América do Sul > Brasil > São Paulo > Iporanga

Cavernas do PETAR: guia de viagem e o que fazer em Iporanga/SP

Caverna Morro Preto, Petar-SP

As Cavernas do PETAR (Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira) e o que fazer em Iporanga SP

Quer viajar para as Cavernas do PETAR, SP? Esse artigo é pra você! Saiba como chegar no Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR), quais cavernas e núcleos podem ser visitados, além da Caverna de Santana, e outras coisas para fazer em Iporanga, São Paulo, além das cavernas.

E mais, o Instinto Viajante ajuda a planejar sua viagem com dicas, preços, melhor época para visitar o PETAR, pousadas, campings e mais!

Nota: Talvez você tenha chegado aqui procurando informações sobre a Caverna do Diabo ou queira visita-la durante sua viagem às cavernas do Petar. A Caverna do Diabo fica em Eldorado, cidade vizinha, mas fora do PETAR.

Valores e dados de novembro de 2018

+ As 5 Melhores Cavernas do PETAR

Cavernas do PETAR | Apiaí e Iporanga SP

Caverna Santana, Petar-SP, núcleo Santana
Estalactites na Caverna Santana, no Núcleo Santana-PETAR-SP. A Caverna Santana é uma das mais variadas do Parque em termos de formações geológicas.

As Cavernas do PETAR são popularmente conhecidas assim por estarem localizadas dentro do Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira que dá origem a sigla. O parque é imenso, reconhecido como Patrimônio Natural da Humanidade pela UNESCO, e permite o turismo (com guia obrigatório) em 4 setores:

  • Núcleo Santana | Iporanga*
  • Núcleo Ouro Grosso | Iporanga*
  • Núcleo Casa de Pedra | Iporanga*
  • Núcleo Caboclos | Apiaí*

* Cidade mais próxima

Cada núcleo dá acesso a uma ou mais cavernas. Falo de cada um em detalhes mais adiante.

Ambas cidades possuem verdadeiro ar puro, sendo margeadas por rios, cachoeiras e vegetação de Mata Atlântica ainda bem conservada, além das cavernas, é claro. Atualmente, já são mais de 350 cavernas catalogadas na região (maior índice do Brasil e provavelmente do mundo), mas apenas 12 são abertas para visitas turísticas.

Clique nos links abaixo para ir direto ao assunto

Iporanga, a Capital das Cavernas

Igreja Matriz de Santana, Iporanga-SP
Igreja Matriz de Sant'ana, na praça Luiz Nestlehner, em Iporanga, São Paulo.

Fiquei hospedado no Bairro da Serra, em Iporanga, para ter acesso mais fácil às cavernas e, portanto, esse artigo dará mais ênfase a esta cidade.

Ela é bem pequenininha, com cerca de 5.000 habitantes apenas. Alguns trechos são asfaltados, mas a maior parte das ruas são de terra (bem cuidadas e tranquilas de fazer em carro de passeio comum, quando visitei). As casas são simples, típicas do interior, com uma igreja matriz no centro, igrejinhas pelos bairros e pequenos comércios.

A vida pacata de Iporanga me lembrou Aldeia Velha e Sana, no Rio de Janeiro.

Os principais interesses turísticos de Iporanga são as Cavernas do PETAR, praticar rapel, o BoiaCross, as comunidades quilombolas, a Cachoeira Sem Fim, e Cachoeira das Andorinhas, além de outras cachoeiras, trilhas e mirantes.

Turismo no PETAR e Iporanga, São Paulo

 Piscina natural do rio Betari (ou Bethary) Iporanga
Piscina natural do rio Betari (ou Bethary), uma das atrações do Núcleo Santana, dentro do Parque PETAR.

O Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR) é belíssimo e uma viagem que merece ser feita! As cavernas são fora de série e, apesar de "ser tudo caverna", cada uma possui suas peculiaridades que fazem valer a visita em cada uma.

Todavia, ainda é uma atração turística subvalorizada nacionalmente, com baixo volume de visitas em relação ao que oferece. Muita gente sequer ouviu falar (é o seu caso?).

A maior parte do turismo vem de escolas e universidades, ou pessoas que vivem em São Paulo (capital e interior), Curitiba e interior do Paraná. Em finais de semana e feriados costuma encher mais, mas durante a semana, em dias comuns, Iporanga e o PETAR ficam bem tranquilos.

Ao pesquisar esse destino de viagem me surpreendi por ser avaliado com 4,9/5 estrelas no GoogleMaps, mas confirmei o mérito quando visitei. O PETAR é muito interessante e uma viagem diferente do que comumente é encontrado no Brasil. Indico para quem gosta de ecoturismo, trilhas, geomorfologia, espeleologia, quilombos e tranquilidade, e recomendo para toda a família, desde crianças, jovens e adultos (as), a idosos (as).

Como chegar nas Cavernas do PETAR - Iporanga ou Apiaí?

 Ponte sobre o rio Ribeira de Iguape, entrada de Iporanga
Ponte sobre o rio Ribeira de Iguape, entrando em Iporanga-SP.

O Parque PETAR fica localizado entre Iporanga e Apiaí, pequenos municípios do interior de São Paulo. Sendo Iporanga a principal cidade para visitar a maioria das cavernas, pela proximidade dos acessos (Núcleos Santana, Ouro Grosso e Casa de Pedra) e estradas melhores.

Iporanga fica no Vale do Ribeira, região de rios e montanhas ao sul de São Paulo e leste do Paraná. Localizada na chamada "Rota das Cavernas", é abrigada por montanhas cobertas de Mata Atlântica bem cuidada e pelos rios Ribeira de Iguape e Ribeirão Iporanga.

Acessos principais

  • Via Rodovia Régis Bittencourt (BR 116) - Normalmente passa por Eldorado (onde está a Caverna do Diabo), Jacupiranga e chega a Iporanga;
  • Vindo de Curitiba - Também pela BR 116. Dica: a melhor opção é o atalho pela Barra do Turvo. Foi o caminho que fiz. São 75 KM desde a rodovia até Iporanga, 40 KM em estrada de terra, mas em boas condições (mesmo para nós que estávamos em um Volkswagen Up! atolado de peso). Por esse caminho economizamos umas 2h em relação ao trecho que não pega a estrada de terra;
  • Via Raposo Tavares (SP 270) - Geralmente opção para quem vai de Campinas, Sorocaba, Itapetininga, etc, para Apiaí.

Distâncias (Núcleos Santana, Ouro Grosso e Casa de Pedra):

Nota: o estacionamento do PETAR já está incluso no valor do ingresso de entrada no parque. Estacionar pela cidade de Iporanga gratuitamente é comum.

Como chegar no Petar em Iporanga-SP
Para chegar no PETAR de carro, você passará por trechos de estrada de terra. Quando visitei as estradas tinham boas condições e era facilmente trafegadas por veículos de passeio comuns.

