verde (estacionamento/passarelas) para cima se quiser ir sentado. Caso queira pagar mais barato, deve-se tomar mais de baixo, mas com o risco de seguir viagem em pé. Para quem segue a Cholila a lógica é inversa.

Como chegar em Los Alerces de carona – low cost: para tentar carona até o parque você deve se posicionar em uma das saídas das cidades próximas: Trevelin, Esquel, Cholila e Futaleufu. Para obter mais ajuda consulte os grupos Camioneros y Mochilas Argentina, Mochileros Argentina e Mochileros/as (Argentina) no Facebook, além dos aplicativos Carpoolear e Tripda. A cultura de dar carona é muito grande na região e pode ser uma possibilidade de economizar e conhecer mais pessoas.

Confira aqui como chegar e se locomover em todas as cidades da Patagônia argentina e chilena

Mapa do Parque Nacional Los Alerces

2. Clima, quando ir e o que levar para visitar o Parque Nacional Los Alerces

Qual o clima e temperatura no Parque Nacional Los Alerces? No verão, as temperaturas variam entre 14 e 30 graus. No inverno, as máximas chegam a 2 graus, enquanto as mínimas podem chegar a -20 graus. Nessa época está tudo congelado e os veículos necessitam de correntes para circular. O clima é seco e pode haver mudanças repentinas causadas por ventos comuns na Patagônia.

Qual a melhor época para visitar o Parque Nacional Los Alerces? Verão, primavera e outono. De novembro a abril. Nos meses de junho e julho, em pleno inverno, o frio é intenso e os dias mais curtos (amanhece mais tarde e anoitece mais cedo). No verão os dias são mais longos. Primavera e principalmente outono são lindas as cores da vegetação. De novembro a abril, as temperaturas são mais quentes e perfeitas para caminhadas e mergulhos no lago nos dias de sol. Os meses de março e abril são considerados baixa temporada, tendo ótimos dias de sol, menor número de visitantes e preços mais baixos.

Que roupas e equipamentos devo levar para o Parque Nacional Los Alerces?

Inverno: roupas de frio rigoroso altamente recomendadas. Casacos bem abrigados, roupas que cortam vento e blusas e calças segunda pele e/ou térmicas são necessárias. Além delas, gorros, luvas, meias e cachecóis. Para quem acampa, uma barraca técnica para inverno e um bom saco de dormir são necessários. O inverno na Patagonia é realmente MUITO frio, não pense que vestir muitas camadas de roupas comuns irá te proteger bem (fiz isso no verão e já não era tão confortável).

Fim da primavera até início do outono: blusas, calças, casacos e roupas de frio comuns para a noite já são suficientes. Durante o dia pode-se caminhar com bermudas, shorts e blusas. Gorros, luvas, boas meias e cachecóis não são estritamente necessários. Para quem acampa, uma barraca e um saco de dormir comuns são suficientes.

Equipamentos técnicos / trilhas: levar bastões de caminhada e calçados específicos de trekking deixam os passeios mais confortáveis, mas não são estritamente necessários. Calçados confortáveis e roupas leves para caminhar são altamente recomendados.

Lanches e sacos plásticos: lanches para as caminhadas e sacolas para guardar o próprio lixo e possíveis roupas sujas são importantes.

Filtro solar e protetores labiais: recomendado levar, pois os dias de sol e verão são quentes. Manteiga de cacau é uma boa devido ao clima seco.

Adaptadores de tomada e baterias extras: o padrão de tomada argentino é diferente do brasileiro e de alguns outros países. Leve adaptador para o seu tipo de equipamento. Levar pilhas e baterias extras é muito indicado também – o parque é lindo e serão muitas fotos se esse é um hobby seu.

O que NÃO preciso e o que NÃO devo levar:

Animais de estimação: é proibida a entrada de “mascotas“, como eles dizem. Portanto, seu cão, gato ou outros animais não poderão ir ao parque.

Repelente: não vimos necessidade de levar, pois não há mosquitos no parque.

Salto alto e similares: loucura levar. Leve calçados confortáveis para caminhada e chinelo. Mulheres, calçados rasteiros.

3. Média de preços no Parque Nacional Los Alerces

O Parque Nacional Los Alerces, suas imediações, hospedagens e passeios não são baratos, assim como em toda Patagônia. Todavia, não figura entre os parques mais caros da Argentina e tampouco trata-se de um passeio de luxo. O valor da entrada consideramos justo em relação ao que se oferece.

