Trilha da Prainha em Itacaré, Bahia

trilha-da-prainha-itacaré-bahia

Como chegar e a trilha da Prainha de Itacaré, Bahia

Já falei sobre a trilha da Prainha no Guia de viagem para Itacaré, Bahia, do Instinto Viajante, além de dar outras dicas para quem vai conhecer a cidade.

Contudo, não entrei em detalhes e, como muitas pessoas não sabem como chegar na Prainha, onde começa a trilha e como ela é, resolvi escrever este artigo detalhado, dando dicas e mostrando fotos desta que é uma das melhores praias de Itacaré, na Bahia.

Ajude o Instinto Viajante a se manter no ar =) Clique aqui e doe quanto quiser. Obrigado!

Valores e dados de janeiro de 2017

trekking-prainha-itacare-ba

Trilha da Prainha, em Itacaré, Bahia.

Trilha da Prainha de Itacaré | Bahia

seta-instinto-viajante Como chegar na Prainha

  • Distância: 3 KM (30-40 minutos)
  • Dificuldade: trilha fácil em esforço e orientação
  • Mapa Wikiloc (autor: 7 Cantos do Mundo)

A maior parte da trilha é protegida do sol, pois é por dentro da mata. Mas, não se preocupe, não é tão fechada e o caminho é bem marcado devido ao uso recorrente da trilha.

A trilha da Prainha começa na praia da Ribeira, a última das 4 praias urbanas de Itacaré. Ao chegar na Ribeira, você deve seguir pela ruazinha à direita, logo após o ponto de moto táxis (sem descer na praia da Ribeira e atravessar o rio).

Nesse local é possível contratar guias, caso você não queira ir por conta própria. No entanto, o caminho é bem fácil até a Prainha.

Seguindo pela ruazinha, você logo passará por uma piscina natural que represa as águas do rio, à esquerda. Um pouco adiante, no início da trilha, há uma bifurcação, os dois caminhos chegam na Prainha, mas o da esquerda é mais curto.

trilha-da-prainha-itacaré-ba

Começo da trilha da Prainha de Itacaré, próximo da praia da Ribeira.

Siga por ele pelo caminho marcado, sempre à direita do rio, passando por uma ponte onde pratica-se arvorismo e em frente, até chegar em um local com uma piscina natural, uns banquinhos e um chuveiro improvisado com uma garrafa Pet, onde você pode refrescar-se um pouco. Normalmente há algum (a) vendedor (a) ambulante neste lugar.

Daí, siga pela esquerda, cruzando o rio (há pedras para pisar). Mais uma vez: o caminho da direita também dá na Prainha (passando pela estação de tratamento de água da EMBASA), mas é mais longo.

Indo pela esquerda, você atravessará o rio, e basta seguir pela trilha marcada, sempre margeando o rio.

Em uns 15 minutos, em uma subidinha, haverá um espaço mais amplo, com terras de barro. Aí é onde os caminhos se encontram, tendo: o caminho que você está; um a direita que vem da estação de tratamento de água (EMBASA); um para a esquerda; e outro que seria reto, olhando pelo seu ângulo, ao lado esquerdo de uma barraca improvisada, onde costuma haver pessoas vendendo bebidas. Esse último (à esquerda de quem olha para a barraca, bem colado nela) é o que vai para a Prainha, que está a uns 20 minutos daí.

trilha-prainha-itacaré-ba

A trilha da Prainha estava cheia quando fomos, mas nem sempre é sim. Leve poucas coisas e tome cuidado pelo caminho, o lugar não é tão seguro.

A trilha continua pela mata, com pequenas subidas e descidas, sem bifurcações e bem marcada, até o final. Há uma cerca na borda da trilha (à direita). Em poucos minutos há uma subida, onde abre-se um clarão com vista para o mar.

A trilha segue margeando o oceano em um bonito cenário com uma passarela e ótimos mirantes para fotos.

Poucos minutos adiante, há uma descida e, à esquerda, há uma pequena (e bonita) praia de pedras, coqueiros e área gramada. Logo depois, chega-se a um riozinho, parecendo um mangue, e uma ponte, de onde já se consegue ver a tão desejada Prainha.

seta-instinto-viajante A Prainha

preços-prainha-itacare-ba

Foto panorâmica da Prainha de Itacaré – pensando bem seu nome não devia ser “prainha”.

Apesar do nome, a Prainha não é tão pequena, tendo uma boa faixa de areia para ficar. A areia é fina e clara, e o mar costuma ser agitado, com ondas frequentes e bom para surfe.

Por trás da faixa de areia há uma bonita fileira de coqueiros e seu entorno é protegido por rochas e Mata Atlântica.

Tome cuidado com o mar, pois na Prainha não há serviço de salva-vidas e as correntezas podem ser traiçoeiras.

A praia é linda e vale muito a pena visitar – não é à toa que frequentemente é eleita uma das praias mais bonitas do Brasil!

Veja mais fotos da Prainha na galeria abaixo (segure o CTRL em seu teclado e clique nas miniaturas para visualizar melhor):

Estrutura

Há um quiosque que vende alguns comes e bebes, como queijos, água, refrigerante, cervejas e água de coco, mas não deixe de levar água e algo para comer, por precaução, e caso queira economizar. O quiosque possui ducha e banheiros.

seta-instinto-viajante A trilha da Prainha com guias e agências de turismo

como-chegar-na-prainha

Chegando na Prainha pela trilha.