• De ônibus

Chegar de ônibus no PETAR não é tarefa das mais fáceis. São poucas opções e, mesmo estando em Iporanga, as distâncias para os atrativos podem ser um problema: geralmente, pelo menos 5 KM até a portaria mais próxima do parque. Para outros atrativos as distâncias são maiores e, às vezes, em direções opostas.

Caso queira ir mesmo assim, você deve pegar um ônibus para Apiaí e, de lá, outro ônibus para Iporanga. Saltando no Bairro da Serra (o mais próximo da entrada do PETAR).

Esse ônibus de Apiaí para Iporanga só sai três vezes por semana (segunda, quarta e sexta) e uma vez por dia. Outra opção é tomar um táxi da rodoviária de Apiaí até Iporanga.

Abaixo as opções:

  • Curitiba-PR para Apiaí-SP | Valor: R$ 48 | Duração: 4h 45min | Viação Graciosa Transportes e Turismo
  • São Paulo-SP (Barra Funda) para Apiaí-SP | Valor: R$ 100 | Duração: 6h 20min | 0800 645 4001 | Grupo Transpen
  • Apiaí para Iporanga | Valor: R$ 4,75 (até o Bairro da Serra) | Horário: uma vez por dia. Passa pelo Bairro da Serra 7:30h para Apiaí; e volta 15h) | 0300 313 3667 ou (13) 3854-1444 (Cajati) ou (13) 3821-2658 (Registro) | Viação Princesa dos Campos**

Também é possível ir por Registro, passando por Eldorado, mas não compensa. Apiaí-Iporanga é o melhor caminho.

** Tentei contato por esses links: Viação Princesa dos Campos | Facebook, mas responderam que não fazem serviços em Iporanga. Acredito que sejam duas empresas com o mesmo nome. O ônibus existe, mas não possui contatos na internet.

Outras empresas que atuam na região:

  • Viação Moreira | (13) 3871-1479
  • Araujo Transportes | (13) 9 9658-4794
  • Valle Sul | (13) 3822-4530 ou (11) 3392-7566

Dica: a maioria dos passeios não possuem traslados, e é comum guias irem de carona com quem contrata o passeio (alguns são bem distantes). Se você for de ônibus, lembre-se de combinar como será o deslocamento antes de contratar.

Mais informações sobre ônibus em Iporanga-SP

• Aeroportos

O aeroporto mais próximo do PETAR é o de Curitiba. De lá, seguir os caminhos explicados acima, de carro ou ônibus. Chegar pelos aeroportos de São Paulo também é uma opção, mas fica um pouco mais longe.

Mapa de Iporanga

Entrada principal do PETAR

Mapa das Cavernas do PETAR e Iporanga-SP - Rota das Cavernas
Mapa das Cavernas do PETAR e Iporanga-SP - Rota das Cavernas. Fonte: petaronline.com.br / Rota das Cavernas.

Melhor época pra visitar as Cavernas do PETAR e Iporanga (clima e temperatura)

Tabela de clima de Iporanga-SP Petar Cavernas
Temperatura média ao longo do ano em Iporanga-SP. Fonte: pt.climate-data.org

Iporanga possui clima tropical e é um destino de viagem indicado para qualquer época do ano. Há grandes chances de chuva durante sua visita, pois são curtos os períodos de seca na cidade.

De abril a agosto chove menos, aumentando as chances de dias melhores para as caminhadas até as cavernas. No entanto, as águas dos rios e cachoeiras estão mais frias para mergulhar.

No verão (dezembro a fevereiro), há dias mais quentes, ideais para banhar-se, mas chove mais. Nesse período, os rios e cachoeiras ficam mais cheios.

  • Temperatura média anual: 22,8°
  • Temperatura média no verão: 26,6°
  • Temperatura média no inverno: 18,8°
  • Mês que menos chove: agosto
  • Mês que mais chove: janeiro
  • Mês mais quente: janeiro (27°)
  • Mês mais frio: julho (18,2°)

Dados climáticos: pt.climate-data.org

Hospedagens, Campings, pousadas em Iporanga/SP e média de preços

Pousada Tammy, Parque Petar, Iporanga-SP
Vista do terraço da Pousada Tammy, no Bairro da Serra, em Iporanga-SP - o lugar mais próximo da Portaria do Núcleo Santana, no PETAR.

Considerando o tamanho do município e movimentação turística, Iporanga tem muitas opções de hospedagens. As principais são suítes, chalés, hostels, pousadas, campings ou casas improvisadas. Os níveis de conforto e preços variam. Em geral, nada muito luxuoso.

Exceto em feriados (principalmente prolongados), não há a necessidade de fazer reservas antecipadas. Dias de semana são um pouco mais baratos que finais de semana e feriados. Abaixo opções e valores médios.

Dica: lembre-se de verificar o endereço da sua hospedagem. O Bairro da Serra, em Iporanga, é o lugar mais próximo para visitar as principais cachoeiras e cavernas do PETAR, portanto, melhor lugar para se hospedar. É lá que se concentra a maioria das hospedagens. Contudo, há outros bairros, como Centro e Betari.

Dica 2: é legal verificar se sua hospedagem possui acesso à cozinha, já que existem poucas opções de almoço e café na cidade.

Airbnb

Existe disponibilidade de quartos e casas para grupos pelo Airbnb em Iporanga. Usando esse link para fechar sua reserva, você ganha R$ 130 em créditos de viagem no site e nosso blog um pequeno valor de afiliado.

Valor médio por dia: R$ 60-200.

Camping

Os campings em Iporanga possuem diárias a partir de R$ 20-30, na baixa temporada, e R$ 30-40, na alta temporada (entre novembro e fevereiro).

Campings em Iporanga:

  • Camping do Dema | (15) 3556-1501 ou (15) 9 9700-0203 | contato@campingdodema.com
  • Camping do Benjamim | (15) 3556-1510 ou (15) 9 9612-5556 | reserva@campingdobenjamim.com.br
  • Camping Moria | (15) 3556-1519 ou (14) 9 9737-7626 ou (41) 9 9718-1583 (após as 18h) - Possuem aluguel de barracas (R$ 40 a R$ 80)
  • Pousada e Camping Rupestre | (15) 3556-1279 ou (15) 9 9683-6199 | ​info@pousadarupestrepetar.com
  • Camping Monjolo | (15) 3556-1284 ou (15) 9 9648-7506 | campingmonjolopetar@gmail.com
  • Ouro Grosso Chalés e Camping | (15) 9 9630-2193 ou (15) 9 9712-1018 ou (15) 3556-1242
  • Camping do Chita | (15) 3556-1454 ou (15) 9 9818-2378 | contato@campingchita.com.br - Possuem aluguel de barracas

+ Dicas de como escolher uma barraca de camping

Pousadas, Chalés, Suítes e hostels

Hostels, pousadas que alugam quartos coletivos e similares possuem valor médio de R$ 45-70 (baixa) e R$ 70-100 (alta) por dia. Há locais com e sem café da manhã.