O parque dispõe de uma estrutura turística bem razoável (considerando as limitações de um parque), oferecendo diversos tipos de hospedagens, preços e níveis de conforto, além de passeios terrestres e lacustres, cavalgadas, restaurantes/lanchonetes e mercadinhos.

Hospedagem low cost, campings e hostel no Parque Nacional Los Alerces: dormitórios baratos (refúgios) possuem diárias a partir de a$ 200 na baixa temporada, e a$ 250,00, na alta temporada. Há campings livres (gratuitos), agrestes (organizados, mas com uma estrutura mais rústica e rural) e organizados. Os campings agrestes custam (na alta) cerca de a$ 80,00 a diária por pessoa, enquanto os organizados a$ 100,00 – ambos com banho quente e sem WI-FI.

Cabañas no Parque Nacional Los Alerces: a cabaña completa possui diária de a$ 1.200 na baixa temporada e a$ 1.500 na alta, podendo ser utilizada sozinho(a), em casal, família ou grupos (faça a reserva com antecedência na alta temporada).

Custo médio de alimentação no Parque Nacional Los Alerces: o parque possui poucas opções de lanchonetes e restaurantes, normalmente ligadas às hospedagens. Em geral, é possível encontrar café da manhã por a$ 80,00 e refeições a a$ 200,00, em média. Fazer as compras nos mercados das cidades e levar para o parque deixam as despesas com alimentação bem mais baixas.

Custo dos transportes no Parque Nacional Los Alerces: o microônibus é da Transportes Esquel e possui valor por trecho, confira alguns preços de quem segue para Esquel: Villa Los Alerces/Futalaufquen (a$ 58,00), Bahia Rosales (a$ 74,00) e Lago Verde – estacionamento/passarelas (a$ 90,00). As passagens podem ser adquiridas antecipadamente ou no momento da viagem (pelo que entendemos não há diferença, já que a compra antecipada não garante uma viagem sentado). Um táxi ou remis até o Parque Nacional Los Alerces gira em torno de a$ 300,00 e traslados de agências de a$ 200 ida e volta.

Importante: há pouquissímos horários de transportes públicos e os mesmos podem variar por temporada, portanto informe-se e procure saber sobre os horários e custos assim que chegar no parque. Em geral, existem duas saídas por dia no máximo.

Valor do estacionamento no Parque Nacional Los Alerces: há alguns lugares gratuitos para estacionar e outros pagos. Lugares pagos custam a$ 50,00.

Custo dos principais passeios, atividades e ingresso no Parque Nacional Los Alerces: a entrada no parque custa a$ 120,00 para estrangeiros em geral e a$ 100,00 por pessoa para estrangeiros de países do Mercosul (como o Brasil). Esse valor inclui quantos dias quiser dentro do parque – só paga novamente caso queira sair e voltar.

Dias completos (full day) no parque com saídas das cidades próximas custam a partir de a$ 700,00 (baixa temporada) e a$ 800 (alta). O preço de passeios lacustres (excursão de barco) também valem a partir de a$ 700,00 (baixa temporada) e a$ 800 (alta). Passeios para rafting sem transportes a partir de a$ 400,00 e a$ 600,00 com transporte, por pessoa em grupos. Cavalgadas normalmente fecham grupos de no mínimo quatro pessoas e custam a partir de a$ 100,00.

4. Dicas de como economizar no Parque Nacional Los Alerces (low cost)

Camping gratuito: Existem nove áreas de camping grátis dentro do Parque Nacional Los Alerces, todas sinalizadas no mapa. Em geral, é permitido fazer fogueira em áreas indicadas dos campings (tome cuidado ao apagar) e alguns possuem churrasqueiras e banheiro (sem duchas). Importante: há alguns locais que cobram cerca de a$ 30,00 para tomar banho. Caso não queira pagar as opções são: banho no lago (sem sabão, pois polui!!), lenços umedecidos ou dormir sem banho (rsrsrs).

Mercados das cidades: Ao passar pelas cidades vizinhas, antes de ir ao parque, aproveite para fazer as compras nos mercados maiores. Dentro do parque há algumas “provedurias” e “kioskos“, espécies de minimercados, mas obviamente são mais caros e com menos opções.

