10 lições que todo viajante deveria aprender com o Mochileiro das Galáxias para viajar melhor

Lições que todo viajante deveria aprender lendo O Guia do Mochileiro das Galáxias

10 aprendizados da série de Douglas Adams que todo viajante precisa saber

Você se considera um viajante nato e ainda não leu O Guia do Mochileiro das Galáxias (The Hitchhiker’s Guide to the Galaxy)? Você está fazendo isso errado! Na série de cinco livros escrita por Douglas Adams, os personagens embarcam nas mais loucas aventuras do Universo, visitando diversos planetas. Ao longo da trama, Adams tem excelentes tiradas e alusões com o nosso tão querido planeta azul e verde. Além disso, são inúmeros aprendizados que ficam para os viajantes da vida real.

No Brasil, a série foi lançada com os títulos:
1- O Guia do Mochileiro das Galáxias (The Hitchhiker’s Guide to the Galaxy)
2- O Restaurante no Fim do Universo (The Restaurante at the end of the Univese)
3- A Vida, o Universo e Tudo Mais (Life, the Universe and Everything)
4- Até mais, e obrigado pelos peixes! (So long, and thanks for all the fish)
5- Praticamente inofensiva (Mostly Hamless)

O Instinto Viajante listou 10 lições retiradas do Guia do Mochileiro das Galáxias que você precisa lembrar durante suas viagens.

Atenção: esse artigo pode conter spoiler.

10. Saiba a importância e funções da toalha

Um dos legados mais famosos da série O Guia do Mochileiro das Galáxias é em relação à toalha e suas múltiplas funções. O fato virou febre no mundo nerd e cultura geek, sendo inclusive comemorado “o dia da toalha“, em 25 de maio.

Segundo o Guia do Mochileiro das Galáxias, “a toalha é um dos objetos mais úteis para um mochileiro interestelar. Em parte devido a seu valor prático: você pode usar a toalha como agasalhopode deitar-se sobre ela (como uma canga)pode dormir debaixo dela (como cobertor); pode umedecê-la e utilizá-la como arma; enrolá-la em torno da cabeça e proteger do sol, ou nos olhos, protegendo da areia em locais desérticospode agitar a toalha em situações de emergência para pedir socorro, etc. E entre inúmeras outras funções, naturalmente, pode usá-la para enxugar-se se ainda estiver razoavelmente limpa”.
Há ainda o imenso valor psicológico da toalha. Por algum motivo, quando alguém que não é mochileiro descobre que um viajante tem uma toalha, ele automaticamente conclui que ele tem também escova de dentes, esponja, sabonete, lata de biscoitos, garrafinha de aguardente, bússola, mapa, barbante, repelente, capa de chuva, traje espacial, etc, etc em sua mochila. Sendo assim, esta pessoa terá prazer em emprestar ao viajante qualquer um desses objetos, ou muitos outros, que o mochileiro por acaso tenha ‘acidentalmente perdido’. O que o não viajante vai pensar é que, se um sujeito é capaz de rodar por toda a Galáxia, acampar, pedir carona, lutar contra terríveis obstáculos, dar a volta por cima e ainda assim saber onde está sua toalha, esse sujeito claramente merece respeito.

Aconteça o que aconteça, nunca esqueça sua toalha!

9. Tenha uma boa fonte de consultas

O livro diz que “se o Guia do Mochileiro das Galáxias fosse impresso como um livro tradicional seriam necessários vários prédios grandes para guardá-lo tamanha é sua quantidade de informações”. Assim como os personagens viajantes Ford Prefect e Arthur Dent usam o Guia para consultar diversas informações à respeito dos planetas que visitam, você precisa de uma boa fonte de informações sobre os países que irá visitar. Consulte sites de viagens, planeje, tente se manter conectado a serviços de mapas online e aplicativos e tenha um mapa físico da cidade sempre à mão. Com isso você estará sempre pronto para curtir as cidades da melhor forma possível. mas atenção a próxima dica.

8. Não planeje muito as coisas

Ao longo da trama, os personagens de Douglas Adams viajam por diversos planetas de forma pouco planejada, quase sempre à mercê do que der e vier. Isso, de certa forma, é bom e pode servir como uma dica para todo viajante. Não faça e siga planos muito enrigecidos. Permita-se o inesperado e esteja aberto a opções e acasos do destino. Você verá o quanto suas viagens se tornarão mais divertidas. Quando não se espera nada e está aberto a tudo quase sempre se satisfaz com o que há.

7. Confie nos amigos e permaneça junto

Nas diversas enrascadas que os personagens se metem durante os cinco livros a lição que fica é: esteja sempre ao lado dos seus amigos, confie neles e não os abandone. Faça sempre jus a regra do “viemos juntos, voltaremos juntos”. Quando sair para qualquer lugar converse com os amigos e volte sozinho apenas se for um consenso entre vocês e for seguro. Não deixe um amigo na mão nunca. Isso poderá livrar-los de boas enrascadas, além de fortalecer a parceria.