Chalés e pousadas com café da manhã custam a partir de R$ 100-150 (baixa) e R$ 120-200 (alta) por dia para casal. As mais caras chegam a R$ 300-400 na baixa.

Encontra-se quartos com banheiro para grupos com diárias a partir de R$ 150-200 (baixa) e R$ 200-350 (alta) - com café da manhã.

Quando fiz minha viagem para as cavernas do PETAR fiquei hospedado na Pousada Tammy e super recomendo. O atendimento é ótimo, a Meres foi simpática e prestativa desde antes da nossa chegada até nossa saída, nos ajudando com informações, dicas e passeios. Além disso, o custo-benefício me deixou satisfeito, com um café da manhã gostoso, honesto e variado. Os quartos são simples, bons e limpos. A área comum possui sofás confortáveis e o terraço tem área ampla e perfeita para o café da manhã, com cozinha completa de acesso livre.

A quantidade de elogios pode lhe fazer pensar que ganhei algo por isso. Mas não. Apenas fiquei satisfeito e acho justo com a pousada e outros (as) viajantes indicar algo bom. Eu e meu amigo pagamos R$ 55 cada um pela diária com café da manhã em um quarto privado com banheiro externo.

Hostels, Chalés e Pousadas em Iporanga:

Além dessas, há outras hospedagens em Iporanga e Apiaí.

Outros custos

 Entrada e centro de Iporanga, no Vale do Ribeira
Entrada e centro de Iporanga, no Vale do Ribeira, em São Paulo.

Vários comércios e hospedagens em Iporanga aceitam cartões, mas leve dinheiro para não correr riscos, pois o sinal no vilarejo é ruim.

Alimentação: há poucos bares, lanchonetes, restaurantes, pizzarias, mercearias, etc. Mas tem. Para tomar café da manhã, almoçar ou lanchar as possibilidades são limitadas, principalmente se você não come carne e visita fora do fim de semana e feriados. O melhor é comprar na mercearia e preparar você mesmo, ou hospedar-se em um local que oferece pelo menos café. Alguns preços:

  • Refeições por R$ 15-25, em média. Marmitex (para viagem) R$ 10-15;
  • Lanches R$ 5-10;
  • Kit Lanche para trilha R$ 15-20;
  • Cervejas 600 mL R$ 8-15;
  • Cervejas 1 L R$ 8-12;
  • Água R$ 2-3;
  • Refrigerantes (lata) R$ 4-6.

A Pastelaria da Zeni, no caminho que leva para a entrada do PETAR, é um dos points de Iporanga. Vive cheia. É uma lanchonete simples e barata, boa para jogar conversa fora, lanchar, tomar cerveja. Os pastéis são enormes e as porções bem servidas - lugar popular. Fica em frente a Pousada da Diva. Preços da Zeni:

  • Pastéis R$ 5;
  • Porções de petiscos R$ 15-40;
  • Açaí R$ 10-12;
  • Água R$ 3;
  • Refrigerante (lata) ou Tubaína 600 mL R$ 5;
  • Refrigerante 2 L R$ 8;
  • Sucos: com água R$ 6, com leite R$ 8;
  • Cervejas 600 mL R$ 8-12;
  • Cervejas 1 L R$ 8-12.

Também fui no Mangarito Bar e Restaurante. Lugar amplo, com estrutura muito boa para os padrões de Iporanga. Vale a pena para comer, beber e ouvir música ambiente. Em relação a música, é bem eclética, quando cheguei tocava Pink Floyd, Led Zeppelin, e quando sai tocava sertanejo.

Dica: o atendimento é meio confuso, tenha paciência e confira sua conta. Nós demos mole e depois nos demos conta que pagamos uma cerveja que não consumimos.

Preços do Mangarito:

  • Pizzas R$ 36-42;
  • Banana chips R$ 6;
  • Porções de petiscos R$ 18-20;
  • Panqueca R$ 20;
  • Sobremesas R$ 12-20;
  • Água R$ 4;
  • Sucos R$ 10-12;
  • Refrigerante (lata) R$ 5;
  • Cervejas longneck R$ 8;
  • Cervejas 600 mL R$ 10-12;
  • Cervejas especiais R$ 22;
  • Cervejas artesanais R$ 25;
  • Caipirinha R$ 18;
  • Leite de morcego (batida de coco) R$ 8.

Encontra-se supermercados no centro de Iporanga. Nos bairros só mesmo mercearias.

Custo dos transportes: dentro de Iporanga só passa um ônibus, três dias na semana, como havia mencionado. Mas é possível circular a pé. Para fazer a maioria dos passeios é preciso andar bem, ir de carro ou contratar algum serviço de traslado.

Custo de passeios: Menciono os custos de cada atividade mais adiante.

→ Veja também: Como viajar muito barato para qualquer lugar

Cavernas do PETAR: o que fazer e como é dividido

mapa núcleos petar sp instinto viajante
Mapa do PETAR (Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira), em São Paulo.

Como falei, o Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR) está dividido em 4 Núcleos que abrigam as 12 cavernas que podem ser visitadas a turismo. O mais comum é visitar os núcleos Santana e Ouro Grosso, em roteiros de 2 ou 3 dias. Abaixo falo de cada um deles em mais detalhes.

Dica: o parque possui horários de acesso e limite de visitas às cavernas por dia. O controle é rígido. Chegue cedo para evitar imprevistos e filas.

Importante: a entrada no parque não possui limite de pessoas, o limite se deve às cavernas. Mesmo que cheio, você consegue entrar nas imediações do parque e aproveitar rios e cachoeiras.

Regras do PETAR

  • Horário de funcionamento: terça a domingo, das 8h as 17h (em período de férias escolares e feriados também funciona as segundas);
  • Estrada: ruas de terra bem conservadas, não precisa ter veículo 4X4;
  • Alimentação: NENHUM núcleo possui lanchonete ou restaurante. Leve seus lanches e, é claro, retorne com seus lixos;
  • Roupas: obrigatório o uso de calça, camiseta com mangas normais e tênis. É proibida a entrada com camisetas regatas, blusinhas ou sandálias;
  • Pagamento: entrada ou qualquer valor para o parque é feito APENAS em DINHEIRO e em REAIS (R$);
  • Descontos: professores (as), pessoas maiores de 60 anos e menores de 12 anos não pagam entrada. Estudantes com comprovante escolar pagam meia entrada;
  • Guia: em todos os setores do parque é obrigatório estar com guia local credenciado. Cada guia pode levar até 8 pessoas (exceto a Caverna Temimina, onde o máximo são 6 pessoas por guia);
  • Valor médio Guia: R$ 300-450 por grupo. Fiz em um grupo de 6 pessoas e paguei R$ 75 (inclui capacete com lanterna - uso obrigatório);
  • Grupos: podem fazer atividades juntos em até 16 pessoas. Acima disso é obrigatória a separação;
  • Camping: somente o Núcleo Caboclos permite acampar;
  • Carbureteiras: uso proibido.