Água: Não é necessário comprar ou levar água, pois o parque possui diversas fontes de água potável. Leve sua garrafa.

Entrada no parque: Na baixa temporada, há chances de que o parque não cobre ingresso para entrar.

Alugar um carro: Na Patagônia argentina e chilena as distâncias são longas e os valores de coletivos e traslados altos, portanto considere alugar um carro e dividir entre amigos. Se tiver essa possibilidade a viagem poderá ficar melhor e mais barata. O valor do aluguel nas cidades próximas giram em torno de a$ 700,00 por dia para carros comuns e a$ 1.800 para veículos 4×4 e pickups.

Carona: Na Patagônia há uma grande cultura de mochileiros e viajantes de carona, portanto tentar chegar e sair de alguns lugares de carona é bastante viável na alta temporada, quando o fluxo de carros é maior. Na baixa temporada é mais difícil, mas possível, principalmente nos fins de semana, quando os moradores comuns vão ao parque.

5. O que fazer no Parque Nacional Los Alerces

Nesse tópico mostraremos onde pegar o mapa do Parque Nacional Los Alerces e suas principais atividades.

Mapas – É possível pegar mapas com as atrações nos postos turísticos das cidades de Trevelin, Esquel e Cholila. O mapa também é distribuído nas entradas do parque e nas casas de guarda-parques. Há o mapa geral do parque, outro de trilhas e trekking com relevos, um para fauna e outro para flora.

Com veículos ou de bicicleta – para quem visita o parque de carro, moto, bicicleta ou similares, é possível percorrer toda a estrada que corta o parque, estacionando sempre que for tomar um sendero (trilha), por onde obrigatoriamente é preciso caminhar. Com veículos é mais fácil cobrir um número maior de trilhas ao longo do parque.

Outra opção é deixar o veículo em uma das entradas do parque, campings ou pousadas e recorrer tudo a pé, pois as paisagens são deslumbrantes e algumas são privilégios de quem explora caminhando.

A pé – Visitar o Parque Nacional Los Alerces e explorar suas lindas paisagens pode ser ainda melhor dessa forma, isso, pois, boa parte da caminhada pode ser feita às margens de lagos e rios verdes e azuis ou em trilhas com lindos bosques de alerces e arbustos característicos da região, como a rosa mosqueta. Veja aqui as principais trilhas de Los Alerces.

Atividades do Parque Nacional Los Alerces

Trekking e trilhas – São dezenas de trilhas (senderos) dentro do parque, com diferentes níveis de dificuldade e tempo. São diversas opções de miradores (mirantes), cachoeiras, rios e lagos. Uma das caminhadas mais lindas e imperdíveis dentro do Parque Nacional Los Alerces é pela passarela com vista para o Lago Verde, Rio Arrayanes e Rio Menéndez. Veja nosso guia definitivo de trilhas de Los Alerces.

Pinturas rupestres – Uma das trilhas interessantes e de caráter histórico do parque é para ver as pinturas rupestres, antigas inscrições feitas pelos povos originários. O passeio dura em torno de uma hora, em uma caminhada fácil de pouco mais de 2 KM (ida e volta).

Lahuans (alerces) centenários – O parque possui magníficos lahuans, enormes e centenários. O mais antigo possui mais de 2.500 anos e em geral, todos possuem próximo de 50 metros de altura.

Lagos e rios – Os lagos e rios do parque são lindos, com muitas variações de tons e transparência. Os maiores lagos são: Menéndez, Rivadavia, Futalaufquen e Krügger, mas o Lago Verde também merece uma visita, pela passarela. Os rios Frey e Arrayanes são lindos, esse último com lindo entorno refletido em seu curso.

Glaciar Torresillas e Lago – O mirante para a geleira Glaciar Torresillas é talvez o mais lindo do parque, tanto pela montanha com gelo, quanto pela praia formada pelo Lago Menéndez.

Central Hidrelétrica Futaleufu – A central hidroelétrica inserida dentro do parque, na parte sul, é um dos locais mais visitados. Lá se pode observar o espelho d’água no lago formado pela represa Amutui Quimei.

Birdwatching (observação de aves) – O parque inteiro possui uma grande possibilidade de observação de pássaros. As espécies mais encontradas são: martin pescador, pica-pau, codorniz de California, bandurria austral, cauquen real, aguilla mora, condor andino, comesebo patagónico, chimango, etc.