 

Fazer a trilha da Prainha de Itacaré por conta própria é bem tranquilo, mas, caso você prefira realiza-lo com algum (a) guia ou agência de turismo, há várias opções no centro de Itacaré, principalmente na rua Pedro Longo (popularmente conhecida como Pituba).

Guias independentes – Costumam ficar pela praia da Ribeira e cobram R$ 60 para levar um casal até a Prainha. Grupos como de 10 pessoas costumam custar R$ 100 (dá pra negociar os valores).

Agências de viagem – Cobram a partir de R$ 45 (há muitas na rua da Pituba).

Os passeios, geralmente, visitam as 4 praias urbanas de Itacaré (Resende, Tiririca, Costa e Ribeira) e depois seguem pela trilha até a Prainha.

Você pode ver algumas agências nesse guia de viagem para Itacaré.

seta-instinto-viajante Dicas trilha da Prainha de Itacaré

trilha-prainha-itacare-bahia

Mirante na trilha da Prainha.

Quando ir?

O inverno é o período que mais chove em Itacaré, portanto ir no verão significa mais chances de dias de sol e céu limpo. Além disso, o verão é a temporada alta, quando a Prainha está mais segura (entenda a seguir o por quê).

Segurança

Quando fiz a trilha da Prainha com a Isabela, em janeiro de 2017, não tivemos problema algum de assalto ou algo parecido. Também conhecemos quem fez a trilha e foi tudo bem.

Porém, infelizmente, há vários casos de assaltos nessa trilha, como esse relato da Ana Carolina, para o blog de viagens Viaje na Viagem.

Nós fomos com certo receio e, por isso, levamos pouquissímas coisas. Nossa única coisa de valor era o celular para tirar fotos e, mesmo assim, o deixamos escondido a maior parte do tempo.

Ao chegar na Prainha o clima já é mais tranquilo, pois há mais pessoas (no verão).

Eu aconselho você não deixar de conhecer esta linda praia, pois é muito bonita e vale a pena. Apenas siga estas dicas:

  • prefira ir no verão e pela manhã, quando a trilha está mais movimentada. Assim você aproveita bem a praia e não retorna tarde, nem sozinho (a);
  • ao começar a trilha, espere algum grupo grande ou pessoas acompanhadas por guias para ir atrás, como forma de segurança;
  • leve poucas coisas e evite chamar muito a atenção para os bens que levar consigo. Se possível, troque a mochila por uma sacola de mercado.

No verão, há mais chances da Prainha estar policiada, inclusive com alguns policiais à paisana.

Sobre os assaltos, não pense que é algo que ocorre em todos os lugares de Itacaré, pois não é. Dá pra visitar a cidade sem problemas e nós passamos quase três meses por lá que foram super tranquilos. Há muitos comentários exagerados, inclusive nesse link que deixei aí em cima.

Há lugares pontuais, como a trilha da Prainha; da Cachoeira da Usina; de Jeribucaçu; os arredores da praia da Concha (à noite); os arredores da praia do Resende, Tiririca, Costa e Ribeira (todas à noite); e os arredores do terminal rodoviário (também à noite); onde não indico caminhar após as 22h/23h.

Contudo, durante o dia pode-se andar tranquilamente e a rua Pedro Longo (conhecida como Pituba) é segura mesmo à noite.

Ou seja, priorize fazer as atividades pela manhã/tarde.

Leve comes e bebes

Como mencionei, lá existe um quiosque, mas é preferível que você leve algo para comer e beber. Não esqueça de retornar com seu lixo – ah, guimba de cigarro também é lixo =).

Protetor solar

A Prainha possui algumas sombras, mas não deixe de levar protetor solar, pois o sol de Itacaré é muito forte.

Animais

Nas trilhas e praias ainda é permitida a entrada de animais na coleira, mas peço ter consciência e não levar. Animais domésticos afetam a flora e fauna locais, além de poder passar doenças para as demais pessoas que estão se banhando. O animal é seu, mas outras pessoas não devem ser obrigadas a nadar com ele.

Outra forma de chegar na Prainha

Além do trekking, a outra forma de chegar na Prainha é de barco, ou passando por um condomínio e hospedagem de luxo que há na praia de São José, que fica ao lado (opção mais indicada para pessoas com dificuldade de mobilidade).

Mais dicas de viagem para Itacaré, Bahia

Para planejar sua viagem para Itacaré, consulte este guia de viagem.

Nele você verá mais detalhes da cidade, como:

  • como chegar;
  • preços médios;
  • onde ficar;
  • clima e melhor época para ir;
  • outras coisas para fazer em Itacaré;
  • e várias dicas de viagem.

Valores e dados de janeiro de 2017

Por favor, se possível, use nosso link ou o buscador abaixo para reservar sua hospedagem. Você não paga nada mais por isso e ajuda nosso blog, que recebe uma pequena quantia do Booking.



Booking.com

Obrigado pela visita e boa viagem!

Gostou do artigo? Então ajude o Instinto Viajante a se manter no ar =) Clique aqui e doe quanto quiser. Obrigado!

Se esse artigo lhe ajudou pode ajudar outros viajantes, curta e compartilhe =)

seta-instinto-viajante Mais dicas de viagem

Você tem outras dúvidas ou mais dicas sobre a trilha da Prainha de Itacaré? Conte para nós nos comentários!

Curta Instinto Viajante no Facebook e siga-nos pelo Instagram


« | »

Sobre