Nota: Estava com um professor que comprovou a profissão mostrando documento de identidade e um contra-cheque pelo celular.

Dica: contratei o passeio na pousada que fiquei por confiar no serviço e pela comodidade, mas é fácil pesquisar preços e negociar em Iporanga. Você verá vários (as) guias passando pelo vilarejo e é fácil reconhecer pelas mochilas-estanque. Fechando o passeio direto com guia é possível pagar a partir de R$ 200-250 + R$ 16 para aluguel de cada equipamento.

→ Núcleo Santana - 5 cavernas

Caverna Santana, Núcleo Santana, Petar-SP
Caverna Santana, Núcleo Santana, PETAR-SP. Dica: dentro das cavernas é MUITO escuro, suas fotos ficarão boas apenas usando flashs ou, ao menos, iluminando com lanternas.

É o principal setor do PETAR e mais visitado. É muito perto para quem está em Iporanga e acessível para todas as idades (exceto pra quem tenha muita limitação de mobilidade). Pode ser visitado mesmo se você só tiver 1 dia disponível, mas para ver todas as atrações é necessário ao menos 2 dias (vale a pena se você tiver tempo).

  • Como chegar: Rodovia SP-165 - KM 159 - Mapa.
  • Entrada: R$ 15 (estacionamento incluso).
  • Duração: 1 a 2 dias. 7h-9h cada dia.
  • Estrutura: estacionamento, banheiros, posto médico, lugares para piquenique, lanchonete, loja de artesanato, biblioteca e o Centro de Interpretação Ambiental (CIA).

Atrações (dia 1)***:

  • Caverna Santana
  • Caverna Couto
  • Cachoeira do Couto
  • Piscina natural do Rio Betari
  • Caverna Morro Preto

Atrações (dia 2)***:

  • Trilha do Betari (até 3,4 KM)
  • Caverna da Água Suja (anda-se por dentro d'água)
  • Caverna Cafezal
  • Cachoeira das Andorinhas
  • Cachoeira Beija-Flor

*** Esses roteiros podem ser alterados de acordo com o (a) guia. Minha guia fez todo roteiro do dia 1, mas trocando a Caverna Morro Preto pela Água Suja - opção mais interessante se você só tiver 1 dia.

Horários para visitar as cavernas do Petar, São Paulo
Horários para visitar as Cavernas do PETAR e lotações máximas permitidas pelo parque.

Caverna Santana - Segunda maior de São Paulo. Chega-se por uma trilha de menos de 50 Metros. Possui 800 Metros de extensão, com salões e formações geomorfológicas variadas. É a mais diversificada, com estalactites, estalagmites, electites, cortinas, chão de estrelas e outras. Possui um córrego em seu interior, mas há pontes de madeiras que permitem visitar sem se molhar. Há chances de ver morcegos, opiliões e grilos albinos. Caverna fechada, vai e volta. Horários: 9h as 15h.

Salão dos Vulcões, um dos destaques da Caverna Santana, no Núcleo Santana, do PETAR
Salão dos Vulcões, um dos destaques da Caverna Santana, no Núcleo Santana, do PETAR. Foto: commons.wikimedia.org | Rafael Rodrigues Camargo.

Caverna Couto - Possui 471 Metros de extensão em caminhada tranquila. Indicada para crianças e pessoas com pouca experiência em caminhadas. Caverna aberta, opção de voltar pela trilha (800 Metros) do outro lado. Também tem ligação para a Caverna Morro Preto dentro dela. Horários: 8h as 16h.

Cachoeira do Couto - Bem próxima da caverna, possui 6 Metros de queda - bonita e com uma pequena piscina para refrescar, ideal para dias mais vazios.

Cachoeira do Couto, Petar-SP
Cachoeira do Couto, Núcleo Santana, PETAR, São Paulo.

Piscina Natural Rio Betari - Muito boa! Ideal para lanchar e descansar no meio do dia ou enquanto aguarda os horários dos passeios. Fácil chegar, bem perto do quiosque dos guias. Possui ampla área para relaxar e água límpida, esverdeada, clarinha.

Caverna Morro Preto - Trilha de menos de 200 Metros. Possui um imponente pórtico de 25 Metros de altura e características similares à Caverna do Couto explorados em 100 Metros de caminhada. Destaque para o salão Anfiteatro, onde há raios de luz adentrando na caverna. Lá, foram encontrados vestígios de ocupação humana que datam de milhares de anos atrás. Horários: 8h as 16h.

 Caverna Morro Preto, Núcleo Santana
Caverna Morro Preto, Núcleo Santana, PETAR. Foto: commons.wikimedia.org | Jader Vinícius da Silva Pereira.

Trilha do Betari - Caminhada leve a moderada em meio à Mata Atlântica que margeia o Rio Betari. Caminho que leva para as cavernas da Água Suja e Cafezal, e cachoeiras das Andorinhas e Beija-Flor. Chance de avistar macacos, bugios, pacas, lontras e diversas aves. A trilha completa possui 3,6 KM.

Caverna da Água Suja (com água) - Uma das melhores cavernas do PETAR! A experiência de andar dentro da caverna com água até a cintura é única. Anda-se 1,3 KM na Trilha do Betari até a entrada. Já na caverna, caminhamos 400 Metros em um rio que passa dentro dela. Muito maneiro! As mochilas são deixadas na entrada, não há perigo, mas caso queira, você pode guardar itens de valor na mochila-estanque do (a) guia. Horários: 8h as 14h.

Caverna Água Suja - Petar Núcleo Santana
Caverna Água Suja, no Núcleo Santana, PETAR - experiência de andar dentro d'água na maior parte da caverna. Foto: commons.wikimedia.org | Rodrigo Albertini.

No fim da Caverna Água Suja há uma pequena cachoeira para lavar a alma - apesar do nome, a água não é nada suja! rsrsrs

cachoeira dentro da caverna da agua suja petar sp instinto viajante
Água limpa na cachoeira dentro da Caverna da Água suja, no PETAR-SP - trocadilho idiota hahaha.

Caverna Cafezal - 1,2 KM de trilha até lá e 400 Metros de caverna. Abriga alguns dos espeleotemas mais belos do PETAR, com estalactites de formato abaloado que lembram botões. Horários: 8h as 12h.

Cachoeira das Andorinhas - Fica no final da Trilha do Betari e é considerada uma das melhores cachoeiras do PETAR. São 35 Metros de queda vinda do Rio Pedra Branca. Não é permitido nadar devido a força provocada pela água. O nome é devido as centenas de Andorinhas que abrigam o local.