6. Não seja rabugento e negativo

O robô mais famoso do Guia do Mochileiro das Galáxias é o Marvin, um robô depressivo e melodramático que vive se lamentando, questionando negativamente a existência sua e de qualquer um, cabisbaixo, e que nunca está satisfeito com nada. Conhece alguém assim? Pois é, todos conhecem. A lição aqui é simples: não seja você o depressivo, pessismista, chato e resmungão da galera, isso não é bom, nem pra você, nem pro grupo.

5. Não deixe que o medo impeça as viagens

Independente do risco das missões, os personagens do Guia do Mochileiro das Galáxias nunca desistem de uma boa viagem. Na vida real faça o mesmo! Não deixe de visitar aquela cidade ou aquele país só porque todos falam que é perigoso. Tenha cautela, cuide-se, mas vá conhecer por você mesmo. Tirar suas conclusões. Lembre-se que sempre há um senso comum entre as pessoas de que tudo é perigoso, infelizmente, e na maioria das vezes isso nem se justifica.

4. Aprenda a ouvir mais e falar menos

Ford Prefect, um alienígena e principal mochileiro da série, possui a chamada “teoria da fala inútil” que tenta explicar porque os seres humanos têm o hábito de afirmar e repetir coisas óbvias do tipo: “nossa, como está frio” ou “ah meu Deus, você levou um tiro! Está doendo?”. Ele possui duas teses para tal. A primeira é que “se os seres humanos não ficarem constantemente utilizando seus lábios, eles grudam e não abrem mais”. A segunda é que “se os seres humanos não moverem seus lábios, seus cérebros começam a funcionar”.

Pois é! É isso mesmo que você provavelmente entendeu. Fale menos, ouça mais e seu cérebro começará a funcionar!

3. Sinta-se capaz e acredite em si mesmo

O principal terráqueo da série chama-se Arthur Dent e este é frequentemente tido como incapaz e derrotado por quase todos. Ainda assim, ele acredita em si mesmo o suficiente para participar de diversas missões e inclusive contribuir para o sucesso das mesmas. Haja como Dent, acredite em si mesmo e esqueça as opiniões negativistas de terceiros que te põem pra baixo. Todos são capazes de tudo, inclusive você! Basta querer!

2. Esvazie a mente de vez em quando

O Guia do Mochileiro das Galáxias também ensina a voar. Segundo ele, “há toda uma arte, ou melhor, um jeitinho para voar que consiste em aprender como se jogar no chão e errar. A primeira parte é fácil. Ela requer apenas a habilidade de se jogar pra frente, com todo seu peso, e o desprendimento para não se preocupar com o fato de que vai doer. Ou melhor, vai doer se você deixar de errar o chão”.

A segunda parte é sobre esvaziar a mente a respeito do que você está fazendo naquele momento e, de acordo com o Guia, você será capaz de voar. Será que é 100% mentira?

Ele diz “Ignore todas as considerações a respeito de seu próprio peso e simplesmente deixe-se flutuar mais alto. Não ouça nada que possam dizer nesse momento, porque dificilmente seria algo de útil.
Provavelmente dirão algo como: ‘Meu Deus, você não pode estar voando!’
É de vital importância que você não acredite nisso: do contrário, subitamente estará certo.”

O Guia ensina claramente como meditar. Durante suas viagens reserve momentos para ficar sozinho, focado no nada, observando o horizonte, ouvindo o som dos pássaros imerso na natureza mais selvagem. Livre-se dos pensamentos e distrações. Nesses momentos você se sentirá mais completo apesar de estar “vazio” e será capaz de tomar decisões e pensar a respeito de sua vida de forma mais eficaz.

1. Não entre em pânico

A mais importante lição do Guia do Mochileiro das Galáxias para viajantes. Não entre em pânico!

O livro afirma: “A razão de o Guia do Mochileiro das Galáxias ser o livro de maior sucesso da galáxia é, em primeiro lugar, por ser menor e ligeiramente mais barato do que a Enciclopédia Galáctica e, em segundo lugar, por trazer a frase ‘Não Entre em Pânic’ (‘Don’t Panic!’) em letras garrafais e amigáveis escrita na capa”.

Se você é mochileiro saiba que passará por diversas dificuldades ao longo da sua jornada, principalmente se for uma viagem solitária. Nesses momentos, mantenha a cabeça fria, fique centrado e lembre-se da maior lição de Douglas Adams: não entrar em pânico. Agindo de cabeça fria você terá bem mais chances de resolver suas situações de forma satisfatória e positiva para você. Fique frio, tudo logo estará bem!

 

Curta Instinto Viajante no Facebook e siga-nos no Instagram.

Foto: Gorillageek.com.br


« | »

Comentários

  1. […] A primeira comemoração do Dia da Toalha foi em 25 de maio de 2001, uma homenagem a Douglas Adams, autor da série do Guia do Mochileiro das Galáxias, considerada leitura obrigatória para os nerds. No livro o autor escreveu uma página inteira sobre a importância da toalha, que você pode ler aqui. […]

Sobre