Pesca – O parque permite a pesca em alguns pontos, informe-se.

Mergulho – Os lagos possuem águas transparentes excelentes para mergulho, principalmente o Lago Futalaufquen e suas águas profundas.

Caiaque e Standup paddle – Praticar standup e caiaque no parque são ótimas atividades e é possível em vários lagos.

Atividades de agências – Agências normalmente organizam dias completos pelo parque, passeios em barco, caiaque, cavalgadas e rafting. Além disso, há a possibilidade de visita a geleira Glaciar Torresillas.

6. Dicas de segurança e cuidados no Parque Nacional Los Alerces

Roubos e violências: O Parque Nacional Los Alerces não oferece esses perigos e conta com vários serviços de guarda-parques.

Incêndios: O parque possui alto risco de incêndios, tome muito cuidado ao fazer fogo, apague completamente e somente com água.

Poluição: Aproveite os lagos para tomar banho, são ótimos para mergulhar. Mas lembre-se de não poluir com lixos, guimbas de cigarro, absorventes e afins. Ao tomar banho nas águas não use nenhum produto, nem sabonete. Ao escovar os dentes, pegue água com algum recipiente e não jogue pasta de dente no lago. Se necessitar urinar e defecar, faça longe das trilhas e águas. Papel higiênico também é lixo, caso seja impossível de levar, enterre-o.

Animais peçonhentos ou venenosos: Não há registros de cobras, escorpiões, aranhas ou afins que ameacem a vida de um ser humano no Parque Nacional Los Alerces.

O que fazer se ver um puma? Os pumas são provavelmente a maior chance de perigo dentro do parque. Mesmo assim, não é um animal que costuma oferecer perigos a humanos. A possibilidade de encontrá-los nas regiões comumentes visitadas do parque são mínimas. Caso ocorra, a recomendação é: não correr. Mantenha-se parado observando-o até que se afaste – o puma tem medo de humanos. Se houver hostilidade por parte do animal, agite seus braços e roupas, e levante suas mãos, utilizando-as para “aumentar” seu corpo. O animal deverá se afastar. Caso veja algum informe aos guarda-parques.

7. Quantos dias reservar e outros roteiros que podem ser combinados com o Parque Nacional Los Alerces

Quantos dias dedicar? 2, 3 ou 5 dias – Nós pensamos que dois dias para quem visita o parque com automóveis; e três dias (duas noites) para quem vai sem automóveis, são uma boa escolha. Para os que desejam realizar muitas trilhas, recomendamos pelo menos 5 dias.

E depois? A maioria das pessoas que visitam o Parque Nacional Los Alerces vão de Trevelin e Esquel. Desses, para quem segue viagem sentido Bariloche (para o norte da Argentina), há a possibilidade de seguir por dentro do parque, conhecendo mais atrações e saindo pela portaria norte, viajando pelas pequenas e lindas cidades de Cholila, Epuyen e El Bolson.

Quem entra pelo norte também pode seguir por dentro do parque e sair pela portaria centro ou sul, para as cidades de Trevelin e Esquel, à caminho de Futaleufu, Chile.

Nota: As estradas do parque não são asfaltadas.

Planeje sua viagem com nosso guia completo de Esquel

Lembra do que dissemos no início do post? Garatntimos que esse artigo ajudaria no seu planejamento e orçamento de viagem. Se esse artigo realmente te ajudou de alguma forma e se você vê valor em nosso trabalho, nos ajude a seguir viajando, compartilhando dicas de viagem e mantendo nosso blog livre de propagandas e banners que poluem sua leitura. Clique aqui e doe quanto quiser para seguirmos atualizados. Muito obrigado!

Os valores costumam mudar por temporada. Os valores e dados desse post são de março de 2016

Se esse artigo lhe ajudou pode ajudar outros viajantes, curta e compartilhe =)

Caso tenha dúvidas, pergunte e tentaremos ajudar – sua dúvida pode ser a mesma de outros viajantes. Se encontrar erros ou atualizações avise-nos, por gentileza.

Curta Instinto Viajante no Facebook e siga-nos pelo Instagram


« | »

Comentários

  1. […] Blog Instinto Viajante também tem um post ótimo, com muitas dicas úteis! Clique aqui para […]

Sobre