Cachoeira Beija-Flor - Bem próxima das Andorinhas, possui 45 Metros de queda, mas é menos violenta que sua vizinha, sendo possível nadar e desfrutar de seu lindo poção.

→ Núcleo Ouro Grosso - 2 cavernas

Caverna Alambari de Baixo - Petar - Núcleo Ouro Grosso
Caverna Alambari de Baixo, uma das atrações do Núcleo Ouro Grosso, no PETAR. Foto: caveatlantica.com.br.

Pertinho de Iporanga, é o segundo mais visitado, normalmente para pessoas que possuem pelo menos 2 dias para visitar o PETAR.

  • Como chegar: Rodovia SP-165 - KM 156 - Mapa.
  • Entrada: R$ 15 (estacionamento incluso).
  • Duração: 1 dia. 5h-7h.
  • Estrutura: estacionamento, banheiros, posto médico, lugares para piquenique, Centro de Visitantes com hospedagem com capacidade para 50 pessoas, alojamentos para escolas, faculdades e pesquisadores, e Museu da cultura tradicional.

Atrações (1 dia):

  • Lago do Ouro Grosso
  • Trilha da Figueira
  • Caverna Ouro-Grosso (anda-se por dentro d'água)
  • Caverna Alambari de Baixo (anda-se por dentro d'água)

Nota: por ser um roteiro mais curto, é possível realizar o Boia Cross, Rapel e/ou visitar a Cachoeira Sem Fim no mesmo dia (falo de ambos mais adiante).

Trilha da Figueira - Trilha fácil e curta (170 Metros) pela Mata Atlântica, passando por figueiras, pau-d’alho e cedros centenários. O nome da trilha tem origem curiosa: se deve por passar literalmente por dentro de uma figueira centenária antes de chegar a entrada da Caverna Ouro Grosso.

Caminhando dentro das cavernas do Petar
Caminhar dentro das cavernas "molhadas", ou seja, que possuem um rio dentro, é uma das experiências únicas proporcionadas pelas cavernas do PETAR.

Caverna Ouro-Grosso (com água) - Outra caverna interessante por ser "molhada". São 200 Metros de trilha até ela. O córrego Ouro Grosso passa por dentro dela, tendo 5 cachoeiras em seu interior. Possui trechos um pouco mais complicados e claustrofóbicos. No fim há uma cachoeira onde é possível banhar-se. Horários: 8h as 16h.

Caverna Alambari de Baixo (com água) - Outro destaque do PETAR, chega-se por uma caminhada de 500 Metros. Possui uma entrada colossal que proporciona uma linda imagem com os raios de sol pela manhã. Alguns trechos possuem cordas para auxiliar na caminhada e há momentos que a água fica acima da cintura. Horários: 8h as 15:20h.

→ Núcleo Casa de Pedra - 1 caverna

 Pórtico da Caverna Casa de Pedra
Pórtico da Caverna Casa de Pedra, no PETAR - Considerada a maior entrada de caverna do mundo, com 215 Metros de altura. Foto: Youtube.com | Canal PETAR.

O setor Casa de Pedra fica no Bairro Ribeirão, em Iporanga. É mais indicado para pessoas com maior preparo e acostumadas com trilhas. A chamada Trilha do Portal é bem menos visitada e por isso propicia maior chance de ver animais em geral, além de bromélias, figueiras, perobas e paus-brasis. São 2 KM de trilha, passando por ruínas de garimpo de ouro e do antigo Arraial de Iporanga, da época colonial.

Seu maior destaque é o pórtico de entrada que ostenta impressionantes 215 Metros de altura, figurando no Guinness Book como a maior entrada de caverna do mundo. Próximo de lá, o Rio Maximiniano oferece uma bela piscina natural que desce, formando uma cachoeira e entrando na caverna.

  • Como chegar: Caverna Casa de Pedra, Ribeirão - Iporanga - SP, 18330-000 - Mapa.
  • Entrada: grátis.
  • Horário: 8h as 17h (necessário passar pela guarita no início da trilha até as 10h. Proibido começar a trilha após esse horário)
  • Duração: 5h-7h (ida e volta).
  • Estrutura: estacionamento, guarita de controle PETAR.

Atrações:

  • Entrada da Caverna Casa de Pedra

Atenção: A Caverna Casa de Pedra está fechada para visitas. O atrativo é apenas fazer a trilha até o portal de entrada. Não é possível entrar na caverna.

→ Núcleo Caboclos - 4 cavernas

Chuveirão dentro da Caverna Temimina
Ponto conhecido como "Chuveirão", dentro da Caverna Temimina, no Núcleo Caboclos. Foto: commons.wikimedia.org | Rafael Rodrigues Camargo.

O Núcleo Caboclos fica mais próximo de Apiaí, no Bairro Espírito Santo, mais precisamente. É mais indicado para pessoas mais acostumadas com trilhas mais longas.

É o único setor do parque onde é permitido acampar (mediante uma taxa de pernoite). O camping é uma área gramada, com estrutura básica: não há energia elétrica, nem chuveiro elétrico. Possui uma casa improvisada com banheiro, pia e fogão a lenha. Um cano com água corrente serve como chuveiro.

  • Como chegar: Acesso pelo KM 294 da Rodovia SP 250, seguindo por 17 KM pela Estrada do Espírito Santo (não pavimentada, também conhecida como Estrada Caboclos) até a entrada do Núcleo Caboclos - Mapa.
  • Entrada: R$ 15 (estacionamento incluso).
  • Duração: pelo menos 3 dias para ver tudo.
  • Estrutura: estacionamento, banheiros, área de camping (até 60 pessoas), lugares para piquenique e alojamentos para escolas, faculdades e pesquisadores;
  • Camping: R$ 15 por pessoa. Necessário agendamento prévio na administração do PETAR - (15) 3552-1875

Atrações:

  • Trilha do Chapéu
  • Caverna Chapéu Mirim I (anda-se por dentro d'água)
  • Caverna Chapéu Mirim II
  • Caverna Aranhas (anda-se por dentro d'água)
  • Gruta do Chapéu
  • Trilha do Maximiano
  • Cachoeira Maximiniano
  • Caverna Temimina I (anda-se por dentro d'água)
  • Cachoeira Sete Reis

Trilha do Chapéu - Cerca de 600 Metros de trilha pela Mata Atlântica levando até às cavernas Chapéu Mirim I, II, Aranhas e Gruta do Chapéu (também conhecida como Caverna do Chapéu ou Pedra do Chapéu), com 220 M de extensão. Horários: 8h as 16h.

Caverna Chapéu Mirim I (com água) e Caverna Chapéu Mirim II - Ambas são cavernas curtas, a Chapéu Mirim I possui apenas 52 Metros, e a CM II, 58 Metros. Estão localizadas próximas do camping e são interessantes pelas formações encontradas, como travertinos (espécie de represas formadas naturalmente), estalactites, colunas e cascatas de pedra. A Chapéu Mirim I tem como diferencial um rio que a corta por inteira, com cerca de meio metro de profundidade.

Formação de travertinos na caverna Temimina, Petar-SP
Formações de Travertinos no PETAR. Espécie de represas formadas naturalmente em milhões de anos. Foto: Danilo Duarte.

Caverna Aranhas (com água) - Possui cerca de 210 Metros de extensão e seu principal atrativo é o rio que passa por dentro. Por andar dentro d'água e conter trechos com teto baixo, não é indicada para qualquer turista.

Pedra do Chapéu - Considerado como Monumento Geológico, é uma formação grande de granito e rocha calcária.

Trilha do Maximiano - Caminhada de nível médio que leva até à Cachoeira Maximiano, com duas quedas, a maior tendo 6 Metros e uma piscina natural; e também para a Cachoeira Sete Reis, uma das melhores cachoeiras do PETAR, com 10 Metros de queda e árvores nativas em abundância. O passeio costuma levar 4-6 horas.

Caverna Temimina, núcleo Cablocos
Caverna Temimina, Núcleo Caboclos, PETAR-SP. Foto: commons.wikimedia.org | Rafael Rodrigues Camargo.

Caverna Temimina (com água) - Outra na lista das melhores Cavernas do PETAR. Chega-se por uma trilha mais longa (9 KM) que costuma ser feita em umas 2h. Possui 200 Metros de extensão e é cortada por um rio. Seu destaque são as dolinas ou claraboias gigantes, aberturas no teto que permitem a entrada de raios de luz na caverna, provenientes de um desmoronamento do passado. Horários: 8h as 10h (para quem acampa dentro do Núcleo Caboclos, é permitido sair 7h e 7:30h agendando previamente com a administração).

Atenção: Na Temimina são no máximo 6 pessoas por guia.

Caverna Temimina, Petar, Núcleo Caboclos
Caverna Temimina, uma das melhores cavernas do PETAR, dentro do Núcleo Caboclos. Foto: commons.wikimedia.org | Beto Mus.

Mais informações e Dicas Cavernas do PETAR

  • Limitações - A quantidade de cavernas, trilhas e cachoeiras que você conseguirá visitar dependerá do seu ritmo de caminhada, do seu grupo e da lotação e horários dos atrativos. Há passeios para todos os níveis;
  • Insetos - Nas cavernas do PETAR têm menos insetos do que imaginei, mas você cruzará com alguns, portanto, se tiver alergia, leve seus remédios;
  • Impacto - Evite passar por atalhos nas trilhas, pois degradam mais a natureza. Não leve nada para casa, inclusive pedras e plantas. Não jogue nenhum lixo no parque, mesmo que orgânico, pois fazem brotar plantas e árvores invasoras;
  • Nas cavernas - Evite ao máximo tocar nas formações rochosas para diminuir seu impacto. O mesmo para as paredes, pois podem conter bichos ou suas urinas, nocivos a sua saúde. Nunca entre na caverna sem a companhia de um (a) guia.

O que levar para o PETAR

O que levar para cavernas do Petar
Capacete, lanterna, blusa de manga e tênis são alguns dos itens obrigatórios no parque. Veja abaixo o que levar para o PETAR!
  • Roupas que sequem rápido - Dê preferência a materiais sintéticos e leves, como dry fit (as blusas TecFresh da Decathlon são boas e baratas). Fuja de qualquer coisa de algodão, lã, jeans ou similar, pois encharcam, pesam e demoram muito a secar. Jaqueta impermeável não é necessária, a menos que você vá em períodos de chuva - levei e não usei;
  • Troca de roupa - Não precisei por que minhas roupas secavam rápido, mas se achar necessário leve uma muda extra;
  • Lembre-se - Obrigatório calça e proibido entrar com camisetas regatas, blusinhas ou sandálias;
  • Calça leve - De trilha, tactel, legging ou similar. Nada de calça jeans, elas vão molhar e demorar a secar, além de pesar e serem incômodas para trilhas;
  • Meias - Priorize meias de poliamida, elastano ou similar, que evitam bolhas e secam rápido;
  • Tênis - Use calçados leves, confortáveis para caminhada e que sequem rápido. Fui com uma bota de trilha impermeável, mas nas "cavernas molhadas" a água chega na cintura e de nada adianta a impermeabilidade do calçado. Pelo contrário, ainda são ruins por que pesam mais quando encharcam e o "selamento" impede que a água que entrou saia rápido. Quanto mais aderente, melhor, mas escorregará em alguns pontos inevitavelmente, então tome cuidado;
  • Blusa que esquente - Digo blusa por que não vale a pena levar nada que irá pesar muito quando molhado. Não me fez falta, mas a temperatura média das cavernas gira em torno de 15º a 18º durante todo ano;
  • Toalha ou Canga;
  • Garrafa d'água;
  • Lanches;
  • Mochila pequena para bens pessoais - Não precisa ser impermeável, os guias levam mochila estanque para guardar pequenos objetos de turistas e deixamos nossas mochilas na entrada quando visitamos "cavernas molhadas";
  • Câmera;
  • Saco zip-estanque para câmera ou celular - É tranquilo levar esses itens sem saco zip, pois sempre é possível levantar os braços e não molha-los, mas se quiser mais comodidade e segurança, considere-os;
  • Capacete com lanterna - De uso obrigatório, normalmente alugados ou inclusos nos passeios guiados. Não há necessidade de levar lanternas extras;
  • Kit de primeiros socorros e itens de sobrevivência são sempre bem vindos.

O que fazer em Iporanga-SP além das cavernas do PETAR

Boia Cross

O que fazer em Iporanga-SP - Boia cross
As Cavernas do PETAR não são os únicos atrativos de Iporanga. O BoiaCross é passeio obrigatório de quem visita o Vale do Ribeira, em São Paulo.

O Boia Cross é aquela atividade obrigatória que se você não faz dá a impressão de que não foi no lugar. Tipo ir ao Peru e não conhecer Machu Picchu. Não é por ser a coisa mais legal do mundo, não espere por isso. Mas é divertido e simbólico. Resumindo: você precisa fazer!

É um esporte criado na própria Iporanga, pelos espeleólogos que, enquanto realizavam pesquisas acadêmicas nas cavernas do PETAR, tiveram essa brilhante ideia para carregar seus equipamentos. Trata-se de descer rios em cima de uma câmara de ar de pneu de caminhão.

Apesar de parecer perigoso, é bem tranquilo, pois turistas só são permitidos em dias que o rio não está muito cheio e com correntezas fortes. É legal e indico você fazer mesmo que não saiba nadar, pois estará com colete salva-vidas, acompanhado (a) pelo (a) guia, e há vários trechos calmos no rio que parecem piscinas. Achei tranquilo mesmo para crianças e pessoas acima do peso. Teria me arrependido se fosse embora sem fazer.

O que fazer no Petar-SP - Boia Cross
Bora descer o rio em cima de uma câmara de ar de pneu de caminhão? - BoiaCross!!

É fácil encontrar quem oferece o Boia Cross em Iporanga. Eu fiz com o Primos Boia Cross, acompanhado pelo motorista Adriano e o guia Osíris (vulgo Jacaré) e recomendo - pessoal gente boa! O Jacaré teve muito boa vontade em filmar todo passeio com nossa GoPro. Contratei diretamente na Pousada Tammy.

Dica: você irá molhar tudo, portanto recomendo não levar nada. Carteira e afins podem ser deixados com a equipe, se quiser. Vá com roupas que sequem rápido e calçado. Ir descalço é ruim devido as pedras no curso do rio. A equipe que contratei empresta sapatilhas perfeitas para o passeio. Caso sua hospedagem seja longe, é legal levar toalha para não sentir frio após o Boia Cross.

  • Valor: R$ 30 (passeio guiado, traslado ida e volta, colete e capacete).
  • Duração: o percurso possui 3 KM e todo passeio dura cerca de 1 hora.

Cachoeiras

Cachoeira Sem Fim Iporanga-SP
Uma das quedas da Cachoeira Sem Fim, em Iporanga-SP. Outra coisa para fazer fora do PETAR.

Além das cachoeiras do PETAR que citei no tópico anterior e ficam dentro do parque, em Iporanga, Apiaí e arredores têm várias cachoeiras legais. Abaixo falo das melhores.

Dica: as cachoeiras possuem acesso fácil e trilhas curtas, fazendo com que possam ser combinadas com outros passeios ou dando a possibilidade de visitar mais de uma num mesmo dia.

Cachoeira do Sem Fim (ou apenas Cachoeira Sem Fim)

Cachoeira do Sem Fim - Iporanga, São Paulo
Cachoeira do Sem Fim, em Iporanga, São Paulo.

Bem próxima de Iporanga e de acesso extremamente fácil. É uma trilha bem leve e autoguiada de 700 Metros, passando por 3 quedas e 3 poções. Vale muito a pena a visita e é recomendada para todas as idades.

Cachoeira Arapongas

Cachoeira Araponga - Ipiaí-SP
Cachoeira Araponga, em Ipiaí-SP - uma das melhores cachoeiras nos arredores do PETAR e de Iporanga. Foto: Flickr | Vinicius Albertim Neves.

Considerada a melhor cachoeira de Apiaí, Arapongas fica depois da entrada do Núcleo Santana (para quem vai de Iporanga em direção a Apiaí). O acesso fica ao lado direito, um pouco escondido. Dá pra estacionar na entrada e seguir por uma trilha curta até uma portaria. Depois, caminha-se descendo mais uns 10-15 minutos até a cachoeira.

A paisagem é linda e vale a visita, não exigindo muito esforço. A cachoeira tem 65 Metros de queda e seu nome é devido aos pássaros que vivem no local. É comum ser utilizada para os passeios de rapel em Iporanga e Apiaí.

Dica: tenha atenção ao mergulhar, pois a queda geralmente está forte e há pontos com grande profundidade.

Trilha do Jacaré, Vale das Ostras e Cachoeira do Meu Deus

Cachoeira do Meu Deus em Eldorado
Cachoeira do Meu Deus, em Eldorado - Eleita uma das cachoeiras mais bonitas de São Paulo! Foto: Flickr | William Miranda Andrade.

A Cachoeira do Meu Deus já foi eleita uma das melhores cachoeiras de São Paulo. Fica na cidade de Eldorado, um pouco distante de Iporanga (38 KM do centro), mas, assim como a Caverna do Diabo, pode ser incluída em seu roteiro, caso passe próximo da entrada.

Ela fica dentro de uma propriedade privada, tendo três possibilidades de passeio:

  • Trilha direto para a queda principal - 2,5 KM
  • Trilha do Jacaré (Visita 12 quedas e a principal) - 3,4 KM
  • Trilha Vale das Ostras - (Visita 15 quedas e a principal) - 4,6 KM

Se você puder, vale a pena fazer o passeio longo. O acesso é fácil, tendo estacionamento e uma guarita de controle. Dali sai a trilha que leva até às cachoeiras e poções.

A Cachoeira do Meu Deus, principal atrativo, possui 53 Metros e uma força absurda. Atrás da queda tem um acesso para uma pequena gruta, mas caso visite tenha muito cuidado.

Mirante da Boa Vista

Mirante da Boa Vista em Ipiá
Mirante da Boa Vista, entre Iporanga e Apiaí, com vista privilegiada e ampla para o Vale do Ribeira.

Recuo da estrada Iporanga-Apiaí com vista privilegiada e ampla para todo Vale do Rio Betari. São montanhas majestosas e muito verde! Vale a pena dar uma passada, pois não fica muito depois da entrada do Núcleo Santana (indo de Iporanga).

É um ótimo local para ver o nascer e por do sol. Além disso, reza a lenda que a noite já foram vistos OVNIs e bolas de fogo sobrevoando o vale de lá.

Dica: à esquerda, um pouco antes do local onde as pessoas estacionam para tirar fotos (de quem vai de Iporanga), há um caminho subindo que leva até um ponto mais alto, onde a vista é ainda melhor.

Reserva Betary

A Reserva Betary é uma área de preservação ambiental com 60 hectares, em Iporanga. Trata-se de um projeto educacional, com museu, centro de pesquisas, viveiros e passeios guiados.

Vale a pena se quiser aprender mais sobre o Vale do Ribeira, ecologia e visitar com crianças. Há várias opções de roteiros, com atividades diurnas e noturnas. O foco é pesquisa científica.

  • Valor: Visita não-guiada - R$ 15 (adulto), R$ 5 (criança); Passeios guiados (preço único por pessoa) - R$ 38 (diurno), R$ 62 (noturno), R$ 80 (visita extendida)****
  • Horário: Segunda a Sexta, 10h-17h (sendo a visita não-guiada disponível de 9h as 16h). Fim de semana apenas com agendamento
  • Como chegar
  • Mais informações
  • Contato: contato@ipbio.org.br

**** Professores (as) possuem entrada gratuita quando visitam com pelo menos 15 pagantes.

Birdwatching (observação de pássaros)

Araponga, a ave que da nome a Cachoeira Araponga
Araponga, a ave que da nome a Cachoeira Araponga, em Ipiaí, São Paulo, próximo do parque PETAR - ótimo para birdwatching (observação de pássaros). Foto: Rudimar Narciso Cipriani | g1.globo.com.

Apesar de eu não ter visto serviços de passeios guiados para observação de pássaros em Iporanga, a pequena vila e o Parque do PETAR são ótimos para Birdwatching. As espécies encontradas são as típicas da Mata Atlântica.

Valor: grátis.

Quilombos de Iporanga e região

Ainda existem algumas comunidades quilombolas em Iporanga e ao redor do PETAR, onde é possível aprender sobre a cultura afro e provar sua culinária. Alguns famosos são o Quilombo Bombas e Quilombo Ivaporunduva.

Mais sobre os quilombos do Alto da Ribeira

Vida noturna

A vida noturna em Iporanga é quase zero. As opções para a noite costumam ser uma cervejinha entre amigos (as), violão e afins. O Mangarito Bar e Restaurante é o point principal, com música, além de alguns bares mais simples pelo vilarejo para matar o tempo. Não encontrei música ao vivo fácil.

Agências de viagem no PETAR e Iporanga

Normalmente é mais barato fechar passeios diretamente com guias ou nas hospedagens, mas caso prefira, têm agências de turismo nos arredores do PETAR. Algumas das mais conhecidas:

PS: não cheguei a fazer passeio com elas.

Lugares para visitar próximos do PETAR

Fora do PETAR, mas ainda nas redondezas, é possível incluir uma visita à Caverna do Diabo e ao Parque Intervales em seu roteiro.

Caverna do Diabo

Parque Estadual Caverna do Diabo - Eldorado
Parque Estadual Caverna do Diabo não fica no PETAR, mas sim em Eldorado-SP. Trata-se de uma caverna adaptada para o turismo acessível. Foto: Flickr | Jônatas Cunha

É uma caverna "gourmetizada", abrigada pelo Parque Estadual Caverna do Diabo, em Eldorado, e preparada para o turismo de massa, pensando em pessoas com dificuldade de locomoção ou que não curtem ou não estão acostumadas com passeios de aventura. É completamente acessível, pois foram instaladas luzes internas, passarelas, escadas e corrimões.

Vale a pena visitar se você se enquadra nesse perfil que citei acima, mas não espere a mesma "graça" de visitar as Cavernas do PETAR, que são rústicas, naturais.

Mais informações:aqui e aqui.

Parque Estadual Intervales

Cachoeira no Parque Estadual Intervales, em São Paulo
Cachoeira no Parque Estadual Intervales, em São Paulo. Foto: Flickr | Eduardo Hanazaki.

Dividido entre vários municípios, o Parque Intervales oferece diversas atividades de ecoturismo, como passeios guiados em trilhas para observação de fauna e flora, cachoeiras, lagos, formações rochosas, um castelo de pedras, a capela de Santo Inácio, dentre outros atrativos.

Mais informações

Outras dicas de viagem para Iporanga/SP e o PETAR

Portaria de entrada no Núcleo Santana
Portaria de entrada no Núcleo Santana, um dos setores do PETAR-SP.

DDD e tomadas - O código telefônico de Iporanga é o 15. O padrão de tomadas é o tipo N, podendo encontrar algumas do tipo B e C, e a voltagem padrão é 110 V, mas algumas pousadas também usam 220 V.

Telefonia e internet - O sinal é ruim na vila, às vezes funciona o 3G, mas é muito ruim para fazer/receber chamadas. A melhor operadora é a Vivo. O vilarejo possui alguns telefones públicos. Locais comerciais possuem Wi-Fi suficiente para trocar mensagens e navegar o básico, mas não espere algo muito robusto. No PETAR não há sinal de telefone e internet.

Vacina febre amarela - A região do PETAR possui incidência de febre amarela, portanto é altamente recomendado que você tome vacina contra febre amarela.

Claustrofobia - Eu não sou claustrofóbico, então tenho pouca autoridade para falar. Mas tentando te dar uma noção: eu achei que as cavernas do PETAR eram mais apertadas, contudo a maioria possui trilhas e salões amplos. Só não recomendo, se você tiver claustrofobia MUITO intensa.

Repelente - Iporanga combina rios, matas e cachoeiras, e é bastante preservada, isso significa vários mosquitos. Não esqueça seu repelente.

Preserve a natureza - Por favor, não entre nos rios e cachoeiras com nenhum tipo de produto químico. Isso inclui: shampoo, condicionador, cremes, repelentes, protetor solar, bronzeador, etc. Ao regressar, leve seu lixo e eventuais lixos que puder retirar do caminho. Vamos manter o lugar sempre limpo e preservado para todos, inclusive nós mesmos.

Animais - No PETAR não é permitido entrar com animais.

Trombas d'água - Em dias chuvosos, evite ficar próximo dos rios e cachoeiras. Trombas d'água são muito comuns e fatais em regiões com cachoeiras. O maior indício da iminência de uma tromba é a coloração da água. Se começar a ficar marrom (enlameada), saia imediatamente do local. Isso acontece, pois há vezes que não está chovendo no poção em que estamos, mas na nascente sim.

Bancos - No Bairro da Serra tem caixa do Bradesco. Já no centro de Iporanga tem Bradesco e a possibilidade de ir na casa lotérica para sacar pela Caixa ou nos Correios para sacar pelo Banco do Brasil (ambos somente em horários e dias úteis). Apiaí é a cidade mais próxima com bancos, tendo Caixa, Bradesco, Santander e Banco do Brasil (não tem Itaú). Como falei, existem estabelecimentos que aceitam cartões, nós pagamos quase tudo com cartão, mas tendo em vista que o sinal nem sempre é bom, vale levar dinheiro para emergências.

Farmácias - No centro de Iporanga têm farmácias, mas é bom levar medicamentos que você use com frequência.

Segurança - Iporanga é uma típica vila pequena, portanto bastante segura para caminhar a qualquer hora. Tenha atenção básica.

Negocie - Os valores de hospedagens e passeios em Iporanga variam bastante! Considere pesquisar e negociar ao invés de sempre pagar o primeiro preço.

Valores e dados de novembro de 2018

Colaborou com o artigo: Meres Mota (Pousada Tammy)

Mais fotos e informações:Página do PETAR no Facebook | Site da Prefeitura de Iporanga-SP | Parque PETAR | O que são espeleotemas?

Fotos e edição:Instinto Viajantee Daniel Saeta

Você viu nesse artigo:

  • Estilo de turismo no PETAR
  • Como chegar nas cavernas do PETAR
  • Melhor época pra visitar o PETAR
  • Hospedagens no PETAR e proximidades
  • O que fazer nas Cavernas do PETAR e como o parque é dividido
  • O que fazer em Iporanga-SP além das Cavernas do PETAR
  • Outras dicas de viagem para o PETAR

Obrigado pela leitura e boa viagem!

Mais dicas de viagem

Você tem outras dúvidas ou mais dicas de viagem para as Cavernas do PETAR? Conte nos comentários!